5 tendências de decoração para quarto infantil que vão bombar em 2021

Está em dúvida de como decorar o quarto do bebê? Os temas voltados à natureza prometem fazer sucesso neste ano junto com os tons terrosos.

Não há dúvidas de que descobrir uma gestação no ano de 2020 foi desafiador. Além do medo constante de contrair o novo coronavírus, a ausência de uma rede de apoio presencial e as incertezas sobre o parto durante uma pandemia, pais precisaram repensar até mesmo na logística de como montar o quarto do bebê.

Foi preciso muito jogo de cintura para elaborar o cantinho reservado ao pequeno sem pesar no bolso, sem grandes reformas e, muitas vezes, dividindo o espaço com um home office improvisado. Esses percalços fizeram com que um estilo de decoração marcasse o ano passado e chegasse ainda mais forte em 2021: o minimalismo.

Tássia Pereira, design de interiores do escritório TT Interiores, explica que esta tendência tem colocado em prática a famosa frase de que “menos é mais”. Isso significa que até mesmo móveis, que antes eram vistos como essenciais, têm dado lugar a itens que serão usados a longo prazo, como a substituição da cadeira de amamentação pelas camas infantis.

1. A natureza e a galáxia dentro do quarto

A mesma linha de pensamento aparece nas sugestões de temas para o quarto do bebê. De acordo com a arquiteta Amanda Mori, sócia da Go Up Arquitetura, pais têm optado por alternativas que podem ser mantidas conforme a criança for crescendo. Em 2021, ganham destaque aquelas que são inspiradas na natureza.

“Estão com tudo materiais naturais, cores neutras equilibradas com tons vibrantes e muitas referências à fauna e flora, além de elementos em palha, madeira, macramê e tricô”, detalha a arquiteta.

E se o espaço sideral chamou atenção em 2020, ele continua a encantar alguns pais. A design de interiores Fabiana Valdisserra, do escritório Uzo Design, lembra que isso pode resultar em decorações que usem das nuvens e estrelas para comporem os quartos infantis, independente do sexo do bebê.

2. Tons terrosos chamam atenção

Já para as cores, as mais neutras continuam sendo as apostas para os que não querem errar. Só que junto com elas, 2021 traz a atenção para os tons terrosos, como o marrom fechado e o mostarda, além dos eleitos pela Pantone.

Diferente dos anteriores, a principal empresa mundial de cores elegeu duas tonalidades para representarem este ano que se inicia, o cinza e o amarelo. Por isso, a tendência é que se observe produtos de decoração com estes tons no mercado e até mesmo cogite trazê-las para as paredes do quarto do bebê.

Se esta for a escolha dos pais, é preciso apenas tomar cuidado com a intensidade do amarelo. Fabiana explica que, ainda que a cor seja cheia de luz e energia, ela pode acabar agitando o bebê quando usada de forma exagerada.

Para isso, Amanda tem uma dica de ouro: opte pelo cinza nos itens que forem permanecer por mais tempo do quarto do bebê e o amarelo, assim como outras cores vibrantes, nos elementos sazonais.

3. Móveis novos? Só se forem versáteis!

Pela praticidade que a pandemia do coronavírus exigiu das famílias, Fabiana reforça que a tendência de 2021 em relação aos móveis do quarto do bebê é que eles sejam evolutivos, acompanhando o crescimento do pequeno.

Um exemplo apontado por Amanda é a cama no estilo montessoriana, que continua a ser queridinha entre os pais por fornecer autonomia à criança, independente da idade, e evitar possíveis acidentes. “Ela também pode receber personalizações em forma de casinha, cabana, castelo, forte, foguete, isto é, incluindo um elemento lúdico e divertido”, exemplifica a arquiteta.

Outra tendência que ganhou força em 2020 e segue para este ano é a de redes que cabem os bebês perfeitamente. Elas podem ser acopladas tanto no berço quanto na cama, embalando e divertindo o pequeno ao mesmo tempo.

4. Prateleiras = praticidade

Com famílias vivendo em apartamentos cada vez menores, prateleiras tornarem-se praticamente itens obrigatórios nos quartos infantis. Quando colocadas em pontos estratégicos do ambiente, sua funcionalidade é expandida.

Quando bebês, elas podem ficar próximas do trocador para que os pais tenham sempre os utensílios necessários à mão ou ainda para decorarem como apoio dos bichinhos de pelúcia.

Já quando maiorezinhos, Amanda sugere que elas possam servir para o seu desenvolvimento quando instaladas na altura deles com os devidos recursos de segurança. Por exemplo, transformam-se em prateleiras de livros em que a própria criança pode escolher qual vai ser a leitura do dia.

5. Foco nas paredes customizadas

Para evitar reformas que façam sujeira e trazer um tom de modernidade para o cantinho do bebê, os papéis e adesivos de parede continuam fazendo sucesso em 2021. E pela decoração focada na natureza, Fabiana pontua que ficará mais fácil encontrá-los nos temas de flores e animais.

Só que caso não seja o que você está procurando, saiba que as opções de mapas e planetas também não ficarão de fora do mercado este ano e podem agradar facilmente as crianças.

Junto com eles, há também a aposta em painéis artísticos feitos exclusivamente para o bebê que está a caminho, personalizado de acordo com a preferência dos pais. Além das pinturas setorizadas, isto é, quando apenas uma parte da parede ganha cor, abrindo a possibilidade de brincar com diferentes formatos.

Veja um exemplo abaixo, em que Amanda arquitetou um desenho em estrutura de casinha por cima da cama da pequena, no tom rose gold (que também aparece no teto e em detalhes da decoração, como a luminária):

 (Thiago Bianchi Fotografia/Go Up Arquitetura/Reprodução)

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.