9 brincadeiras que ajudam as crianças que estão na fase da alfabetização

Algumas exercitam o reconhecimento das letras, outras trabalham mais com números, mas todas podem ser feitas em casa e garantem boas doses de divertimento!

Ver os pequenos começando a identificar as letrinhas do seu nome ou caminhando para escrever as primeiras palavras é um processo encantador. Como todo aprendizado, ele leva tempo e geralmente é feito de forma gradual com a ajuda dos educadoras da escolinha, que proporcionam atividades específicas para cada habilidade a ser desenvolvida.

Só que com a volta às aulas presenciais ainda suspensa por conta da pandemia do novo coronavírus, os pais podem ficar preocupados por não saberem como ajudar o filho que está na fase da alfabetização.

Já adiantamos: ninguém precisa bancar o professor, tá? O grande segredo nesta faixa etária é caprichar nos estímulos, e por isso selecionamos algumas brincadeiras que podem dar uma “forcinha” extra (e o melhor: a maioria pode ser feita com materiais da própria casa!).

Senhor careca

 

Os pais podem estranhar à primeira vista, mas a verdade é que as brincadeiras que preparam para a alfabetização vão muito além do uso de letras ou da formação de palavras. “Na fase pré-escolar, buscamos atividades que trabalhem o desenvolvimento e habilidade motora, assim como a coordenação motora fina”, explica a professora e especialista em consciência corporal Silmara Cristina dos Santos.

A sua primeira sugestão de brincadeira recebe o nome de “senhor careca” e nada mais é que um exercício de manipulação dos dedos e percepção numérica. Nele, a criança joga o dado e o número sorteado será quantos prendedores ela deve colocar no rosto de seu personagem. Para montá-lo, os pais vão precisar recortar um pedaço de papelão, personalizando com a carinha que preferirem, prendedores de roupa para fazer o “cabelo” e rolinhos de papel higiênico, que serão dobrados para que se transformem em um dado.

Jogo Pac Man

Mais uma dica diferente da professora – e que também trabalha com os números – é o jogo do Pac Man. Nesta atividade que remete ao tradicional jogo de vídeo game, os adultos podem aproveitar o dado que já foi montado e apenas criar o “circuito” dos bonequinhos. Primeiro, recortem uma tira na folha sulfite e desenhem uma fileira de bolinhas; em outra folha, façam os dois Pac Man e prendam de forma que eles consigam se movimentar, como o mecanismo de um cinto.

Prontinho? Agora é só juntar a família e jogar o dado. O número que cair é o número de bolinhas que o Pac Man deve comer. Quem papar mais, ganha!

Roleta

Uma última ideia pensada por Silmara é que as famílias criem a sua própria roleta, que pode ser usada como um reloginho, ajudando os pequenos a se familiarizarem com os números. Dá também para, futuramente, para trabalhar exercícios matemáticos, girando o objeto e somando os números que caírem.

Veja também

Anota aí o passo a passo: basta recortar um pedaço de papelão em formato redondo e colar as tampinhas em volta com os respectivos números do relógio. Para fazer a roleta girar, os pais podem colar um spinner e prender nele um canudo de modo que, quando rodar, esbarre nas tampinhas.

Jogo da memória

De acordo com Bruna Duarte Vitorino, pedagoga e coordenadora pedagógica do Kumon, brincadeiras que estimulem a concentração e a memorização são importantíssimas para preparar as crianças para a alfabetização – quando precisarão lembrar das letras e números. 

Sendo assim, sua sugestão é que os pais façam com os filhos o próprio jogo de memória. Para isto, é só separar cartolina ou papelão e recortar em cartões que tenham o tamanho de uma foto. Em seguida, é só colar ou desenhar imagens de coisas que os pequenos gostem – como uma fruta, um objeto ou um animal -, e escrever ao lado a palavra correspondente, para que ela seja associada no jogo da memória.

A sugestão de priorizar coisas que a criança goste é importante porque, como conta a pedagoga, isto prende a atenção dos pré-escolares e ajuda ainda mais na alfabetização. Quer mais uma ideia? Trocar os desenhos por fotos dos colegas de sala do pequeno – assim, ele vai ficar mais atento ainda aos nomes e já vai “gravando” a sua escrita aos poucos.

Caixa sensorial

Um jeito bem bacana de ensinar o alfabeto para os pequenos é aguçando o sentido do toque enquanto eles usam as mãos para formar as letrinhas. A caixa sensorial faz parte do método de ensino montessoriano e é bem simples de fazer: vocês vão precisar somente de um recipiente e de algum “ingrediente” para enchê-lo, como arroz ou areia.

Se quiserem deixar a atividade ainda mais divertida, vale apostar no arroz colorido, que pode ser tingido usando vinagre e corante de alimentos. Para cada xícara de arroz, adicione uma colher de vinagre e algumas gotas do corante – a dica é colocar tudo em um saquinho, fechar direitinho e sacudir bastante – a criançada vai adorar ajudar!).

Formando Palavrinhas

Para a criançada que já está reconhecendo melhor as palavras, a recomendação de Isa Vaal, psicóloga e fundadora do TotoyKids, é que as famílias construam uma caixinha de letras (que podem ser feitas com recortes de jornais e revistas ou com tampinhas de garrafa, como a da foto). Depois disso, o pai ou a mãe sorteiam uma letra da caixa e pedem que o filho diga uma palavra que comece com ela.

A continuação da brincadeira exige ainda mais raciocínio dos pequenos! Na atividade que a psicóloga chama de “formando palavrinhas”, os adultos devem pedir que a criança desenhe figuras que conhece – uma casa, um animalzinho ou uma árvore, por exemplo – e depois forme o nome de cada uma delas com as letras disponíveis na caixa.

Dominó da leitura

Assim como o jogo da memória, o dominó é uma brincadeira que já conhecemos, mas que ganha uma personalidade extra quando a proposta é alfabetizar. Para montá-lo, os pais podem recortar em papelão pequenos retângulos e customizá-los com duas metades: uma delas com um nome (casa, morango, menino…) e outra com um desenho, que corresponda a alguma das palavras existentes no jogo.

Mais uma vez, o ideal é que as crianças participem do processo de escolher os objetos, para que sintam mais vontade de se engajar no aprendizado – e também na hora de colorir os desenhos, para que fiquem com a “carinha” dela!

Amarelinha de letras

Já adoramos a amarelinha convencional, mas esta ganhou ainda mais o nosso ❤. A proposta dela é juntar movimento com alfabetização e o melhor de tudo é que você só vai precisar de algumas folhas de papel, canetinha para fazer as sílabas e fitas para colar no chão – garantindo que estejam bem presas para que a criança não derrape.

Veja também

Depois, ensine as regrinhas para a criança, dizendo que ela deve jogar a pedrinha, ir pulando até a casa que caiu e chegando no destino dizer uma palavra com a sílaba que está indicada no papel. Cada pulo será uma nova chance de aumentar o repertório de palavras!

Centopéia dos números

Quantos pedaços têm a centopeia? O objetivo desta brincadeira prática é que a criançada vá assimilando os números de um a dez, conforme faz as bolinhas do corpo do animal com a tinta em seu dedo. Várias cores podem ser usadas e o resultado é um desenho bem bacana, que pode ser guardado de recordação e até utilizado como instrumento para exercitar a contagem.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s