Entidade britânica alerta sobre uso de máscara com chupeta causar asfixia

A publicação chama atenção de pessoas que estão produzindo máscaras caseiras e podem se equivocar pensando que o modelo ajudaria os pequenos.

Por Alice Arnoldi 24 jul 2020, 17h17

Para a prevenção contra o coronavírus, países ao redor do mundo reforçaram a importância das medidas de higiene e tornaram obrigatório o uso de máscara. Entretanto, para as crianças pequenas, o assunto traz sempre reiterações conforme casos vão surgindo.

Desta vez, o alerta veio de um grupo britânico chamado Pendle Family Zone, parte do Serviço de Bem-Estar da Criança e da Família em Lancashire, na Inglaterra, e que oferece assistência aos pais do local.

Na publicação da instituição no Facebook, eles explicaram que uma das parteiras comunitárias do East Lancashire Hospitals avisou sobre máscaras com chupetas embutidas estarem sendo vendidas como objetos fofos para bebês. Mas que, na verdade, elas são perigosas por aumentarem o risco de sufocamento.

  • “Por favor, por favor, não faça isso! Os bebês são muito pequenos para usar uma máscara, e esse design parece aumentar o risco de asfixia”, enfatizaram.

    A página também traz o posicionamento da ONG The Lullaby Trust, que trabalha para a conscientização sobre a síndrome da morte súbita do lactente, conhecida como SMSL, com aconselhamento de profissionais sobre o sono do bebê e também ajuda para pais enlutados.

    “Nós não temos orientação de que bebês devam usar máscara, estejam eles infectados ou não. Há um risco em potencial de asfixia e outros perigos ao fazer isso. As recomendações mais recentes do governo dizem que crianças menores de 3 anos não precisam usar máscaras”, enfatiza o alerta. 

    Continua após a publicidade

    Nos comentários, uma das seguidoras da página questionou sobre quem são os fabricantes deste tipo de item, sabendo os riscos que ele pode trazer às crianças. A resposta foi de que a postagem não era sobre um produtor específico, mas era um alerta para pessoas que estão fazendo máscaras caseiras neste período e que poderiam acabar copiando o modelo, pensando que seria uma forma de ajudar os pequenos a mantê-las no rosto.

    E como é por aqui?

    No Brasil, as indicações do Ministério da Saúde são ainda mais restritas. De acordo com a instituição governamental, é recomendado que crianças menores de dois anos não façam uso de máscaras e o motivo é o mesmo: risco de sufocamento.

    Nesta faixa etária, médicos ressaltam que os pequenos podem ter dificuldade para avisar aos pais que o utensílio está apertado ou até mesmo perceberem que estão com falta de ar em decorrência da capacidade cognitiva da idade. Esse cenário pode levá-los à asfixia.

  • Outro motivo apontado pelos profissionais é que dificilmente a criança aceitará a máscara. A tendência é que ela coloque ainda mais as mãos no rosto para tirá-la, o que aumenta as chances de contaminação pelo Covid-19 pelo contato direto do membro com olhos, nariz e boca.

    Com os números ainda alarmantes da doença, sair com os filhos continua a não ser recomendado. Mas se for necessário, outros cuidados podem ser seguidos com os pequenos, como levá-los sempre no colo, mantendo as mãos deles próximas ao corpo, optar por roupas longas e, ao chegar em casa, levá-los direto para o chuveiro. Para ajudá-los nesta situação, listamos uma série de orientações de pediatras para maior prevenção de crianças pequenas!

    Continua após a publicidade
    Publicidade