5 lições escondidas (e valiosas) na série da Disney Fancy Nancy Clancy

Com nova temporada estreando em março, a animação sobre a garotinha carismática pode ser uma boa pedida neste ano tão difícil para as crianças.

Por Fernanda Tsuji Atualizado em 23 mar 2021, 18h58 - Publicado em 23 mar 2021, 18h41

Com tantos desenhos nos canais a cabo e nas plataformas de streaming, muitas vezes deixamos passar algumas produções que são tão ou até mais bacanas do que as superfamosas. É o caso de “Fancy Nancy Clancy“, que ganha uma nova temporada no Disney Junior, a partir de 22 de março.

Se você nunca ouviu falar da menininha ruiva de seis anos, cheia de boas maneiras e ideias esplêndidas – ou como diria Nancy “jeito chique de dizer incrível” -, não sabe o que está perdendo! O desenho faz parte de uma nova – e boa – safra de produções da Disney que trabalham a diversidade, como “Mira, a detetive do Reino“, “Nivis“e “Vampirina“.

Baseada na série de livros best-sellers do New York Times, da autora Jane O’Connor, a série animada mostra a vida de Nancy, uma garotinha que ama francês, palavras difíceis e looks muito criativos. Se num primeiro momento ela parece muito presunçosa e egoísta, aos poucos vamos percebendo que Nancy está em constante aprendizado.

Oui! Mergulhada num universo de fantasia, ela cria situações imaginárias e grandes expectativas sobre tudo, mas a realidade, bem, não costuma ser do jeito que ela planejou, sabe? Sobram frustrações, mas que sempre a levam a um entendimento novo sobre a vida e o mundo que a cerca. (Levanta a mão quem tem uma “pequena Nancy em casa”! )

A seguir, separamos alguns aprendizados que o desenho traz e que podem ajudar os seus pequenos a também internalizar que nem tudo sai como a gente quer… Mas que isso pode ser bem legal! Oh-la-la!

1- Cada criança é única…

Estilo e autenticidade não faltam para Nancy! Verdade seja dita, nem sempre todos compreendem o seu estilo “chique” de ser e agir, mas ela nem liga! Segue falando as palavras que sabe em francês, se veste com o que gosta e tenta trazer seu jeito único para as brincadeiras e atividades.

Isto ajuda a fortalecer o conceito de que cada criança é unique (ou única, como Nancy canta na abertura), baliza sua autoestima e mostra que suas preferências são parte de uma personalidade em formação.

Um bom lembrete também para os pais, afinal, devemos respeitar a individualidade e valorizar o filho que estamos criando, não a ideia do que quereremos que ele seja.

2- Mas é preciso respeitar as preferências dos outros também! 

Em suas fantasias tão particulares, Nancy não percebe logo de cara que os outros também precisam ter espaço. Ela se frustra quando os colegas do bairro não querem brincar com suas criações mirabolantes ou se sente diminuída quando um amigo ou a sua irmãzinha Jojo também se destacam em algo.

Em vários episódios, Nancy acaba descobrindo que também precisa controlar o seu ego (ainda que não saiba que é assim que se chama). Ela aprende que cada um tem suas potencialidades, dificuldades e que o caminho para que todos se entendam é ter parcimônia, conversar, combinar e brincar juntos, sem ninguém impondo suas vontades.

Continua após a publicidade

3- Saia do tédio com suas próprias ideias

Cena do desenho Fancy Clancy Nancy
Disney/Divulgação

Em tempos de pandemia, criar novas brincadeiras é um desafio constante para pais e crianças. Estimular que a criança dê asas à sua imaginação é também a proposta desta série, já que não faltam ideias mirabolantes de Nancy para brincar com os amigos. Ela já criou um museu, um spa para sua mãe, um concurso de cachorros, um jornal, organiza chás da tarde chiquérrimos e, na nova temporada, vai querer morar sozinha na cabana no jardim!

Os pais de Nancy, Claire e Doug (dublado pelo ator Duda Nagle, marido de Sabrina Sato e pai de Zoe), acreditam que as filhas podem pensar por si e costumam apoiar as iniciativas de Nancy, que também conta com sua melhor amiga Bree para executá-las. A vizinha de Nancy, aliás, costuma ajudá-la a ponderar quando os planos delas não saem bem como o planejado.

4- Esteja aberta a se surpreender

Outro ponto da série é que a pequena Nancy tem muita alegria de viver. Como toda criança, ela tem dificuldade para entender que nem tudo está sob seu controle ou gira em torno de suas vontades.

No entanto, quando percebe que existem outras maneiras de enxergar a situação ou que os problemas têm saídas, ela se surpreende positivamente. Talvez seu filho ou filha possam entender melhor isso ao assistir a personagem vivenciando estas situações, não é mesmo?

5- É possível mudar o mundo com otimismo

“O simples fica incrível! Lazer agora é chic… É só você ser chique e voilà! É fantastique!”

Otimismo é uma marca registrada desta personagem, que tenta ver o lado bonito – e chique, como ela gosta de pontuar – da vida.

Quando se depara com uma situação não muito legal ou até mesmo sem graça, a garotinha ruiva tenta transformar a realidade chata com muito glitter e amor. Nem sempre dá, mas Nancy tenta todas as vezes! Ela acredita piamente que consegue realizar todas as suas ideias para melhorar o mundo ao seu redor.

Fica a dica para que filhos – e papais – enxerguem a vida com um pouquinho mais de carinho e esperança, né? Estamos precisando!

A nova temporada estreou no dia 22 de março, às 20h30. Você também pode assistir a série no Disney+, clique aqui para saber como assinar.

Continua após a publicidade

Publicidade