Fraldas reutilizáveis e ecológicas: tudo o que você precisa saber

Não sabe qual escolher? Entenda quais são possíveis vantagens e desvantagens de apostar nas fraldas sustentáveis e onde encontrá-las para comprar.

Por Ketlyn Araujo Atualizado em 31 ago 2021, 15h50 - Publicado em 20 jul 2021, 13h11

Há mais de um ano, a dona de casa Priscila de Castro, mãe dos meninos Davi, de 2 anos e 2 meses, e Isaque, de pouco mais de um mês, abandonou o uso das fraldas convencionais (descartáveis) para inserir fraldas ecológicas na rotina de cuidados com os filhos. A mudança de hábito aconteceu quando Davi completou 6 meses, e foi impulsionada – não somente, mas em grande parte – pelo alto custo das fraldas descartáveis.

Priscila faz parte de um movimento global de mães e pais que defendem o uso das fraldas reutilizáveis em substituição às descartáveis, que nos últimos anos vem ganhando cada vez mais adeptos graças a uma maior disseminação de informação sobre assuntos como respeito ao meio ambiente, veganismo, sustentabilidade e consumo consciente.

“As fraldas ecológicas são a solução para um problema social, e basta entrar em grupos sobre maternidade para perceber a quantidade de pedidos de doações que envolvem tiras de fraldas descartáveis. A população já tem dificuldades para colocar comida na mesa, imagine para colocar fraldas no armário!”, opina a dona de casa.

Apesar de parecerem mais caras à primeira vista, as fraldas ecológicas acabam, de fato, funcionando como opção mais econômica a longo prazo, já que são laváveis, reutilizáveis e geralmente produzidas com materiais biodegradáveis. Porém, muitas mães, pais e responsáveis ainda não estão completamente familiarizados com o conceito, seja por desinformação, falta de acesso ao produto, insegurança ou até mesmo preconceito.

Para tirar todas as suas dúvidas sobre o tema, entender se o investimento se encaixa ou não na sua rotina com os pequenos e, quem sabe, dar mais um passo em prol de um estilo de vida mais sustentável, reunimos as principais informações sobre fraldas ecológicas e endereços virtuais para caso você, ao colocar na balança os prós e contras do utensílio, decida comprá-las.

  • Fralda ecológica X fralda descartável

    Mariana Alves, representante da Verdê Kids (@verde.kids), sessão infantil da marca Loja da Verdê, que faz e revende cosméticos, maquiagens e produtos de higiene e beleza veganos, corrobora com a ideia de que fraldas ecológicas funcionam como alternativas às descartáveis, já que são feitas em tamanhos ajustáveis e podem ser utilizadas desde o nascimento do bebê até o desfralde.

    Apesar do conceito não ser tão novo assim, diferentemente das fraldas de pano usadas no passado, as fraldas ecológicas atuais combinam materiais tecnológicos e, muitas vezes, biodegradáveis, aumentando a durabilidade do produto e reduzindo o impacto ambiental gerado no momento do descarte. Tecidos como tactel e poliuretano laminado (PUL), bem como o chamado dry fit (poliamida e elastano), são comumente usados na produção das fraldas ecológicas, além de ingredientes naturais como carvão de bambu e cânhamo.

    A fralda sustentável pode ser usada pelos bebês e crianças de duas formas diferentes: com ou sem a adição dos chamados absorventes. Eles são faixas com alta capacidade de absorção, costuradas em camadas de tecidos tecnológicos e usadas por dentro da fralda, na intenção de proteger o bebê do contato direto com o xixi por longos períodos. O tempo de duração dos absorventes vai depender do material do qual ele é feito, da idade da criança, do clima e, assim como as fraldas, eles também são laváveis e reutilizáveis.

    “A fralda ecológica pode ser usada por qualquer criança, não apenas por aquelas que sofrem mais com assaduras, dermatites ou são alérgicas”, diz o pediatra e neonatologista Nelson Douglas Ejzenbaum, membro da Academia Americana de Pediatria. Já o uso dos absorventes junto com as fraldas reutilizáveis, completa o médico, não é obrigatório, e depende do que os pais ou responsáveis pela criança consideram mais prático.

    De maneira geral e levando em conta o fator praticidade, as fraldas sustentáveis que contam com o absorvente em seu interior são recomendadas para uso diário e/ou noturno, enquanto que a fralda reutilizável que não tem a faixa extra de proteção deve ser usada como roupa de banho, no mar ou na piscina.

    Estima-se que, em média, fraldas ecológicas suportam de 400 a 600 lavagens no total. Ou seja, segundo Mariana, com a utilização de apenas uma fralda ecológica é possível evitar o descarte de 900 fraldas descartáveis, por exemplo

  • Cuidados com a pele do bebê e com o meio ambiente 

    De modo geral, por não contarem com o uso de substâncias químicas durante o processo de produção, explica Nelson, as fraldas sustentáveis evitam que bebês e crianças apresentem alergias e irritações cutâneas. Além disso, dependendo do material do qual é feita, o seu uso pode auxiliar no processo de respiração da pele da criança, o que previne a proliferação de fungos causadores de assaduras:

    “As fraldas ecológicas têm uma efetividade muito boa, e hoje a gente já sabe que elas são seguras – crianças que são alérgicas às fraldas descartáveis podem usá-las amplamente. Muitas dessas fraldas sustentáveis são feitas com fibras de bambu, e o que acontece é que esse tipo de tecido absorve muito bem os líquidos, fazendo com que a criança tenha menos assaduras”, informa o especialista.

    Priscila concorda ao compartilhar que, além de ter obtido uma economia familiar de quase 90% desde que começou a usar fraldas ecológicas, ela não gasta mais com pomadas para assaduras de bebês. O segredo, então, está em prestar sempre atenção aos componentes da fralda ecológica, consultar o pediatra em caso de dúvida, e optar por aqueles que são menos agressivos à pele do bebê.

    Bebê-usando-fralda-ecológica
    @picsea/Unsplash

    Outras vantagens das fraldas ecológicas são um maior custo/benefício a longo prazo, já que elas são 45% mais baratas que as descartáveis (gastos com água, energia elétrica e sabão para lavagem estão inclusos nessa conta, diz Mariana), além de uma ampla capacidade de reutilização. Isso porque, quando a criança não precisa mais usar uma fralda ecológica, há sempre a possibilidade de o item ser doado para instituições e projetos que ajudam mães ou passando para a frente, para que um próximo bebê ou outro membro da família o utilize, o que contribui consideravelmente para a redução do lixo – já que uma fralda descartável demora cerca de 400 anos para se decompor no meio ambiente.

    “A única desvantagem que eu vejo no uso da fralda ecológica é o fato de você, em algumas ocasiões, ter que guardá-la, mas somente isso. Se você vai para um shopping ou outro lugar público, por exemplo, você vai ter que embrulhar a fralda com xixi ou cocô e carregá-la com você até chegar em casa, o que pode não ser muito prático”, comenta Nelson.

    No mais, as fraldas de hoje, que possuem tanto velcro quanto botões como fecho, podem ser encontradas nas mais diferentes opções de estampas, cores e materiais, o que pode funcionar como um acessório charmoso para as produções do bebê.

    “Existem algumas dicas para um uso inteligente, que ajuda a tornar as fraldas ecológicas mais práticas. Uma opção é usar as fraldas de pano apenas em casa ou para dormir. Se você tiver que sair, pode ser mais prático usar as descartáveis nesse primeiro momento”, completa Mariana.

    Continua após a publicidade
  • Como é feita a lavagem das fraldas reutilizáveis?

    Antes de mais nada, leia as instruções de lavagem encontradas nas etiquetas das fraldas descartáveis que você adquirir, que podem variar de marca para marca. Mas, de maneira geral, Mariana explica:

    • É recomendado começar o processo de lavagem removendo as fezes da fralda (quando houver) e descartá-las direto no vaso sanitário.
    • Coloque a fralda em um recipiente com tampa e deixe acumular uma certa quantidade delas, para que você possa lavar todas de uma vez. Para evitar que o recipiente fique com mau cheiro, ela orienta a adição de uma colher de bicarbonato de sódio ou algumas gotinhas de óleo essencial de melaleuca (ou tea tree) dentro dele.
    • Quando juntar uma boa quantidade de fraldas, elas podem ser lavadas à mão ou na máquina de lavar roupa, com água fria e sabão de coco. O uso de amaciante não é recomendado, mas uma pequena quantidade de vinagre pode ser adicionada ao compartimento correspondente para auxiliar na esterilização das fraldas.
    • Dê preferência para secar ao ar livre, mas o uso da máquina secadora, em temperatura baixa, é igualmente permitido.
  • Gasto de água: maior ou menor?

    Já que as fraldas ecológicas precisam ser constantemente lavadas, uma dúvida comum é se o gasto de água, neste caso, seria maior do que o encontrado na produção das fraldas descartáveis. Mariana garante, porém, que mesmo com o uso da máquina de lavar, a comparação é desproporcional, visto que o processo produtivo das fraldas descartáveis acaba promovendo maior gasto de água e danos consideráveis para o meio ambiente.

    Além disso, ela destaca que a parte absorvente das fraldas descartáveis é feita de celulose, o que significa o uso estimado de cerca de 1 bilhão de árvores para a produção de fraldas descartáveis no mundo todo.

    Quantas fraldas ecológicas comprar? 

    De acordo com a experiência pessoal de Priscila, que utiliza as fraldas para suprir as necessidades de apenas um de seus filhos, 24 fraldas sustentáveis + 48 absorventes reutilizáveis dão conta de sua demanda semanal. Já Mariana diz que, em média, a quantidade necessária de fraldas ecológicas usadas do nascimento do bebê até o desfralde costuma ser:

    Para recém-nascidos:

    • 10 fraldas tamanho RN
    • 25 absorventes
    • 20 capas antivazamentos

    Dos três meses à idade do desfralde:

    • 10 fraldas tamanho único
    • 20 absorventes
    • 20 capas antivazamentos

    Ou seja, um total de 20 fraldas, 45 absorventes e 40 capas representam o que você precisa para fazer a transição, se desejar. Ainda se quiser uma conta mais específica, basta saber quantas fraldas descartáveis seu bebê costuma usar por dia e, assim, obter a quantidade de fraldas ecológicas das quais ele vai precisar. O intervalo de troca de uma fralda ecológica costuma ser o mesmo de uma fralda descartável de qualidade.

  • Fraldas reutilizáveis e a sobrecarga materna

    Outra importante questão para se ter em mente na hora de escolher as fraldas reutilizáveis é garantir que, por conta da necessidade de lavá-las, o hábito não acabe sobrecarregando ainda mais mães que estão passando pelo puerpério. Por mais que o papel do pai durante essa fase seja de dar suporte e auxílio prático e emocional à parceira, sabemos que, na prática, as coisas não costumam funcionar desta forma.

    “No puerpério, a mulher passa por muitas alterações, sejam elas hormonais, físicas ou emocionais, e as demandas com o bebê acontecem em tempo integral. Lavar a roupa da família, neste momento, pode se tornar mais um fator de estresse, e até mesmo um agravante para o seu estado já fragilizado”, explica Eloize Aliane Franco da Silva, psicóloga da clínica Arte Psico. Por consequência disso, ao optar pelo uso das fraldas ecológicas pode ser que o volume de tarefas também dobre, junto com o estresse materno.

    Ela sugere, então, que algumas perguntas-chave sejam respondidas antes da tomada de qualquer decisão: as fraldas podem ser lavadas na máquina? Elas possuem material impermeável para evitar vazamentos? É possível deixar as fraldas já prontas para as trocas? Essa mãe conta com uma rede de apoio ativa e presente?

    No caso de Priscila, que ainda está no puerpério, o uso das fraldas ecológicas não demanda mais tempo ou esforço na rotina de cuidado com os filhos. A experiência dela, que é pessoal e não deve servir como regra absoluta, funciona como solução prática.

    “Se essa mãe precisa lavar as roupas do bebê, por que não lavar as fraldas no mesmo dia, separadamente, ou até mesmo junto com as outras peças, poupando tempo e recursos como água e sabão? Desde que meu segundo filho nasceu, eu tenho colocado as fraldas na máquina de lavar roupas no mesmo dia em que coloco as demais roupas da família”, compartilha a dona de casa

    Para Mariana, a melhor maneira de introduzir o uso da fralda ecológica na rotina de pais e mães é fazê-lo de maneira acolhedora, sem cobranças e sem pressa, considerando que cada pessoa tem diferentes hábitos. “É importante que, quem desejar, passe pela transição de maneira suave e natural, e não é nosso objetivo, como marca, sobrecarregar as mães durante o puerpério – por isso sempre reforçamos que qualquer escolha, por menor que seja, é capaz de fazer a diferença”, ressalta.

    Ela complementa que, se não for possível utilizar as fraldas ecológicas já no pós-parto, vale lembrar que existirão outras oportunidades, quando o bebê crescer mais um pouco. Já se usar as fraldas com frequência também não funcionar para você e sua criança, outra alternativa é ir experimentando o produto em conjunto com as fraldas descartáveis.

    “É importante sempre visualizar os benefícios [da fralda ecológica] e entender que ela é uma opção para atender a uma necessidade da mãe, e não para ser uma cobrança. Deve ser algo agradável e praticado no momento certo, de acordo com o perfil de cada um”, expõe.

    Eloize, que parte do mesmo pressuposto, acrescenta a importância tanto do diálogo quanto da divisão de tarefas caso essa mãe queira investir nas fraldas reutilizáveis. “Sabemos que, além da questão ecológica, esse tipo de fralda também pode gerar uma boa economia para a família, mas ao escolher seu uso é preciso ter uma conversa aberta com o companheiro (a) ou rede de apoio, para apontar os pontos positivos e negativos”, analisa a especialista.

    Logo, a mãe não deve ser unicamente responsável por essa decisão, ainda mais em um momento tão sensível. É preciso que quem a acompanha e a auxilia também garanta esse suporte na transição para o produto.

  • Onde comprar?

    Selecionamos algumas marcas brasileiras, com preços e propostas distintos, responsáveis pela produção ou revenda de fraldas ecológicas e absorventes reutilizáveis.

    Continua após a publicidade
    Publicidade