8 podcasts com temas necessários que pais e mães deveriam repensar

A proposta desta seleção é convidar a família a sair da sua zona de conforto e se preparar para diálogos importantes com as crianças no futuro.

Por Alice Arnoldi Atualizado em 8 fev 2022, 13h13 - Publicado em 7 fev 2022, 15h10

Para que as crianças possam crescer em um mundo mais acolhedor com quem elas são e menos violento, é preciso que pais se munam de informações sobre variados temas, inclusive os desafiadores, que inevitavelmente surgirão ao longo da jornada dos filhos. E, para isso, os podcasts podem ser ferramentas potentes para aqueles que gostam de aprender ouvindo.

Nesta seleção, a ideia não é que pais e filhos sentem juntos para ouvir os conteúdos. Eles são pensados para adultos refletirem sobre problemáticas importantes, como diversidade sexual, racismo e abuso, e mais tarde tenham entendimento necessário para iniciar diálogos precisos sobre estes temas com os pequenos, respeitando seus limites de compreensão.

Os programas são convites para sairmos de nossas zonas de conforto e nos prepararmos para responder as dúvidas difíceis das crianças, mas fundamentais para que elas cresçam com consciência sobre o próprio corpo, atentas a tudo o que podem ser e cautelosas para que, neste processo, nunca venham a faltar com respeito ao próximo. Você topa? Então…

Bora dar o play!

1. Diversidade sexual

Reconhecer-se dentro da comunidade LGBTQIA+ não é um processo simples e/ou linear, principalmente quando se vive em um país que andar de mãos dadas com alguém do mesmo gênero é correr o risco de sofrer diferentes formas de violência.

Com este cenário da porta de casa para fora, a esperança é que ele seja diferente dentro dos lares e, para isso, se informar é o primeiro passo. Para desconstruir o preconceito que existe em torno de pessoas bissexuais, por exemplo, pais podem ouvir o podcast “Biscoito”, apresentado por Babu Carreira, Gui Neves e Taty Leite.

Já para entender que orientação sexual não é confusão de criança ou adolescente, vale conferir o “Aqui Não Violante”. Ele é apresentado por um homem gay, preto, periférico, de 30 anos, que se propõe a discutir tanto quais foram as barreiras que precisou derrubar para chegar até aqui quanto o que o impulsionou para ter tanta bagagem de vida.

O convite do podcast é para sair da zona de conforto, questionar os preconceitos que nos são ensinados desde cedo e trabalhar internamente para que eles não sejam repassados para a próxima geração.

2. Racismo

Ainda na temática de diversidade, um assunto que não pode passar despercebido pelos pais é o racismo. Ele existe, faz vítimas diariamente em todo o mundo e, só quando temos a coragem de discuti-lo, é que repensamos quais atitudes do dia a dia podem minimizar os danos ou expandi-lo brutalmente.

Um dos responsáveis por mover esta temática dentro da podosfera é o “Afetos”, programa apresentado por Gabi Oliveira e Karina Vieira. Como o próprio nome diz, as duas se propõe a conversar sobre sentimentos a partir da perspectiva de duas mulheres pretas – um local social que, muitas vezes, é roubado destas figuras femininas.

Na mesma linha, há também o “Mano a Mano”, do rapper Mano Brown, que a cada episódio traz um convidado diferente para debater sobre temáticas sociais, que variam de acordo com quem ele está dividindo o microfone.

A preciosidade do podcast está na escolha dos entrevistados, sempre vozes plurais, a maioria negra, e que ampliam as discussões do momento. Com muita sinceridade, Mano tem uma escuta muito interessada pelo entrevistado, mas sem deixar de lado suas ideias e sua perspectiva como homem preto.

Assim, o convite para pais negros é a importante representatividade ouvida. Já para brancos, a missão é entender o que é ser preto no nosso país para que crianças aprendam sobre as raízes preconceituosas da história brasileira e não as repercutam.

Continua após a publicidade

3. Saúde Mental

Este, sem dúvidas, foi o tema de 2020 e 2021 após a dura experiência da pandemia causada pela Covid-19, que nos levou ao isolamento social completo e à perdas importantes por causa da doença. No entanto, sabemos que muitas pessoas estão esgotadas de falarem sobre saúde mental, mas a boa notícia é que o podcast “Meu Inconsciente Coletivo”, apresentado por Tati Bernardi, colunista da Folha de S. Paulo, traz uma proposta diferente.

Tati apresenta o programa como se estivesse em um divã, em que é atendida por um especialista diferente a cada consulta. Para quem é ouvinte, isso ajuda a entender as diferentes linhas que existem na psicologia e, quem sabe, finalmente colocar luz em assuntos latentes, mas pouco discutidos.

Conseguir fazer as pazes com isso é entender que o mesmo pode acontecer com as crianças e elas precisam ser ensinadas que existe um lugar seguro em que elas podem dividir suas dúvidas e sentimentos doloridos, como a tristeza e a angústia.

4. Violência sexual

Os dados sobre violência sexual são devastadores: em 2020, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostrou que uma menina de até 13 anos é estuprada a cada 15 minutos. Esse é o tipo de informação que embrulha o estômago, mas também nos lembra que é preciso desmistificar o tema e conversar sobre ele abertamente para que seja possível reverter o quadro.

É isso que propõe o podcast “Abuso”, da jornalista Ana Paula Araújo, lançado em 2021 na plataforma do Globoplay. Trata-se de uma adaptação do seu livro “Abuso: A Cultura de Estupro no Brasil”, em que o objetivo é fazer com que conceitos complexos sejam entendidos por todos – como o que é consentimento ou até mesmo o que significa viver em um país em que uma de suas raízes é a violência sexual.

Inclusive, Ana Paula traça a narrativa do programa com recortes de histórias de adolescentes que foram abusadas sexualmente, que ouviu durante a produção do livro, o que torna o podcast denso na mesma proporção em que é necessário.

E aqui fica o lembrete aos pais: só conseguimos explicar assuntos complexos para as crianças quando eles já estão claros para nós, por isso, não tenha medo de mergulhar em temas como este – afinal, em algum momento da trajetória da criação de sua criança será necessário falar a respeito para protegê-la.

5. Relacionamentos

Já para quem quer refletir sobre impasses inerentes ao ser humano e, quem sabe, encontrar soluções para as suas próprias dúvidas, trazemos duas boas indicações. A primeira é o podcast “Dilemas”, apresentado por Lua Barros e Pedro Fonseca, em que como o próprio nome diz, eles conversam sobre os relatos de seus ouvintes, enviados de forma anônima (as mulheres são chamadas de “Valentina”, e os homens de “Enzo”).

Pais de quatro crianças, Lua e Pedro já refletiram ao menos sobre 120 temas diferentes, afinal, o programa já soma essa quantidade de episódios. Eles propõem ao público sair da zona de conforto e trazer à mesa assuntos como sexualidade, saúde mental, parentalidade e entre outros.

A segunda opção é o “Para dar Nome às Coisas”, da jornalista e escritora Natália Souza. Com episódios liberados semanalmente, às quartas-feiras, a autora discute temas a partir de uma experiência que teve durante a vida e que, com certeza, você se lembrará de alguma semelhante que também já viveu.

Além dessa sensação de proximidade e pertencimento, os episódios nos convidam a entrar em contato com a vulnerabilidade do que é existir por completo, sem fugir dos momentos difíceis. É um bom exercício de escuta para que, mais para frente, seu filho possa ser encorajado a viver inteiramente, mesmo diante das frustrações e tristezas que passamos.

 

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade