Mãe viraliza no Linkedin com mensagem necessária sobre empatia no trabalho

Mary Beth Ferrante programou uma mensagem sincera em seu e-mail sobre o porquê de estar demorando para responder seus clientes.

Por Alice Arnoldi Atualizado em 12 jan 2022, 17h18 - Publicado em 12 jan 2022, 17h14

Com a mudança do trabalho presencial para o remoto, ficou ainda mais nítido como mães estão equilibrando muitos pratos para que suas carreiras, lares e cuidados com os filhos funcionem simultaneamente. Por muito tempo, estas manobras fizeram com que estas figuras femininas fossem vistas como “super-heroínas”, título irreal e ultrapassado, já que apenas fortalece a divisão desigual de tarefas, deixando as mães sobrecarregadas, exaustas e tendo pouco espaço para olhar para sua saúde mental. 

Quem fala sobre isso é a mãe Mary Beth Ferrante, que viralizou no Linkedin ao expor um recado automático que deixou programado em sua caixa de e-mail. De maneira educada, o texto começa agradecendo pela paciência do outro na espera pela resposta. Com delicadeza, mas assertividade, ela explica um pouco sobre a rotina da família em tempos pandêmicos na esperança de empatia do interlocutor.

“A pandemia continua a atingir nossas creches e escolas. Eu e meu marido voltamos a dividir nosso tempo para que um possa focar no trabalho enquanto outro se dedica ao cuidado das crianças (o que inclui levá-los para testar diversas vezes, ter suas atividades canceladas e pegá-los mais cedo porque seu nariz está escorrendo e há a possibilidade de exposição e só foram três dias úteis de 2022). Logo, a minha resposta para o seu e-mail pode levar mais tempo do que o esperado”, escreveu Mary, ressaltando a inconstância da rotina para pais e mães conseguirem conciliar os cuidados com os pequenos e a vida profissional.

E ela sabe bem do que está falando, já que é mãe de dois e CEO da WRK/360, uma plataforma criada para repensar a cultura dos ambientes de trabalho, focando em promover uma jornada flexível e com empatia pensada para os pais.

View this post on Instagram

A post shared by WRK/360 (@wrk360official)

“Mães são ambiciosas. Mães são impulsionadas pela carreira. Mães querem fazer um bom trabalho. Mães querem ser pagas por seu trabalho. Mães amam seus filhos e suas família. Tudo isso pode ser verdade”, em livre tradução.

Continua após a publicidade

Seja gentil com você mesma, mãe! 

Junto aos detalhes sobre o porquê da possível demora para retornar o contato dos seus clientes, a mãe também abre um diálogo importante com outros pais que podem estar lendo aquela mensagem e tentando incansavelmente dar conta de tudo – o que, na soma de dois anos, sabemos não ser possível.

“Se você está fazendo um malabarismo com cuidado/escola/saúde, por favor, seja gentil com você mesmo. Priorize o que é mais importante pessoal e profissionalmente. Peça ajuda, prazos de entrega maiores e empatia. Tente até mesmo definir o seu ‘fora do trabalho’ para lembrar aos outros que, na verdade, ainda estamos trabalhando durante uma pandemia e equilibrar cuidados com filhos e trabalho já é difícil o bastante mesmo quando estamos nos melhores momentos”, desabafou Mary.

Nos comentários, diversas mulheres refletiram sobre como o machismo estrutural continua a fazer com que a rotina dos homens seja mais flexível e com menos pressão para que dêem conta de tudo.”Mulheres pensam que responder um e-mail rápido nos faz boas em nossos trabalhos. Mas eu digo que precisamos começar a nos sentirmos livres para fazer o que os homens fazem com frequência: ignorar e-mails (exceto os mais críticos) e respondê-los apenas quando tivermos tempo para isso”, comentou uma de suas conexões no Linkedin.

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade