São Paulo anuncia vacinação de grávidas com comorbidades contra covid-19

A imunização deste grupo começará a partir do dia 11 de maio e será exigido um laudo médico que comprove a doença pré-existente de gestante e puérperas.

Por Alice Arnoldi 6 Maio 2021, 12h14

Ainda que a passos lentos, o cronograma de vacinação contra a covid-19 é colocado em prática no país, conforme doses são produzidas e liberadas. Este é o caso do estado de São Paulo que anunciou, na quarta-feira (5), que gestantes e puérperas com comorbidades passam a integrar o público-alvo da próxima etapa de imunização.

Na coletiva de imprensa, o governador do estado paulista, João Dória, pontuou que esta nova fase será iniciada no dia 11 de maio, próxima terça-feira, e é esperado que 100 mil mulheres entre grávidas e aquelas que recentemente deram à luz sejam imunizadas.

Já para entender quais são as comorbidades tidas como agravantes dos quadros de covid-19, o governo disponibilizou uma lista das principais doenças. Entre elas,, aparecem as cardiovasculares, renais, diabetes mellitus, diferentes tipos de hipertensão arterial, pneumonias crônicas graves e imunossuprimidos. (Para conferir a lista completa, clique aqui!)

  • O que é preciso fazer para receber a vacina? 

    Assim como o processo já vinha sendo conduzido em outros estados, como no Rio de Janeiro, gestantes precisarão apresentar um laudo médico que comprove a comorbidade para receber a vacina. Também será aceito um comprovante de acompanhamento do estado de saúde da gestante ou do seu pré-natal, relatando a doença pré-existente e certificando a idade gestacional da mulher.

    Já para as puérperas, será necessário apresentar a declaração de nascimento do filho para comprovar que ela está no período de 45 dia após o parto. Além disso, também é preciso de um laudo, exame ou comprovante que relate a comorbidade para receber o imunizante.

    Continua após a publicidade
    Publicidade