Usar salto alto na gravidez: pode ou não pode?

Confira o que especialistas pensam sobre o acessório e quais são os calçados mais recomendados para as futuras mamães.

Quem disse que moda e gravidez não combinam nunca viu os lookinhos da modelo Ashley Graham! A norte-americana está sempre abastecendo suas redes sociais com imagens fabulosas de roupas estilosas e que respeitam suas curvas da gestação.

Em alguns deles, a futura mamãe aparece desfilando em cima de grandes plataformas ou saltos finos e desperta dúvidas – e julgamentos. Mas, afinal: pode ou não pode usar sapato alto na gravidez? Entenda o que especialistas pensam sobre o assunto.

View this post on Instagram

trailer chic on set🚼

A post shared by A S H L E Y G R A H A M (@ashleygraham) on

Apesar de o acessório ser, para muitas, símbolo de elegância, profissionais concordam que os sapatos altos podem afetar negativamente a postura da mulher. “Quando a barriga da mãe cresce e o peso vai para a frente, ocorre um processo de deslocamento do centro da gravidade – que fica na região do umbigo – causando um possível desequilíbrio, que  pode sim ser agravado pelo uso do salto alto”, aponta a mestre em fisiologia do exercício Bianca Vilela.

De acordo com o ortopedista do Centro de Qualidade de Vida (CQV), Carlos Kopke, esse desvio no eixo anatômico do corpo pode levar à alteração da coluna e dos membros inferiores. Se o uso for diário, aumenta o risco da grávida desenvolver patologias, principalmente na região dos pés, calcanhares, tornozelos, joelhos e costas.

“Nosso corpo trabalha como se fosse um pêndulo de dois movimentos, ora para frente, com a perna direita e braço esquerdo como apoio, e ora para trás. Como o salto muda o eixo de funcionamento da marcha, um complexo mecanismo de locomoção usado pelo corpo para manter o deslocamento com menor gasto calórico e de esforço, gera-se um processo de reequilíbrio compensatório do organismo com maior esforço e risco de lesão a determinadas partes do corpo”, explica ele.

O médico argumenta que, enquanto em calçados normais a parte frontal do pé recebe 40% da carga do corpo e a posterior 60%, em saltos muito elevados a frente pode receber até 100% da força. “Com o tempo, o uso em excesso causa dores na planta do pé, por causa da pressão nos metatarsos; tendinites e bursites; fratura dos metatarsos por fadiga; problemas nas unhas, por causa da pressão; e até joanete”, acrescenta.

A inclinação dos saltos altos é a verdadeira vilã neste caso. “Ao vestir o calçado, você fica na ponta do pé e a musculatura da panturrilha se contrai. Então, é como se você estivesse fazendo um exercício isométrico. Isso gera um encurtamento muscular, e pode causar dores crônicas a longo prazo”, comenta Bianca.

A doutora ainda aponta para outra queixa comum entre as gestantes, que é a dor lombar. “O peso da barriga projetado para frente acentua a curvatura lombar, e pode se transformar em uma hiperlordose”  – condição em que há uma aumento excessivo da curvatura do corpo, na direção da frente do abdômen. 

E qual o tipo mais confortável de calçado?

“O sapato adequado na gestação é aquele confortável, como um tênis. Agora, se quiser mesmo usar o salto, o ideal é que tenha até 3 centímetros”, alerta a especialista. Apesar de muitas gestantes apostarem em sapatilhas, também Bianca não considera esta a melhor opção. “A sola costuma a ser fina, sem amortecimento, e isso é péssimo para a coluna – e para os joelhos, quadris, tornozelos e articulações.”

Além das tantas mudanças corporais, é normal que as gravidinhas se sintam mais inchadas em alguns membros do corpo. Por isso, a dica da profissional é evitar os sapatos apertados. “A questão hormonal pode favorecer a retenção hídrica, principalmente nos pés. Por isso, os calçados não podem ser apertados. Invista em sapatos com bases mais largas, porque os pés incham para os lados.”

“A melhor solução é investir na boa postura e na consciência corporal. A mulher pode se preparar durante a gravidez, fazendo exercício de pilates, de alongamento e de musculação, por exemplo – sempre orientado por seu médico. Assim, ela ganha massa muscular para suportar a coluna e o peso adicional”, complementa ela.

E se a gestante passou o dia em cima de um saltinho, alguns cuidados são importantes. “Recomendo às mulheres que alternem a altura do salto, dando sempre preferência ao estilo plataforma, e, no fim do dia, é interessante alongar bem a panturrilha e massagear os pés com um creme relaxante específico para a área, a fim de evitar dores e problemas a longo prazo”, finaliza o ortopedista.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s