7 jeitos fofos e fáceis de conservar as memórias das crianças com os avós

Fotos, amuletos e até bordados podem servir como lembretes permanentes de que algumas relações são, de fato, para sempre.

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 31 Maio 2021, 13h21 - Publicado em 29 Maio 2021, 10h00

Quando se é criança, e levando em consideração a cultura brasileira, é muito comum desenvolver uma relação profunda de afeto e carinho por um de nossos avós (ou por todos eles), principalmente se os visitamos de maneira regular ou se são parte da rede de apoio dos pais nos primeiros anos de nossas vidas.

Sabemos, também, que de acordo com a ordem natural da vida eles geralmente são os primeiros a irem embora – infelizmente. Mas tão importante quanto falar com as crianças sobre perdas e luto, é também ajudá-las a manterem essas memórias sempre vivas, principalmente quando perdemos alguém querido ainda na infância.

Para isso, reunimos algumas boas e criativas ideias para colocar em prática no dia a dia e eternizar os momentos entre os pequenos e os vovôs e vovós, usando objetos, imagens e cenas do cotidiano.

Álbum de fotos

Ideia tão clássica quanto infalível, imprimir e revelar fotos é uma das maneiras mais eficazes e duradouras de eternizar bons momentos entre os pequenos e os avós. Caso você queira fugir um pouco do óbvio, troque os porta-retratos convencionais por fotos impressas em forma de ímãs de geladeira, de enfeites decorativos, quadros em tamanho grande ou álbuns personalizados. Vale também apostar nas fotos instanâneas (a famosa polaroid) para montar um varal de decoração no cantinho do pequeno – com certeza, elas renderão ótimas histórias antes de dormir!

  • Pinturas e desenhos

    No lugar das fotos, você também pode pedir para que um amigo, familiar ou conhecido que pinte retrate uma imagem dos pequenos com os avós. Se você é o artista da casa, apenas coloque a mão na massa. Caso contrário, a escolha também pode ser uma ótima oportunidade para apoiar o trabalho de ilustradores e artistas no começo da carreira se achar essa proposta mais interessante.

  • Bordados

    Sabemos que nem toda avó sabe bordar, mas o estereótipo vez ou outra é real e pode igualmente se tornar uma lembrança física. Mais uma vez, vale tanto você mesma comprar um kit de bordado e tentar criá-lo por conta própria, quanto contratar profissionais que prestem o serviço – ou, se possível, pedir para a vovó fazê-lo.

    Continua após a publicidade

    As possibilidades, aqui, também são múltiplas: você pode escolher uma foto das crianças com os avós e transformá-la em um bordado decorativo, pode pedir para que os próprios avós escrevam uma mensagem para os pequenos, bordada em uma almofada ou peça de roupa ou, quem sabe, a família não transforma em bordado aquela música especial que as crianças adoram ouvir na companhia do vovô e da vovó? A sua criatividade é quem decide!

  • Filme da nossa vida

    Antigamente, em algumas famílias, tinha-se o costume de andar por aí com uma câmera filmadora para registrar bons momentos com pessoas queridas, mas o hábito caiu em desuso muito por conta dos celulares. Para manter as memórias sempre vivas, porém, ainda é mais do que válido recorrer às filmagens (não importando tanto o dispositivo usado para fazê-las).

    Se quiser, utilize o celular e produza sequências de pequenos vídeos naqueles dias em que as crianças se divertem com o avô e a avó e, quando tiver uma boa quantidade de cenas, transforme-as em um filminho de memórias. Para isso, use os apps disponíveis de edição, que são fáceis de usar e rendem bons resultados.

  • Receitas de família

    Avó fazendo cookies com as netas
    Sidekick/Thinkstock/Getty Images

    Se o avô, a avó ou os avós das crianças são famosos pelos dotes culinários, uma boa ideia é bater um papo com os pequenos e descobrir quais as receitas que eles mais gostam. A partir daí, e sem se esquecer de incluir os pratos que fazem você salivar, monte um livro de receitas apenas com aquelas comidas que aquecem o coração e despertam boas memórias: além de ser útil para o futuro dos filhos, é uma forma de passar para a frente o legado gastronômico da família.

  • Amuletos da sorte

    Outra ideia clássica, mas atemporal, para eternizar cenas do cotidiano entre pessoas queridas é recorrer aos amuletos da sorte, como relicários personalizados. O acessório, para quem não sabe, é uma espécie de colar que, ao ser aberto, carrega uma ou mais fotos de quem amamos. Você pode escolher a imagem mais bonita entre os filhos e os avós e transformá-la em joia ou bijuteria, seja para os pequenos ou você usarem no dia a dia.

  • Livro de histórias

    Se as crianças tiveram a sorte de ter por perto um grande contador ou contadora de histórias, nada mais justo do que transformá-las em um livro de memórias. Pode ser algo simples, como ‘Memórias do vovô e da vovó’, no qual você e os pequenos escrevem as narrativas inesquecíveis contadas por eles, ou quem sabe um livro de piadas, de fatos curiosos ou de frases icônicas ditas pelos parentes. Com o passar do tempo, vai ser uma delícia relê-los!

    Continua após a publicidade
    Publicidade