Continua após publicidade

Surto de pneumonia em crianças na China preocupa OMS

A Organização Mundial da Saúde pediu esclarecimentos sobre aumento de casos de hospitalização infantil no norte do país. Entenda!

Por Carla Leonardi
Atualizado em 23 nov 2023, 12h36 - Publicado em 23 nov 2023, 12h03

O aumento abrupto de crianças internadas em diferentes regiões da China levou o ProMED, programa de vigilância da Sociedade Internacional de Doenças Infecciosas, a emitir um alerta sobre a “doença preocupante” e, na última quarta-feira, 22, a Organização Mundial da Saúde (OMS) cobrou informações sobre a gravidade da situação.

“Com o surto de pneumonia na China, hospitais infantis em Beijing, Liaoning e outros lugares estão lotados com crianças doentes, e as escolas estão à beira da suspensão das aulas”, diz o relatório do ProMED. Em Beijing, “elas não tossem e não têm sintomas, apenas altas temperaturas (febre) e muitas desenvolvem nódulos pulmonares (…). O ProMED espera por mais informações definitivas sobre a etiologia dessa doença preocupante. Ainda é cedo para projetar se poderia se tornar uma nova pandemia“, finaliza o texto.

Até o momento, não foram relatadas mortes, mas um aumento considerável de casos de doenças respiratórias apontado pela Comissão Nacional de Saúde, ainda no dia 13. De acordo com o último comunicado da OMS, foram requisitadas mais informações clínicas e epidemiológicas, bem como testes laboratoriais dos chamados “clusters” – agrupamento de casos parecidos em uma mesma região e dentro de um mesmo período.

Bebê deitado e mão adulta segurando termômetro

Continua após a publicidade

Para especialistas, não se trata de um novo vírus

Por enquanto, a organização recomenda que a população chinesa siga as orientações sanitárias para evitar o contágio dos vírus, reforçando a necessidade de manter a vacinação em dia, evitar o contato com pessoas doentes, manter distanciamento social quando apresentar sintomas, lavar as mãos regularmente e usar máscara.

Continua após a publicidade

Diante da situação, cientistas analisaram o relatório no Science Media Centre, tranquilizando a comunidade internacional. Para o Professor Paul Hunter, da Universidade de East Anglia, o surto não parece ser causado por um novo vírus. “Os poucos casos reportados em adultos indicam que há imunidade desenvolvida por exposição prévia”, afirmou.

Zania Stamataki, da Universidade de Birmingham, concorda com ele: “Não há nenhuma evidência atualmente de que o aumento de casos de pneumonia em crianças seja ocasionado por um novo vírus”. Francois Balloux, da University College London, por sua vez, lembra que a China teve o maior tempo de lockdown e que o aumento brusco de crianças doentes no inverno não é atípico depois de tanto tempo de restrições.

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade
Publicidade