Meta para 2021? Viver menos sobrecarregada e distribuir melhor as tarefas

Chega de fazer tudo sozinha! Minha proposta é que você reflita se a forma como seu lar está sendo gerenciado está adequada.

Mesmo nesse ano tão atípico, eu já recebi mensagens e já vi posts com a clássica pergunta: qual sua meta para 2021? Imagino que você também. Mas acredito que dessa vez ela chega de uma forma diferente. O que passamos nos últimos meses nos convida a encarar essa pergunta como uma reflexão mais ampla.

Não importa se você faz lista, mapas mentais ou escolhe uma palavra para ter como guia. Minha sugestão é que, antes de abrir a agenda do próximo ano e mergulhar nos seus pensamentos, que você inclua repensar a sua dinâmica doméstica.

Exatamente: minha proposta é que você pare um pouquinho ainda este ano e reflita se a forma como seu lar está sendo gerenciado está adequada. Porque fazemos aquelas listas de promessas que incluem desde se exercitar até se aprofundar em algum estudo, mas talvez percamos de vista o que está, de fato, nos impedindo de evoluir nos objetivos.

Podemos até enumerá-los, mas esquecemos que para alcançá-los devemos vencer pilhas de louça, driblar cestos de roupas sujas e liquidar solicitações dos filhos. Precisamos trabalhar num plano tático conjunto que vai levar à real transformação do cenário doméstico.

E como avaliar se essa dinâmica está justa?

Fazendo algumas perguntas para você mesma:
Está sobrando tempo para o seu descanso?
Está conseguindo se divertir?
Está reservando um espaço na rotina para alguma atividade que te agrade?

Se você respondeu “não” para uma única pergunta que seja, você já pode se sentar com todos da família para conversarem sobre uma melhor divisão de tarefas. Quando fazemos isso, ficamos menos sobrecarregadas e conseguimos nos dedicar aos nossos interesses e, portanto, às nossas metas.

Infelizmente, sabemos que se não liderarmos esse movimento dentro das nossas casas, as chances de mudança são quase nulas. Para começar devemos pensar a casa como um sistema, um organismo dinâmico. Para que esse sistema fique de pé, um grande número de atividades tem de acontecer.

O primeiro passo é listar tudo isso…

Não se contente com uma listagem rápida. Para englobar absolutamente tudo, isso tem de ser feito com calma, revisado algumas vezes.

Depois de finalizar essa super listagem, chame todos da casa. Como aqueles convites que fazemos para montarem a árvore de Natal ou assistirem ao jogo da Copa. É um acontecimento, sim. Em primeiro lugar, é bem provável que todos se surpreendam com a quantidade de coisas que acontecem em uma residência diariamente.

A partir daí, marque com cores diferentes quem é responsável por cada item da lista. Lavar o carro, ir ao mercado, levar a criança no parquinho, marcar pediatra, fazer a matrícula online, separar roupas que não servem mais, levar o cachorro para passear, limpar o banheiro… Melhor parar por aqui, não é? É certo que a mãe estará mais sobrecarregada.

Depois dessa evidência, exponha que, para o próximo ano, seu desejo é que essas obrigações sejam divididas mais equilibradamente. Leve em consideração aptidão, apreço e tempo disponível e redistribua as atividades com todos.

Descentralize as responsabilidades. Compartilhe as obrigações. Só assim você vai conseguir se sentir à vontade para escolher quais são seus projetos vindouros: fazer um curso, ter tempo para as amigas, desenvolver um projeto de negócio, galgar novas posições na carreira profissional ou simplesmente não fazer nada. Você merece.

 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.