Continua após publicidade

Catapora, asma e outras doenças comuns em crianças durante a primavera

Veja quais são os problemas que mais afetam a saúde dos pequenos nessa época do ano e saiba como protegê-los

Por Carla Leonardi
Atualizado em 27 nov 2023, 16h49 - Publicado em 26 out 2023, 12h01

A primavera costuma ser uma das estações mais queridas do ano, não só pela beleza das flores, mas por trazer de volta as temperaturas quentes, ideais para atividades ao ar livre com as crianças. Entretanto, é também nessa época que algumas doenças podem se espalhar com maior facilidade – de infecções respiratórias a patologias como caxumba e catapora.

Veja, a seguir, quais são essas enfermidades, seus sintomas e tratamentos, e como mantê-las longe da sua família.

Roséola

O que é: a roséola se caracteriza pelo aparecimento de manchas róseas na pele após uma febre alta. É uma doença da infância, que pode atingir crianças entre 6 meses e 6 anos de idade, porém, o maior número de casos costuma acontecer em pequenos com até 2 anos.

Causas: a infecção é causada pelo vírus do herpes humano tipo 6 (HVH-6) e 7 (HVH-7), que é transmitido pela saliva.

Sinais e sintomas: febre alta entre 3 e 4 dias, coriza, falta de apetite, erupções no tronco que se expandem na direção do pescoço e nas extremidades, podendo sumir em algumas horas ou em até três dias.

Prevenção e tratamentos: ainda não existe uma vacina contra a roséola, portanto, a forma de preveni-la é evitar o contato do bebê com outras pessoas que estejam doentes e adotar bons hábitos de higiene. Caso suspeitem de que a criança foi contaminada, é preciso que os pais a levem para uma avaliação presencial com o pediatra e que sigam as orientações para amenizar os sintomas e desconfortos.

Continua após a publicidade

Saiba mais sobre a roséola aqui!

Escarlatina

O que é: trata-se de uma doença infectocontagiosa que provoca febre alta, que se inicia com uma dor de garganta e causa erupções na pele de cor vermelha escarlate – daí o nome – primeiro na cabeça e, depois, seguindo para outras regiões do corpo, com descamação. Atinge crianças e adolescentes até os 15 anos de idade.

Causas: infecção por bactéria Estreptococo Beta Hemolítico do grupo A. Ela é transmitida por meio de contato direto com doentes ou via gotículas exaladas por meio de espirros, fala e tosse. Compartilhar objetos também transmite a doença.

Sinais e sintomas: dores no corpo, garganta, barriga, cabeça, erupção cutânea, mal-estar, náuseas e vômitos.

Prevenção e tratamentos: a conduta apropriada será indicada pelo pediatra, que geralmente administra antibióticos. A melhor prevenção é evitar o contato com pessoas doentes.

Continua após a publicidade

Saiba mais sobre a escarlatina!

Varicela (catapora)

O que é: conhecida também como catapora, a varicela é uma doença infectocontagiosa de fácil propagação entre as pessoas e atinge, especialmente, crianças com idade abaixo de 10 anos.

Causas: é causada pelo vírus varicela-zóster e é transmitida pelo contato direto com uma pessoa doente ainda entre as primeiras 24 e 48 horas antes do surgimento das lesões na pele, permanecendo de 7 a 9 dias até que as feridas criem crostas (casquinhas). O contágio se dá por meio de gotículas de saliva (fala, tosse e ou espirros) e por compartilhamento de objetos.

Sinais e sintomas: febre, dores de cabeça, cansaço, falta de apetite e aparecimento de bolhas avermelhadas e feridas na pele, sendo o rosto e o tronco os mais afetados.

Prevenção e tratamentos: o diagnóstico se dá por meio de consulta presencial com avaliação clínica do paciente e o tratamento é adequado aos sintomas apresentados (em maior ou menor gravidade). É uma doença cuja vacina faz parte da tetraviral, que protege também contra sarampo, caxumba e rubéola.

Continua após a publicidade

Acesse mais informações sobre a catapora clicando aqui!

Criança sendo examinada na cama. Ela é menina, tem por volta de 5 anos, tem o cabelo castanho e crespo preso em duas tranças. Está sentada na cama, de costas para a foto, em meio aos lençois. Há duas mãos de um médico examinando sua respiração e batimentos cardíacos com aparelho.
(Cottonbro/Pexels)

Caxumba

O que é: é uma doença viral, que afeta as glândulas parótidas (que produzem a saliva), localizadas na região da mandíbula, um pouco abaixo das orelhas. É mais comum em crianças, mas considerado um problema já controlado. A caxumba pode atingir outros órgãos e sistemas, causando pancreatite, inflamação de músculos, surdez, meningite, inflamação dos testículos e dos ovários.

Causas: transmitida por contato direto com gotículas de saliva e pertences de pessoas infectadas pelo Paramyxovirus.

Sinais e sintomas: provoca dores musculares, calafrios, febre, fraqueza e dificuldade em mastigar ou engolir.

Continua após a publicidade

Prevenção e tratamentos: as orientações costumam incluir alimentação saudável, repouso e hidratação do corpo. Dessa maneira, o sistema imunológico contribui para combater o vírus e minimizar os sintomas. Já o uso de medicamentos deve ser indicado pelo médico. A imunização da caxumba faz parte da vacina tetraviral, mas manter a criança longe de pessoas com a doença é uma forma de evitar o contágio.

Quer mais informações sobre a caxumba? Clique aqui!

Rinite alérgica

O que é: a rinite é uma inflamação das mucosas da cavidade nasal e tem como causa a reação excessiva do sistema imunológico às partículas alérgenas do ar. Se o doente tiver predisposição à asma, possivelmente poderá desencadear uma crise com falta de ar e cansaço.

Causas: provocada por diversos fatores alérgenos. Alguns exemplos frequentes são poeira doméstica, bichinhos de pelúcia, odor de livros (especialmente os mais antigos), pólen, alguns alimentos, pelos de animais (como gatos e cachorros), além dos ácaros presentes no colchão e em estofados.

Sinais e sintomas: nariz entupido, secreção clara, irritação e coceira nasal.

Continua após a publicidade

Prevenção e tratamentos: o cuidado é manter os ambientes sempre limpos, arejados e sem qualquer objeto que possa desencadear novas crises. O tratamento se dá pelo uso de medicamentos indicados pelo pediatra, limpeza do ambiente e retirada de objetos como carpetes, almofadas e pelúcias do ambiente, além de ser importante evitar a exposição ao cheiro de perfumes fortes, tintas e fumaça de cigarro. Vale ressaltar a necessidade do acompanhamento médico para minimizar a recorrência das crises.

Conjuntivite

O que é: a inflamação da conjuntiva que provoca irritabilidade nos olhos – coceira, vermelhidão, intolerância à luz, olhos lacrimejantes, visão embaçada ou borrada e, em alguns casos, dor.

Causas: é provocada a partir de agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. Contagiosa, a conjuntivite é transmitida por meio do compartilhamento de objetos e utensílios pessoais.

Sinais e sintomas: olhos vermelhos, coceira, irritação e lacrimejamento.

Prevenção e tratamentos: quando se sabe de surtos ou de alguém doente, é importante evitar o contato direto, assim como locais fechados com grande número de pessoas. Já o tratamento depende do tipo da doença. A conjuntivite alérgica pode ser tratada com anti-histamínicos; já no caso da bacteriana, podem ser recomendados colírios antibióticos.

Leia mais sobre a conjuntivite em crianças!

Na foto, há um bebê no colo de uma mulher. Ambos são brancos. Ela tem cabelo castanho, liso e comprido. Ele tem cabelo claro e está sem camiseta. É possível ver bolinhas vermelhas em suas costas e braços.
(South_agency/Getty Images)

Rubéola

O que é: considerada uma doença benigna, a rubéola acomete geralmente crianças. Em grávidas, é considerada perigosa por provocar complicações para o desenvolvimento do bebê e requer mais cuidados.

Causas: derivada do Rubella vírus, o contágio se dá por meio de espirro ou tosse. Também pode ser passada de mãe para filho ainda na gestação.

Sinais e sintomas: erupções vermelhas na pele, febre, dores musculares e mal-estar constante.

Prevenção e tratamentos: assim como as demais doenças virais, é importante evitar o contato direto com a pessoa infectada, não compartilhar objetos e utensílios pessoais e estar em dia com a vacinação. O tratamento é feito com medicação para amenizar os desconfortos apresentados durante a manifestação da doença, que tende a desaparecer sozinha. A imunização contra a rubéola também faz parte da vacina tetraviral.

Sarampo

O que é: extremamente contagiosa, é uma doença comum na infância com sinais de febre, tosse persistente, irritação nos olhos e nariz com coriza, seguida (em alguns dias) de manchas avermelhadas no rosto que prosperam em direção aos pés, durando em média 3 dias.

Causas: transmitida pelo Morbillivirus, passa de pessoa para pessoa por meio de saliva (tosse, espirros e fala) e secreções nasais.

Sinais e sintomas: exantemas (pequenas erupções) na pele de cor avermelhada, mal-estar, dores de cabeça e inflamação das vias respiratórias com catarro.

Prevenção e tratamentos: a prevenção se dá pela vacinação (tetraviral), mas evitar o contato direto com pessoas doentes também é recomendado. Para o tratamento, o pediatra indica remédios para amenizar os sintomas e incômodos provocados pela enfermidade.

Saiba mais sobre o sarampo!

Asma

O que é: caracteriza-se pela inflamação crônica das vias aéreas. Uma pessoa com asma tem os pulmões diferentes dos de pessoas saudáveis, especialmente por ter os brônquios mais sensíveis e com chances de inflamar.

Causas: a doença pode se manifestar a qualquer sinal de irritação provocada, por exemplo, por pó, cheiro de perfumes, odor de cigarro, entre outros. Geralmente, está associada a uma propensão genética, ou seja, pais que apresentam quadros de asma podem ter filhos com o mesmo problema ou outros quadros alérgicos.

Sinais e sintomas: tosse, chiado, cansaço e falta de ar.

Prevenção e tratamentos: é importante o diagnóstico do pediatra para avaliar o grau do quadro de asma. Feito isso, o médico indicará o tratamento com broncodilatadores, anti-inflamatórios ou corticoides, além de outras ações que possam minimizar a possibilidade de novas crises respiratórias.

Procura mais informações sobre asma? Clique aqui!

Fonte: Priscila Zanotti Stagliorio, pediatra dedicada ao cuidado materno-infantil

Compartilhe essa matéria via:

 

Publicidade