‘Vampirina’ é o desenho perfeito para falar sobre respeito às diferenças

Conversamos com o co-produtor da série da Disney, Norton Virgien, que pontuou: "Nossas histórias trazem temas difíceis para os pais falarem com os filhos".

Ela tem cabelos de morcego, dentes afiados e mora numa casa assustadora. Ou como diria a personagem: “Espantacular!”. Vampirina tem todos os elementos que poderia assustar as crianças menores, mas a personagem da Disney é uma menininha – diferente, sim! – mas incrivelmente fofa e interessante. Protagonista do desenho animado batizado com seu nome, ela está sempre tendo que lidar com o novo, já que se mudou da Transilvânia para a Pensilvânia, nos EUA.

Com novos amigos, uma nova escola e administrando com sua família um pequeno hotel – que também é sua casa – Van está sempre tendo que lidando com o dilema que é se adaptar em uma cidade onde todos são humanos, exceto por ela e sua família. Tudo isso sem perder suas verdadeiras raízes e as características que a tornam singular. Um ótimo enredo pensando no tempo em que vivemos, onde é fundamental aprender sobre diversidade, respeito à cultura e etnia, individualidade e empoderamento. 

Lançado no Brasil em 2017, o seriado é um dos maiores sucessos mundiais do canal Disney Junior e inclusive já se tornou um personagem que circula pelos parques temáticos da Disney (sim, quem visita as atrações em Orlando pode ver Vampirina andando junto ao Mickey e ao Pateta! Já pensou?).

Tamanha a popularidade fez com que a animação ganhasse sua segunda temporada, que chegou à América Latina no dia 6 de abril. Para saber mais sobre os bastidores e sobre que podemos esperar desta continuação, o Bebê.com.br conversou com Norton Virgien, co-produtor executivo da série. Além de “Vampirina”, ele já dirigiu outras produções de sucesso, como “Rugrats”, “Doutora Brinquedos” e “Tutenstein”, que o fizeram ganhar três Emmy Awards.

Segredos para um desenho de sucesso

Mas, afinal, qual é a receita para fazer um seriado prender tanto a atenção da criançada? De acordo com o co-produtor executivo, o pontapé inicial é pensar em algo inesperado, que quebre algumas “regras” e surpreenda os espectadores. “Nós achamos algo que parece impossível e fazemos funcionar. Por exemplo, mostrar vampiros para crianças pequenas é algo ousado de se fazer. Naturalmente, nossa vampirinha é super fofa, mas continua tendo pele azul, dentes pontudos, voa como um morcego”, aponta Norton.

Além da inovação ao trazer personagens de um universo assustador para a faixa etária pré-escolar, outro grande diferencial da série é justamente a mensagem que carrega, sobre respeitar as diferenças étnicas, culturais e individuais – seja em uma relação entre humanos e vampiros ou, trazendo para o mundo real, entre pessoas com cores de pele e bagagens culturais diferentes.

“Acredito que a Disney assume a responsabilidade de usar o tempo dos programas de maneira inteligente, colocando no ar animações que fazem as crianças se sentirem diferentes sobre o mundo, abrindo seus olhos de certa forma. Para mim, é justamente o que deveríamos estar fazendo.”

Norton Virgien

“Ao longo da história, a Disney teve muito mais personagens que se pareciam com a Branca de Neve do que personagens mais diversos. Eles ganham muitos pontos ao se moverem na direção de representar as crianças”, diz.

Ele também se mostra otimista a respeito do poder da animação, que consegue traduzir de forma leve e bem-humorada questões complexas para os baixinhos. “Nossas histórias trazem temas que por vezes são difíceis para os pais falarem com os filhos, e, se assistirem ao programa juntos, podem conversar depois, tirando algo de bastante proveitoso disso”, comenta Norton.

Mais que pregar o respeito à diversidade, o premiado diretor acredita no potencial da série para falar sobre outro assunto importante: identidade. “Eu gostaria que as crianças captassem a grande mensagem de que: seja quem você é, não tente ser quem você acha que as pessoas querem que você seja (…) Na primeira temporada, por exemplo, as crianças vizinhas descobriram que Vampirina era uma vampira e decidiram ‘nós somos amigos de qualquer jeito, vamos permanecer assim'”, pontuou ele.

As crianças são ouvidas sim!

Apesar de tanta experiência com desenhos infantis, familiarizar-se com a linguagem das crianças para tornar a animação agradável pode não ser uma tarefa fácil – e Norton revelou como torna o processo possível. “A maioria das pessoas com quem eu trabalho estão na casa dos 20 ou 30 anos, então eles me ajudam a me manter atualizado. Além disso, a maioria de nós têm filhos, alguns mais novos e outros já crescidos”, conta.

“Quando fizemos ‘Rugrats’, nós olhávamos para nossos filhos brincando no chão, e agora acompanho meu netos. Continuo em contato com as crianças e vendo como elas agem. As mudanças no conceito e estilo são bem naturais se você continua empenhado”, acrescentou.

Outra estratégia adotada pela empresa norte-americana é de ouvir os pequenos e aproveitar seus feedbacks para melhorar a produção. “A Disney’s Junior é muito boa em coletar a opinião das crianças na hora de desenvolver seus programas de TV”, reconheceu Norton. Desde o princípio, a história é levada aos pequenos e são feitas algumas “sondagens”, perguntando a eles qual o seu personagem preferido e se ficaram confusos em algum momento, por exemplo. “Aprendemos muito com as crianças”, completa.

Tá, e o que muda na segunda temporada?

Embora a continuação do desenho siga trazendo a trama da família Sangueson, Norton revela que a estrutura da nova temporada foi modificada, deixando a história ainda mais dinâmica. “A segunda temporada faz muito o que os programas adultos costumam fazer: conta uma história que evolui; não são apenas episódios de onze minutos que se encerram em si”, conta.

De acordo com ele, os personagens queridinhos continuarão, mas veremos algumas novidades, como várias criaturas diferentes sendo recebidas no Hotel do Pavor. O pequeno Edgar, irmão de Poppy – a melhor amiga de Vampirina – também aparecerá mais esperto e suspeitando que os monstros estão por perto, o que garantirá boas doses de risadas aos espectadores.

Estas cenas cômicas, pensadas para entreter o público, ganham, segundo Norton, ainda mais importância neste momento de pandemia em que vivemos, funcionando como uma espécie de “alívio” da realidade. “Estamos cientes de que nossos programas podem trazer uma grande quantidade de entretenimento e conforto para as crianças e suas famílias – principalmente agora, quando precisamos tanto”.

Quem aí ficou curioso para assistir à segunda temporada depois de tantas revelações bacanas? Os novos episódios de “Vampirina” trazem duas histórias de 11 minutos de duração e uma canção original e vão ao ar todos os sábados às 10h15, com reprises nas segundas e terças às 13h45, no canal Disney Junior.

Para quem ainda não conhece a Van, é só dar o play!

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.