12 pequenos gestos dos pais que são muito valiosos para crianças

A linguagem do amor dos pequenos pode ser bem diferente da sua e, muitas vezes, é nutrida pelos gestos e atividades presentes na rotina.

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 26 mar 2021, 12h49 - Publicado em 27 mar 2021, 10h00

Todos nós já fomos crianças e, por experiência própria e lembranças do passado, sabemos que, para os pequenos, sentimentos, emoções e gestos são percebidos e interpretados de maneiras diferentes do que para os adultos. Não podemos nos esquecer do óbvio: uma criança está em constante descoberta do mundo, o que a torna muito mais sensível, honesta, aberta e espontânea do que um adulto que, dadas as circunstâncias, pode deixar de lado ou dar menos importância a esses valores.

Ao trazer isso para a parentalidade, é bem capaz que, na loucura do dia a dia, você não perceba o quão relevantes algumas ações, simples, podem ser para os filhos. Em tempos de pandemia e necessidade ainda maior de ficar em casa com as crianças, decidimos listar 12 atitudes que, na prática, podem não significar muito para um adulto, mas que fazem total diferença na interpretação infantil sobre o que são amor e cuidado.

1. Usar e expor acessórios, desenhos e outras artes feitas por eles

Crianças prestam muito mais atenção do que a gente pensa, e é por isso que fazer questão de reconhecer o esforço delas em determinadas “artes” também é um jeito de demonstrar o quanto você se importa.

Pendure desenhos e pinturas na geladeira, use aquele colar de macarrão ou camiseta feitos para um trabalho escolar, exponha as lembrancinhas de Dia das Mães ou dos pais na estante da sala, transforme poemas em quadros… as opções são diversas!

  • 2. Falar mais “sim”

    A rotina atribulada, as horas dedicadas ao trabalho (formal e informal) e as tarefas domésticas, às vezes, fazem com que seja difícil para um adulto se permitir relaxar ao lado dos filhos.

    Ainda que por cinco, dez ou vinte minutos do seu dia, faça o exercício de dizer mais “sim” quando oportunidades de, por exemplo, assistir a um desenho ao lado do pequeno, brincar e ajudar na lição de casa surgirem.

  • 3. Ler com e para eles

    Para estimular o gosto pela leitura e, de quebra, estreitar os laços dentro de casa, vale tirar uma hora do seu dia para ler com as crianças ou para elas – de acordo com a sua preferência e idade de aprendizado do pequeno.

    Deixe que eles escolham o que gostariam de ler ou ouvir, e aproveite o momento também para incentivá-los a conhecerem novos personagens e histórias.

  • 4. Demonstrar interesse pelas coisas que ele te conta

    Treinar a escuta é outra maneira de expor para os pequenos o quanto o que eles têm a dizer é importante, seja qual for o tema. Por isso, quando a criança começar a conversar sobre algo que aconteceu na escola ou sobre um filme ou desenho novo, demonstre interesse e, de fato, ouça.

    Levar em consideração as opiniões dela sobre qualquer assunto faz a criança perceber que tem espaço de fala, que pode compartilhar seus pensamentos sobre o mundo.

    Ouvidos abertos são ainda mais importantes em momentos de tristeza e confusão emocional por parte dos filhos, assim como uma boa abertura para o diálogo.

  • 5. Cozinhar em conjunto

    Se você gosta de cozinhar, convide os pequenos para te ajudarem na cozinha, seja selecionando os ingredientes ou participando das etapas mais simples de preparo da receita – a prática, além de fortalecer os vínculos familiares, instiga o interesse na culinária, e com certeza vai render boas lembranças para o futuro.

    Fale sobre as curiosidades – ou até mesmo memórias afetivas que você tenha – de cada prato e estimule que eles também conversem sobre esta temática. Pode parecer que não, mas isso ajuda em uma boa relação com a comida quando forem adultos.

    Continua após a publicidade
  • 6. Mostrar a eles como foi a sua infância

    Não se esqueça de mostrar aos seus filhos que você também já foi criança, o que pode ser feito através de fotos e vídeos antigos, ao mostrar a eles objetos que você guardou por décadas ou ao ensinar as brincadeiras que eram mais populares na época da sua infância. A iniciativa pode aumentar a identificação entre pais e filhos.

  • 7. Pedir para que o pequeno te ensine sobre algo que aprendeu

    Uma nova música que não sai da cabeça dele, a tabuada do sete, os nomes das sete cores do arco-íris, a brincadeira do momento, uma coreografia que a professora ensinou.

    Tudo isso pode servir de pretexto para que você faça uma inversão de papeis e permita que a criança te ensine algo que aprendeu (mesmo que você já saiba).

    Mais uma vez, o segredo é mostrar interesse e esforço, deixando o pequeno ou pequena orgulhoso por repassar sua nova habilidade.

  • 8. Dar presentes feitos por você 

    Pode ser um cartão de Natal, uma camiseta customizada no aniversário, um brinquedo feito em casa graças a um tutorial do YouTube no Dia das Crianças.

    Use a criatividade para investir no DIY e produzir lembrancinhas exclusivas e personalizadas para presentear os pequenos. Não tem como errar!

  • 9. Distribuir afeto 

    Sim, pessoas têm formas distintas de demonstrar afeto, mas isso não quer dizer que distribuir carinho e amor aos pequenos – da forma que mais fizer sentido para você – deve ser algo para ficar em segundo plano por conta do marasmo do cotidiano.

    Há quem goste de abraços apertados, colo e beijos, e quem prefira cantar uma música ou levar café na cama. O modo pouco importa, já que o essencial aqui é reforçar à criança o quanto ela é valiosa.

  • 10. Espalhar recados fofos pela casa

    Para crianças que já sabem ler ou estão dando os primeiros passos nesse sentido, uma maneira fofíssima de demonstrar afeto é espalhando recadinhos e palavras motivacionais pelos cômodos da casa nos quais eles mais costumam ficar.

    Vale escrever mensagens no espelho do banheiro, deixar um bilhete no travesseiro e, caso eles já estejam indo para a escola, incluir um papelzinho-surpresa dentro da lancheira ou mochila.

  • 11. Programar atividades gostosas em dias específicos

    Durante a infância é bastante comum que datas comemorativas e feriados ganhem peso e maior significado. Então, por que não criar a sua própria tradição com as crianças em casa, fazendo disso um hábito mensal, semanal ou anual?

    Exemplo: uma maratona de filmes no primeiro domingo de cada mês, uma visita quinzenal à casa dos avós, uma festinha junina na sala, uma brincadeira de Páscoa no feriado…

  • 12. Deixar que a criança se expresse livremente

    A sociedade já nos censura de maneira suficiente, e é por isso que você não deveria fazer esse papel em casa quando o assunto é livre expressão. Para quebrar preconceitos e estereótipos, permita que seus filhos brinquem com o que tiverem vontade (desde que com segurança), façam diferentes tipos de atividades artísticas, vistam fantasias, roupas descombinadas só porque se sentiram bem assim, dancem e cantem muito!

    Incentivar a liberdade também é uma forma de demonstrar carinho e compreensão, e contribuir para o amor próprio desde a infância.

    Continua após a publicidade
    Publicidade