Receba newsletters grátis!

Faça o cadastro e receba por e-mail informações sobre sua gravidez e filhos

  • Gravidez
  • 1º ano
  • 2º ano
  • 3º ano
  • 4º ano
  • 5º ano
  • 6º ano

Navegue pela linha do tempo do seu filho

Beleza

Momento certo para tratar a flacidez

Maria Dolores Atualizado em 02.12.2011
Momento certo para tratar a flacidez

Getty Images

Saiba a hora certa de planejar um procedimento cirúrgico para eliminar todos os excessos da gestação e os cuidados necessários que devem acompanhar essa decisão

O corpo feminino passa por uma verdadeira metamorfose ao longo da gestação. A pele, principalmente a da região abdominal, é submetida a um processo de estica-e-puxa - para não falar nos vários quilos que muitas mulheres ganham durante a gravidez. Daí, não é de estranhar que o grande foco da batalha pela reconquista das formas perdidas seja a tentativa de dar cabo das gordurinhas em excesso e da flacidez. "Nesse caso, o correto é aguardar, pelo menos, um ano para realizar qualquer procedimento cirúrgico ou o fim de amamentação, caso ela ultrapasse esse intevalo", diz a obstetra e ginecologista Suzana Pires do Rio, do serviço de pré-natal de alto risco da maternidade Odete Valadares/ FHEMIG, em Belo Horizonte. É que o organismo só retorna ao estado pré-gestacional depois desse intervalo.

 

"Durante esses 12 meses, a prioridade deve ser a amamentação", explica Suzana. "Isso porque a mama está preparada para a lactação. Assim, não é o momento ideal para a mãe fazer uma correção estética." A recomendação é válida mesmo para quem não pôde amamentar. "Após uma plástica nas mamas, a paciente não pode carregar peso, fica com os movimentos limitados e isso atrapalha a interação dela com o filho", reforça a obstetra. A quarentena de 365 dias também precisa ser adotada antes de apelar para procedimentos como a abdominoplastia, que promete dar um trato na barriga saliente, e a lipospiração, famosa por eliminar os pneus. "No caso da lipo, essa medida é necessária para termos um parâmetro da quantidade de gordura que deve ser retirada", explica o cirurgião plástico Fernando Prado Neto, presidente da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. A regra, claro, se aplica à abdominoplastia. "Temos de esperar o útero e o abdome regredirem para sabermos exatamente o que fazer. Isso garante um melhor resultado", afirma o cirurgião plástico.

 

Passada toda essa espera, ainda é necessário avaliar outros fatores antes de tomar uma decisão junto ao seu médico. "Se a mulher pensa em engravidar novamente, o ideal é que faça a abdominoplastia ou a mamoplastia depois de encerrar a vida gestacional", orienta o cirurgião plástico Gustavo Gibin. "Nós nunca sabemos o que vai acontecer com o corpo durante a gravidez, mas é provável que o resultado da plástica seja perdido", explica Prado Neto. Segundo o consenso geral dos cirurgiões, a mamoplastia bem-feita não atrapalha a amamentação. No entanto, a obstetra Suzana alerta para as cirurgias redutoras. "Se houver a retirada de glândulas mamárias, haverá uma queda na produção de leite", destaca. Por isso, é fundamental conversar com o cirurgião sobre como será o procedimento.

 

Por fim, fica um recado: "Recomenda-se que a paciente consulte a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para saber se o cirurgião é membro da sociedade", ressalta Prado Neto.


Recomendamos Para Você