Continua após publicidade

Médico lista 6 causas de menstruação atrasada que não significam gravidez

A demora - ou até ausência - de um ciclo pode ter motivos variados, que não estão ligados a uma gestação

Por Da Redação
26 jun 2023, 15h56

O atraso da menstruação, sobretudo depois de uma relação sem preservativo ou outros métodos de contracepção, costuma acender aquela luz de alerta que vem acompanhada de muita ansiedade. “Será que estou grávida?”, “e agora?”, “devo fazer um teste?” – são perguntas típicas da cabeça de quase toda mulher nessa situação. 

Publicidade

Apesar disso, o ginecologista Neel Patel listou ao The Sun 6 razões pelas quais a menstruação pode atrasar – e que não têm nada a ver com uma gestação. “Essa não é uma causa imediata de preocupação”, diz.

Publicidade

Caso você tenha tido relação sem proteção, principalmente durante o período fértil, fazer um teste de gravidez pode ser, sim, uma boa ideia, mas é interessante também avaliar outras possibilidades. Veja, a seguir, as principais elencadas pelo médico:

1. Prática mais intensa de exercícios físicos

Você começou a se exercitar, aumentou a prática ou até mudou de atividade – é possível que seu organismo esteja reagindo a essas alterações. “Exercícios em excesso podem causar um estresse no corpo, o que, por sua vez, pode afetar os hormônios responsáveis pelos períodos menstruais“, explica Patel.

Publicidade

Ele recomenda que atletas profissionais busquem orientação médica para que entendam como regular as questões hormonais e a prática intensa de atividades físicas.

2. Situações de estresse

Uma viagem que se aproxima, um momento preocupante no trabalho ou até a própria ansiedade para descartar a possibilidade de gravidez. Situações como essas também influenciam no organismo. “Se você está estressada, sua menstruação podem ser mais intensa, dolorida e mais ou menos duradoura. Ou pode parar completamente“, diz o ginecologista.

Publicidade
Continua após a publicidade

Práticas de autocuidado e psicoterapia são maneiras que o médico aponta para aliviar o estresse.

3. O peso

O especialista afirma que tanto o excesso quanto a restrição de calorias podem agir sobre os hormônios responsáveis pela menstruação. Então, é possível que quem perdeu ou ganhou alguns quilos recentemente perceba a mudança.

Publicidade

“Talvez você note que sua menstruação parou completamente se emagreceu de maneira súbita. Por outro lado, estar acima do peso também pode causar impacto, já que o corpo irá produzir mais estrogênio, o que afeta a frequência da menstruação”, explica. Nas duas situações, o acompanhamento com um nutricionista é recomendável.

Mãos de pele clara femininas segurando uma cartela azul de pílulas brancas.
(belchonock/Thinkstock/Getty Images)

4. Métodos anticoncepcionais

Segundo Patel, existe a possibilidade de que alguns métodos de contracepção, como o DIU e as injeções, levem à suspensão da menstruação. “Isso é normal e, geralmente, não é preocupante”, afirma. As pílulas também podem interferir nos ciclos e, inclusive, serem usadas para atrasar ou pular um período.

Publicidade

5. Síndrome do Ovário Policístico (SOP)

“Ao menos uma pessoa em cada três com SOP tem interrupção dos períodos como resultado dessa condição“, diz o especialista. A questão é que a síndrome influencia o funcionamento dos ovários e, ao não permitir a ovulação, a menstruação pode não acontecer.

Outras características da SOP estão relacionadas ao aumento dos níveis de hormônios “masculinos” (chamado de hiperandrogenismo), o que também interfere nos ciclos.

6. Chegada da menopausa

Por fim, Patel lembra que, com a aproximação da menopausa, a menstruação vai ficando irregular até parar definitivamente. “Isso acontece, tipicamente, entre os 45 e os 55 anos”, afirma, mas as alterações podem começar a aparecer mais cedo. Por volta dos 40 anos ou até antes, ela é chamada de “menopausa precoce“.

Em qualquer uma dessas situações em que se vivencia a irregularidade do ciclo, é importante investigar para saber o que está afetando os hormônios e, consequentemente, a menstruação.

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade
Publicidade