Crianças devem começar a ser vacinadas contra Covid-19 ainda em janeiro

A Pfizer também prevê a entrega das doses pediátricas já no primeiro mês de 2022, data que dialoga com o possível calendário do Ministério da Saúde.

Por Alice Arnoldi Atualizado em 28 dez 2021, 13h30 - Publicado em 28 dez 2021, 12h55

O ano de 2022 promete começar com boas notícias para os pais ansiosos pela vacinação infantil contra a Covid-19. Conforme nota divulgada pelo Ministério da Saúde, na segunda (27), a imunização de crianças entre cinco e 11 anos deve começar ainda em janeiro. A definição do calendário, no entanto, acontecerá só no dia 5, após análise da consulta pública que permanece aberta até o segundo dia do ano.

“A recomendação do Ministério da Saúde é pela inclusão das crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), conforme posicionamento oficial da pasta declarado em consulta pública no dia 23 de dezembro e reforçado pelo ministro da Saúde em manifestações públicas. No dia 5 de janeiro, após ouvir a sociedade, a pasta formalizará sua decisão e, mantida a recomendação, a imunização desta faixa etária deve iniciar ainda em janeiro“, informa o documento.

A vacinação infantil é segura

Ainda no mesmo dia, Rosana Leite de Melo, secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19, assinou uma nota destinada ao Supremo Tribunal Federal (STF), defendendo que a vacinação infantil contra a doença pandêmica é segura para a faixa etária indicada, principalmente porque houve uma ampla pesquisa para que se chegasse à aprovação.

“Antes de recomendar a vacinação [contra a] Covid-19 para crianças, os cientistas realizaram testes clínicos com milhares de crianças e nenhuma preocupação séria de segurança foi identificada”, pontua o documento. Rosana ainda escreve que a liberação do imunizante pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no dia 16 de dezembro, foi feita de maneira rigorosa e com a cautela demandada.

Por meio desta nota, o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, determinou que o Ministério da Saúde deve apresentar um cronograma da imunização infantil contra Covid-19 até o dia 5 de janeiro – data que já havia sido comentada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Além de prestar uma explicação sobre a orientação de que os pequenos sem comorbidades só seriam imunizados com uma prescrição médica.

Continua após a publicidade

A compra de doses pediátricas 

Como foi divulgado pela Anvisa no dia da aprovação da vacina Pfizer para a população pediátrica, os pequenos receberão duas doses de 10 microgramas (µg) cada, em um intervalo de 21 dias. E para não haver confusão entre os frascos para adultos, adolescentes e crianças, a embalagem do imunizante infantil terá a tampa e o rótulo laranjas.

Já em relação a compra destas doses diferentes, a farmacêutica informou à CNN que prevê entregar as vacinas infantis em janeiro de 2022, data que dialoga com o possível cronograma do Ministério da Saúde. Até o momento, o governo brasileiro já assinou a compra de 100 milhões de doses do imunizante para o próximo ano e, no contrato, está previsto o fornecimento de versões diferentes da vacina, se for preciso, como é o caso da pediátrica.

Na última semana de dezembro, o governo de São Paulo mostrou também como será a caderneta infantil de imunização. Diferente da dos adultos que é verde, ela será amarela, com a hashtag #VacinaJá colorida. “SP já iniciou a preparação de 4,5 milhões de carteiras de vacinação que serão utilizadas para controle das doses aplicadas”, informou a publicação do governo nas redes sociais.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Governo SP (@governosp)

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade