Continua após publicidade

Criança pode tomar melatonina?

BEBÊ RESPONDE: confira a explicação de especialistas sobre o uso desse hormônio que está cada vez mais popular no Brasil

Por Carla Leonardi
Atualizado em 23 nov 2023, 21h31 - Publicado em 30 out 2022, 10h00

Desde que a melatonina passou a ser autorizada no Brasil como suplemento alimentar, sendo comercializada sem necessidade de prescrição médica, o interesse pelo hormônio tem ficado cada vez maior. Hoje, até mesmo versões direcionadas ao público infantil já são encontradas nas prateleiras, inclusive em versão de gomas. Mas, afinal, qualquer criança pode consumir melatonina? Ou há indicações precisas?

Publicidade

Conversamos com o pediatra Paulo Telles, da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), e com a farmacêutica Michelle Reis, da Phytocare Manipulação, para entender melhor essa questão. Confira a seguir!

Publicidade

A melatonina é um hormônio natural secretado pela glândula pineal do nosso cérebro e tem como função ajudar no processo de iniciação do sono, como um gatilho para que possamos dormir. Sua produção é estimulada com a ausência de luz, ou seja, no anoitecer.

Sem dúvidas, observamos esse movimento de aumento da procura após a liberação, tanto em adultos como em crianças e adolescentes. Cada vez mais os pais questionam e buscam a melatonina como solução para os problemas de sono, e é claro que o mercado está acompanhando a demanda”, pontua o pediatra Paulo Telles.

Publicidade

Os benefícios do hormônio

“A melatonina tem a ação de melhoria na qualidade do sono e é um potente antioxidante que contribui para o fortalecimento do sistema imune e auxilia no controle de doenças psicológicas. Hoje, ela é um dos suplementos mais utilizados por adultos para o auxílio na indução do sono e, no Brasil, temos a melatonina infantil em gomas, o que facilita também a administração e adesão ao tratamento.

Continua após a publicidade

Para crianças, porém, o uso deve ser sempre com prescrição do pediatra. Há estudos nos Estados Unidos, por exemplo, que relatam uso irracional da melatonina em crianças ocasionando intoxicação. Por esse motivo, deve-se usar a dose correta, mesmo que em gomas. Além disso, ainda que a dispensação da medicação seja sem prescrição, é preciso lembrar da possibilidade de que existam crianças com outras patologias que, associadas à melatonina, podem até mesmo se agravar”, acrescenta a farmacêutica Michelle Reis.

Publicidade
Na foto, criança dormindo na cama, coberta. No plano de fundo, uma mulher está apagando a luz e saindo pela porta. Há um filtro azul sobre a imagem, o que não permite ver as cores. Há uma ilustração de zzzz saindo da cabeça da criança.
(Arte: Bebê.com.br/ Foto: Yuri_Arcurs/Getty Images)

Riscos e benefícios da melatonina

“A melatonina é considerada relativamente segura para uso a curto prazo e tem poucos riscos. No entanto, algumas crianças que tomam suplementos desse hormônio podem apresentar sintomas leves, que incluem enurese noturna, sonolência, dores de cabeça e agitação.

Continua após a publicidade

Atualmente, há poucas pesquisas sobre os efeitos a longo prazo do uso de melatonina em crianças, mas alguns especialistas questionam se, por ser um hormônio, ela pode afetar a produção endógena da criança e causar problemas futuros. Existe também a preocupação de que a melatonina possa alterar o desenvolvimento hormonal em adolescentes, afetando crescimento e desenvolvimento, particularmente durante a puberdade.

Publicidade

Uma boa indicação é para as crianças com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e com Transtorno do Espectro Autista (TEA), que costumam apresentar problemas de sono. Já temos estudos nesses dois grupos mostrando benefícios no tempo de sono, sem efeitos colaterais importantes. Mas é muito importante ressaltar que a melatonina não deve ser usada em crianças menores de 5 anos, já que não existem evidências científicas suficientes”, alerta Telles.

Higiene do sono

“O sono é essencial para as crianças por várias razões. É dormindo, por exemplo, que o corpo libera hormônios de crescimento e repara tecidos e músculos danificados. Se a criança estiver apresentando problemas e dificuldades para adormecer ou se ela não dormir o suficiente, é preciso falar com o pediatra. A melatonina não deve ser vista como uma solução mágica, e o mais importante é praticar uma boa higiene do sono.

Publicidade

Uma rotina na hora de dormir fornece conforto para ajudar o pequeno a adormecer. Algumas recomendações são incluir atividades relaxantes, como tomar banho, ler um livro, cantar canções de ninar e até meditar. Também vale restringir o uso de eletrônicos de uma a duas horas antes de dormir, porque a luz azul dos dispositivos, como telefones, tablets, TVs e consoles de videogame, pode atrasar o início da liberação natural de melatonina”, finaliza o médico.

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade
Publicidade