8 maneiras carinhosas de ajudar seu filho quando ele estiver triste

Se a tristeza bater, transforme o acolhimento em momentos gostosos, que vão de uma refeição aconchegante a uma maratona de filmes favoritos do pequeno.

Por Ketlyn Araujo 26 jan 2022, 12h08

Receber carinho, cuidado e afeto de quem a gente ama é, sem dúvidas, a melhor ferramenta para conseguirmos acolher a tristeza repentina, que pode estar relacionada a algum acontecimento inesperado ou fase complicada da vida. O mesmo vale para os pequenos! 

Assim como nós, adultos, as crianças também precisam de recursos para lidarem com os dias nublados emocionalmente, principalmente por ainda não compreenderem muito bem as próprias emoções, precisando de uma mãozinha para reconhecê-las e nomeá-las. Vale lembrar, ainda, que tristeza e depressão são casos diferentes, e que o segundo se dá mediante diagnóstico médico e acompanhamento de especialistas voltados à saúde mental. 

Nos dias em que seu filho parecer tristinho, além de respeitar o momento dele, tomando cuidado para não condená-lo por se sentir assim, você pode ajudá-lo a aliviar a tristeza ao demonstrar suporte emocional com pequenos gestos na rotina que requerem apenas boas doses de amor e energia.

A seguir, reunimos oito ações eficientes e focadas no acolhimento e pertencimento, capazes de arrancar sorrisos sinceros do pequeno, mesmo em dias ruins.

1. Fazer uma caminhada ao ar livre e, quem sabe, emendar uma conversa franca 

É provado cientificamente que o contato regular com a natureza faz bem para qualquer ser humano e com os pequenos não seria diferente. Em um dia em que seu filho estiver com a energia baixa, sentindo-se triste, convide-o para um passeio em uma área verde, como um parque ou praça próximos a sua casa.

Comece com uma caminhada despretensiosa, mostrando as flores, plantas e cores. À medida que a criança for dando abertura, aproveite para incentivá-la a falar sobre as próprias emoções, mostrando-se interessada em saber como ela está se sentindo, mas sem forçar a barra e respeitando os limites demonstrados pelo pequeno. Alugar uma bicicleta pode fazer com que o dia fique mais divertido, e o mesmo vale para um piquenique ao ar livre, se possível.

2. Rever os filmes e desenhos preferidos do pequenos

Há uma série de filmes infantis capazes de melhorar o humor de qualquer criança tristinha (e adulto também), graças às suas histórias inspiradoras, cheias de significado e que geram identificação imediata.

Fazer uma maratona na frente da TV pode ser tudo que o seu pequeno precisa para se sentir mais alegre, e as opções de filmes vão desde clássicos da infância dos pais que podem ser revisitados com os filhos, produções incríveis que foram inspiradas em livros ou, quem sabe, aquele título favorito que vocês descobriram juntos nas plataformas de streaming

Mãe-e-filho-cozinhando-juntos
Brooke Lark/Raw Pixel

3. Preparar uma comida quentinha e aconchegante

Muita gente gosta de dar e receber afeto através da comida, que pode ser mais uma alternativa perfeita para amenizar o sofrimento da criança. Aqui, são dois os principais caminhos: vale tanto fazer um cardápio que envolva apenas as comidinhas favoritas do pequeno, quanto focar em um menu quentinho e aconchegante, regado a aromas, texturas e sabores inesquecíveis e capazes de despertar boas emoções.

4. Montar uma sessão de leitura com histórias otimistas

Assim como acontece com os filmes para crianças, livros infantis são ferramentas igualmente poderosas quando se deseja levantar o astral dos pequenos.

Continua após a publicidade

Para isso, improvise um cantinho de leitura em casa ou leve seu filho até uma livraria mais próxima, na qual você poderá ajudá-lo a escolher histórias com um “quê” de otimismo e esperança, e que podem auxiliá-lo a lidar com as emoções da infância.

Ao iniciar a leitura, você pode se deixar levar pela criatividade e montar cenários com objetos de casa, incorporar personagens e incluir a criança na narrativa – tudo varia de acordo com a sua disposição.

5. Passar um dia todo abraçado com ele embaixo do cobertor

Não existe antídoto mais eficaz para amenizar qualquer tristeza do que altas doses de demonstração de carinho. Por isso, para cuidar da criança nos dias tristes, não economize nos abraços, beijinhos e chamegos.

Na prática, esqueça o mundo lá fora (junto com o celular) e passe o dia todo abraçadinho com o seu filho debaixo do cobertor. O momento pode render boas conversas e contribuir para a relação de confiança entre vocês.

6. Mostrar fotos de momentos felizes em família

Família-vendo-álbum-de-fotos-juntos
Pexels/Pexels

Registros de momentos felizes em família são mais um recurso capaz de desviar o foco da criança da tristeza, ajudando o pequeno a relembrar memórias ou, até mesmo, conhecer um pouco mais sobre sua história.

Você pode tanto mostrar fotografias da sua infância e adolescência, para que ele se familiarize com a sua versão do passado, quanto focar em imagens mais recentes da criança em viagens e ao lado de pessoas queridas e animaizinhos de estimação. Conforme o momento for ficando mais divertido, vale propor a ideia de fazer novos registros reproduzindo os antigos, o que com certeza vai render boas risadas entre vocês!

7. Colocar a mão na massa

Desenhar, pintar, fazer esculturas de massinha… Ao passo que contribuem para a criatividade da criança, atividades artísticas são também uma verdadeira terapia nos dias em que as emoções parecem fora do lugar. Isso porque elas ajudam a trazer a atenção para o aqui e agora, nos deixando menos reféns dos pensamentos. 

Aproveite para realizar todas estas práticas junto do pequeno: vale escolher temas para suas obras de arte, fazer uma exposição dos desenhos pela casa casa e, quem sabe, usar as criações para presentear outros familiares ou amiguinhos da escola!

8. Incentivá-lo a agradecer pelo o que família já tem

Por fim, ajude o seu filho a encontrar, nos detalhes do dia a dia, bons motivos para agradecer: faça junto dele uma lista de vivências pelas quais vocês são gratos, como um dia de sol, um abraço apertado no irmãozinho, um almoço gostoso, um passeio com o cachorro, uma visita aos avós

Releia a lista em voz alta e aproveite para deixá-la sempre visível em casa, como um lembrete permanente de que a felicidade existe, embora às vezes seja difícil enxergá-la.

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade