Mulher confunde gravidez com menopausa e dá à luz aos 47 anos

Achando que não seria possível engravidar naturalmente naquela idade, neozelandesa se surpreendeu com o teste positivo.

Por Carla Leonardi Atualizado em 10 jun 2022, 15h22 - Publicado em 10 jun 2022, 15h12

Não é atípico que a ausência da menstruação após os 45 anos, ainda que logo depois de uma relação recente, seja suspeita da chegada da menopausa, e não de uma gestação. Mas foi justamente aí que a neozelandesa Tania Behrns se enganou. A terapeuta de beleza, que já tinha desconsiderado a possibilidade de se tornar mãe (ela não tinha outros filhos), se surpreendeu ao ver os dois tracinhos no teste de gravidez.

Agora, aos 48 anos, Tania é mãe da pequena Anastasia, que já completou um aninho e é considerada um “verdadeiro milagre”. “Eu sempre fui muito focada na minha carreira, então aos 44 anos eu apenas aceitei que nunca me tornaria mãe”, disse em entrevista ao jornal britânico The Mirror.

Notícia The Mirror
mirror.co.uk/Reprodução

“Há alguns anos, eu estava saindo com uma pessoa há sete semanas e minha menstruação não veio… Supus que a menopausa tinha chegado, mas uma amiga insistiu para que eu fizesse o teste de gravidez. Só comprei o teste para agradá-la, já que eu não imaginava ser possível engravidar naturalmente aos quarenta e tantos anos“, relatou.

A idade considerada avançada para uma gestação trouxe receios a Tania, que temia não poder levar a gravidez a termo. As primeiras 12 semanas, contou a neozelandesa, foram de muito medo. “Eu não acreditava que alguém da minha idade pudesse ter um bebê”, lembrou.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Tania Behrns Beauty and Soul (@taniabehrns)

Continua após a publicidade

 

Depois do susto

Contrariando as próprias expectativas, Tania descobriu que o bebê estava saudável e, a partir daquele momento, viveu uma gestação tranquila, que resultou em uma cesárea na 39ª semana, em maio de 2021. “Eu amei ficar grávida, minha pele brilhava e eu me sentia ótima”, disse a mamãe da Anastasia. Apesar da alegria, Tania lembra que nem todos apoiaram a continuação da gravidez. “Não faziam comentários na minha frente, mas eu sei que algumas pessoas ficavam se perguntando por que eu teria um bebê na minha idade”, contou.

Tania disse ainda que ela e o pai de Anastasia se separaram, o que aumentou ainda mais a carga de trabalho conciliada com a maternidade: “Como mãe solo, é difícil administrar meu tempo. Eu gosto de trabalhar e de estar disponível para os meus clientes, então é um malabarismo conciliar a maternidade e minha carreira. Agora eu trabalho horas limitadas e Anastasia tem muito tempo diretamente comigo. Ela é minha prioridade absoluta”.

Compartilhe essa matéria via:

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade