9 maneiras de estimular a criatividade das crianças dentro e fora de casa

Não é preciso usar de tecnologia ou investir em cursos para que os pequenos mantenham o pensamento criativo. Medidas práticas já ajudam (e muito) na missão!

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 13 Maio 2021, 16h57 - Publicado em 15 Maio 2021, 10h00

A parentalidade saudável envolve muito mais do que atender às necessidades básicas de uma criança. É claro que preocupações com a saúde física e mental, alimentação e educação entram antes na fila de prioridades na hora de criar os filhos, mas o incentivo às brincadeiras e à criatividade também precisam ser valorizados.

Mesmo assim, pode ser difícil para alguns pais e mães encontrarem formas efetivas (e acessíveis) de desenvolver e contribuir para um pensamento criativo em constante evolução dos pequenos, às vezes por falta de tempo, disponibilidade ou conhecimento. Garantimos, entretanto, que isso é possível, não custa caro e pode ser feito por meio de ações básicas dentro e fora de casa.

Compilamos aqui atitudes capazes de estimular a mente sempre ativa das crianças, que se tomadas de forma mais contínua, vão incentivá-las, a serem adultos mais inventivos no futuro.

Promova brincadeiras com objetos simples, e incentive o faz de conta…

castelo-tubo-papel-higienico
@mrmintz_crafts/Instagram

Para começar, vale dizer que não é preciso ter em casa brinquedos ou dispositivos super tecnológicos para que a inventividade das crianças seja estimulada e valorizada, muito pelo contrário. Permita que os pequenos brinquem com o que der na telha e esteja à disposição deles, desde que sempre de maneira segura.

Materiais como massinha, cartolina, rolo de papel higiênico, panelas e até roupas antigas podem abrir (e muito) a mente das crianças, que para isso devem se sentir livres para mergulhar no mundo do faz de conta sem julgamentos.

  • …mas também recorra a atividades que estimulem o cérebro

    Além de permitir que as crianças fantasiem e criem as suas próprias brincadeiras, se o objetivo é estimular a criatividade é importante, também, incentivá-las a realizar atividades já conhecidas como boas alternativas para treinar o cérebro.

    Jogos de tabuleiro que envolvam desenho, raciocínio lógico e matemática, palavras cruzadas, caça-palavras e quebra-cabeças são ótimas opções, assim como xadrez, damas e jogos de cartas – tudo de acordo com a idade e fase do pequeno, claro.

  • Incentive o gosto pela arte, seja na teoria ou na prática

    Para contribuir para um desenvolvimento infantil regado a criatividade, outra sugestão é fazer com que as crianças estejam em contato constante com referências artísticas, o que é válido tanto na teoria quanto na prática.

    Ou seja, tão interessante quanto incentivar o gosto dos pequenos por atuação, música, pintura, desenho, escultura e colagem, por exemplo, é também levá-los a peças, shows, museus, exposições e galerias de arte (muitos deles, neste momento, com visitas e apresentações totalmente online e gratuitas).

  • Apresente às crianças o universo do cinema

    Menina com câmera de brinquedo
    d3sign/Getty Images

    Ainda quando falamos sobre arte, vale lembrar o quanto bons filmes, desenhos e documentários podem ser capazes de estimular a mente dos filhos.

    Continua após a publicidade

    Fazer maratonas de longas e séries, ficar ligada nos principais lançamentos infantis dos serviços de streaming e, por que não, deixar que as crianças brinquem com câmeras filmadoras e contem as próprias versões de suas histórias é mais uma forma de desenvolver crianças fora da caixa.

  • Tente equilibrar o tempo das telas

    A questão das crianças frente às telas é tão polêmica quanto discutível, e o nosso papel aqui não é o de julgamento. Mesmo assim, e se possível, controle o tempo de exposição dos filhos à elas. Equilibre os vídeos que eles tanto gostam com joguinhos educativos ou que estimulem a pintura e desenho.

    Lembrando que as atividades em telas não devem ocupar a maior parte do tempo das crianças. Brincadeiras ao ar livre e com outras pessoas devem sempre ser estimuladas e vir em primeiro lugar.

  • Valorize o processo, e não apenas o resultado final

    Para um pensamento criativo infantil constante, lembre-se de, além de elogiar o resultado final daquilo que a sua criança se propôs a fazer – seja um desenho, uma pintura ou algum tipo de artesanato -, é essencial valorizar o processo.

    Para isso, mostre-se curioso/a sobre aquela atividade, pergunte se ela precisa de ajuda, contribua com ideias e fale sobre o quanto você está orgulhoso/a sobre o esforço do pequeno. Além de incentivá-lo a continuar com determinada meta, o hábito também faz com que crianças se cobrem menos no futuro.

  • Permita que as crianças estejam em contato com a natureza

    Duas crianças de mãos dadas na natureza
    Josue Michel/Unsplash

    Nada inspira mais a imaginação humana do que o contato com a natureza, e o impacto que a fauna e a flora têm sobre as crianças, naturalmente mais abertas a explorar o novo, é ainda mias potencializado.

    Dessa forma, permitir que seus filhos conheçam e interajam com as cores, formas e texturas de flores, plantas, animais e paisagens, é mais um jeito de contribuir para que elas cresçam desenvolvendo uma mente mais inventiva.

  • Não menospreze o poder da literatura infantil

    Livros são outra ferramenta poderosa capaz de abrir portas para a imaginação das crianças, pois contribuem para um inconsciente cheio de ideias e, de quebra, ajudam no processo de alfabetização.

    Atualmente é possível encontrar todo tipo de literatura infantil, inclusive opções interativas e já focadas em atividades a favor da criatividade: basta achar aquela com a qual o pequeno se identifique!

  • Lembre-se de que crianças têm o próprio tempo para criar e realizar

    Por mais que você queira ver seu filho realizando grandes feitos (artísticos ou não), não se esqueça de que a melhor forma de incentivar as crianças a conquistarem algo é entendendo que o tempo delas pode ser diferente do seu.

    Portanto, permita sempre que elas errem, comecem de novo e até desistam de práticas com as quais não se identificam tanto assim. Ou seja, o ideal mesmo é ajudar o pequeno a encontrar atividades das quais ele realmente gosta, e explorar o processo criativo a partir delas, já que com paixão tudo fica um pouco mais simples.

    Continua após a publicidade
    Publicidade