‘Não é só gordura?’: mãe desabafa sobre gordofobia sofrida na gravidez

A influenciadora digital Camila Monteiro deixou um recado bem claro para quem tem comentado sobre seu corpo: "O peso da mulher grávida não te diz respeito".

Por Alice Arnoldi Atualizado em 3 ago 2021, 12h00 - Publicado em 3 ago 2021, 11h46

A exposição do próprio corpo nas redes sociais não é um convite ou porta de entrada para qualquer tipo de comentário sobre a aparência alheia, especialmente quando essas falas ainda usam “gorda” como xingamento e, para mulheres grávidas, traçam um percurso de invalidação ao questionarem a saúde do bebê diante do sobrepeso e se a barriga à mostra é realmente de uma gestação ou apenas gordura.

Entre as tantas grávidas que sofrem com esses tipos de comentários, está a influenciadora digital Camila Monteiro. Na última postagem feita em seu Instagram – que teve mais de 300 mil curtidas-, ela mostrou algumas das ofensas gordofóbicas (ato de repulsa e julgamento diante do corpo gordo) que tem recebido durante a gravidez.

“Nem parece que está grávida. Tem certeza que não é só gordura e está com vergonha de admitir que ficou enorme de novo?”, escreveu uma das seguidoras em sua foto. No privado, o mesmo tom de piada é usado: “Amiga, você não está parecendo grávida, está parecendo uma mamãe Noel. Barriga gorda e disforme”, comentou outra pessoa, quem Camila preservou a identidade no print.

  • É preciso quebrar o silêncio!

    Após mostrar a sequência de comentários, Camila usou a legenda da publicação para escrever uma mensagem necessária às mulheres que têm vivido situações semelhantes a dela.

    “O corpo de uma mulher grávida passa por inúmeras transformações: físicas, químicas e psicológicas. Hoje você tem um corpo e em um piscar de olhos… Tudo muda! A maior parte das gestantes ganham peso e isso é completamente normal e esperado. Nossa pele também muda. Muitas grávidas ganham estrias, celulites, acnes e manchas… Até nos questionamos ‘cadê o glow da gravidez que tanto falam?’, afinal, nem todas as grávidas se sentem reluzentes”, desabafou a influenciadora.

    Com esse lembrete de que cada gestação e maternar são singulares, Camila foi objetiva a respeito dos comentários que recebe sobre seu corpo: “A gravidez deixa a mulher vulnerável. Sensível. À flor da pele. A última coisa que queremos é alguém palpitando sobre o nosso corpo. Se fora da gravidez já é ruim, vivendo a gravidez se torna péssimo. Se torna CRUEL. O peso da mulher grávida não te diz respeito. O formato da barriga da mulher grávida não é da sua conta”.

    Continua após a publicidade
  • A dor de não registrar a própria gestação 

    Ainda que a influenciadora digital continue registrando a gravidez, mesmo diante dos comentários ofensivos, essa não é a realidade de todas as mulheres. Na sua publicação, Camila também mostrou casos de gordofobia sofridos por suas seguidoras, que fizeram com que elas deixassem de registrar a própria gestação.

    “Eu não tenho fotos grávidas… Acho que tenho só uma foto da minha barriga, pois me sentia feia e julgada por ser gorda e estar grávida… Esses comentários machucam demais. Ainda mais grávida que está sensível”, escreveu uma das mulheres. Outra comentou sobre uma pessoa próxima que acabou deixando-a em choque com comentários sobre seu corpo: “Uma ‘amiga’ falou que não parecia bebê e sim gordura. Fiquei tão arrasada! Chorei tanto. Me senti tão culpada por ser daquele jeito”.

    Assim, Camila terminou o seu texto deixando uma mensagem importante às mães que a seguem, reforçando que não há justifica plausível para tamanha falta de respeito com a sua jornada. “Mulheres grávidas, puérperas e que já tem seus filhos crescidos: seu corpo é magnífico. Olha o que você foi capaz de fazer! Você formou e deu a vida a um outro ser humano! Seu corpo é admirável. É único. Não deixe ninguém jamais fazer você pensar diferente. Já basta”.

    View this post on Instagram

    A post shared by CAMILA MONTEIRO (@camilamonteiro)

    Continua após a publicidade
    Publicidade