Adenovírus em crianças: 7 perguntas e respostas

O que são os adenovírus e o que você precisa saber sobre eles neste momento em que casos de hepatite aguda estão sob investigação? Reunimos tudo aqui.

Por Vanessa Gomes Atualizado em 12 Maio 2022, 17h32 - Publicado em 12 Maio 2022, 17h31

Depois de dois anos de uma pandemia, não deu nem tempo de as famílias respirarem antes de surgir outra preocupação. Uma onda de hepatite severa que afeta, principalmente, crianças menores de 12 anos, tem intrigado especialistas. A doença já causou mortes confirmadas por autoridades de saúde e foi notificada em mais de 20 países. Ainda não se sabe a causa exata desse registro maior do que o comum e cientistas do mundo inteiro já estão se mobilizando por respostas. Um ponto que chamou a atenção dos médicos foi que parte das crianças diagnosticadas com hepatite grave nas últimas semanas testou positivo para o adenovírus 41. E agora?

Embora ainda não haja relação estabelecida e a presença do adenovírus no organismo dessas crianças possa ser apenas uma coincidência, sem relação com a hepatite, até o momento, o tema tem deixado pais e mães de cabelo em pé. É provável que você ou até mesmo seu filho já tenham tido infecções por adenovírus antes e nem saibam disso. Para te ajudar a entender melhor, conversamos com especialistas, que responderam às principais perguntas sobre esse tipo de vírus.

Bebê deitado e mão adulta segurando termômetro
Milos Dimic/Getty Images

O que são os adenovírus?

Os adenovírus são, na verdade, uma família de vírus com essa terminologia. Eles infectam, geralmente, células das vias aéreas, causando sintomas respiratórios. Também costumam afetar o trato intestinal. Existem mais de 50 tipos de adenovírus. 

Como os adenovírus afetam as crianças?

Os adenovírus humanos são causadores frequentes de resfriados comuns. Também podem causar conjuntivite, crupe, bronquite, pneumonia e sintomas intestinais, como diarreia.

Quais são os sintomas?

Os principais sintomas de infecções por adenovírus são os mesmos de um resfriado, como tosse, coriza, espirros, dor de cabeça e dor de garganta. Também há a irritação no olho e a secreção nos olhos, nos casos de conjuntivite adenoviral. Quando afeta o trato digestivo, a criança pode ter dor de barriga, vômitos e diarreia

Continua após a publicidade

Adenovírus pode ser grave?

Normalmente é uma doença benigna. É raro levar a algum tipo de preocupação mais séria. Não há, praticamente, relatos de óbitos por adenovírus em crianças saudáveis. No entanto, a necessidade de internação pode acontecer em caso de evolução do quadro clínico, o que é mais provável em crianças comprometidas imunologicamente, transplantadas, entre outras. Nesse caso, pode haver mais complicações, como insuficiência respiratória – não porque o vírus seja mais agressivo, mas porque a imunidade é muito baixa. 

Como prevenir infecções por adenovírus?

Os adenovírus são transmitidos por secreções contaminadas, seja pela saliva ao falar, tossir, espirrar, colocar a mão na boca ou no nariz e depois tocar a mão de alguém… Eles também podem ser transmitidos pelas fezes. A prevenção é, portanto, a mesma que usamos para outros vírus  – e se tem algo que aprendemos com intensidade nos últimos dois anos foi isso, não é mesmo? Já sabe: lavar bem as mãos, sobretudo depois de usar o banheiro, mas também várias vezes ao dia, usar álcool em gel, evitar compartilhar objetos de uso pessoal, manter a higiene de superfícies, ter cuidado com brinquedos que a criança coloca na boca e evitar compartilhá-los, além de higienizá-los sempre.

Mãos adultas colocando álcool em gel em mãos infantils
Marko Geber/Getty Images

Como tratar infecções por adenovírus?

Não há um antiviral para os adenovírus. O que se faz é tratar apenas os sintomas, sempre com orientação do pediatra, e aguardar. Os sintomas costumam durar de uma a duas semanas. 

Qual é a relação do adenovírus com os casos de hepatite severa em crianças?

Por enquanto, só existem teorias e ainda não está determinado se existe alguma relação. O que se sabe é que parte das crianças doentes com hepatite severa testaram positivo para adenovírus do tipo 41. Não há nenhuma explicação científica convincente até o momento para esses casos de hepatite, se o adenovírus está implicado neles ou qual seria o mecanismo. O jeito é ficar de olho nos sintomas do seu filho e aguardar os próximos estudos.

Fontes: Renato Kfouri , pediatra e infectologista, presidente do Departamento Científico de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP); Nelson Douglas Ejzenbaum, pediatra e neonatologista, membro da Academia Americana de Pediatria (AAP).

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade