5 brinquedos sexuais fáceis de usar para ter mais prazer no pós-parto

Retomar à vida sexual pode pedir uma ajudinha extra dos sex toys e o melhor é que tem para todos os gostos e vontades!

Por Alice Arnoldi Atualizado em 3 ago 2020, 12h17 - Publicado em 31 jul 2020, 17h47

Amamentação, sono desregulado, receios de que a evolução do bebê não está acontecendo como deveria… As influências no psicológico e físico da mulher após o nascimento do bebê são muitas e, não por acaso, acabam atingindo diretamente a vontade de ter relações sexuais no pós-parto.

Mais do que desejo, médicos explicam que é essencial que o casal evite transar (seja com penetração ou não) dentro de um período de 40 a 60 dias após a mulher dar à luz. Este intervalo é importante para que o organismo feminino, em especial o útero, se recupere do processo que precisou passar para o bebê vir ao mundo.

  • Só que, mesmo após essa pausa, ter relações sexuais pode envolver diferentes questões para cada mulher. Além do fisiológico em que pode ocorrer ressecamento vaginal, a ginecologista e obstetra Gabriela Bezerra lembra sobre a importância de respeitar os limites psicológicos do momento. Este cenário pede um diálogo aberto com o médico – e depois com o parceiro ou parceira.

    “Nesta conversa após os 40 dias, é importante que seja falado para ela que a relação sexual pode ser mantida se ela estiver confortável para isso e que sexo não é apenas penetração. E a partir disso, explicar que ela vai começar a ter vontade de manter relações progressivamente, mas é preciso observar o próprio corpo!”, explica Gabriela.

  • Com este olhar atencioso para si, a mulher é capaz de identificar se está sentindo algum desconforto que foge da normalidade – como lacerações após o parto que ainda não cicatrizaram. Mas também pode embarcar na jornada de autoconhecimento com a masturbação e outros tipos de sexo com o parceiro ou parceira que fogem da penetração. E aí que entra em cena alguns bons aliados desta fase: os brinquedos sexuais!

    Se este é um campo novo pra você, veja quais são as melhores opções nesta retomada à vida sexual após o parto. As orientações são da sexóloga Carolina Freitas, especialista da plataforma Sexo Sem Dúvida.

    1. Bullet

    Para as mulheres que nunca usaram um sex toy sozinha ou acompanhada, a especialista indica os conhecidos como bullets como um bom começo. A tradução do nome em inglês é “bala” e a relação com o produto é pelo seu formato.

    Os mais tradicionais são como cápsulas maiores, ótimos para estimular o clitóris e a parte externa da vulva, sem precisar penetrá-los para ter prazer. A ideia é percorrer o vibrador pelos grandes e pequenos lábios e depois colocá-lo no clitóris até alcançar o orgasmo.

    E como lembra a obstetra Gabriela, os orgasmos femininos clitorianos tendem a acontecer com mais facilidade e intensidade do que os vaginais. O motivo disso é que o clitóris é o órgão sexual feminino com oito mil terminações nervosas prontas para serem estimuladas com um único objetivo: fazê-la gozar!

    O que muitas mulheres também não sabem é que este órgão ao ficar excitado tem reações parecidas com as do pênis: como ereção (ainda que menos perceptível) e o aumento de tamanho.

    Mini vibrador aveludado portátil Bullet, GTOYS, R$19

    Bullet cromo vibrador multivelocidade, GTOYS, R$11,90

    Vibrador Bullet com Controle via App, Pretty  Love, R$199,00

    2. Vibrador com controle remoto

    Ainda na linha dos brinquedos que vibram, bullets e outros modelos menores podem ser acompanhados por controles remotos.

    Estas opções são ideais para mulheres que estão sentindo o condicionamento físico fragilizado no momento ou se sentem desconfortáveis em dobrar a barriga para poder tocar a vulva com mais liberdade.

    A ideia também é válida para os casais. Por ser um item que brinca com a ideia de controle, o parceiro ou parceira podem posicioná-lo no clitóris da mulher e ir alterando as velocidades do estímulo.

    Ah, e quer mais um dica para ter um orgasmo mais intenso? Quando ele estiver chegando, peça para que quem estiver com o controle, diminua a velocidade. Isso fará com que o corpo crie uma expectativa do ápice do prazer e, quando o clitóris for estimulado novamente, ele tende a vir mais forte.

    Vibrador cápsula coelhinho com controle remoto, Lust of Love, R$65

    Vibrador de silicone G Spot, Amosfun, R$158,85

    Calcinha vibratória com controle remoto sem Fio, LDP, R$369,90

    Continua após a publicidade

    3. Sugador de clitóris

    Experimentou a vibração, mas ela não faz o seu estilo? Outra forma de estimular o clitóris é com um brinquedo sexual chamado sugador. Como o nome explica, o diferencial dele é sugar o órgão, trazendo uma sensação semelhante a do sexo oral.

    Também diferente dos vibradores, o sugador é um item que não precisa dos movimentos de “vai e vem” ou circulares. O melhor é que ele seja posicionado em cima do clitóris e quem está conduzindo brinque com as velocidades do produto.

    Neste caso, estamos falando do sugador clitoriano que é um peça única, pensando apenas no estímulo da região. Mas há também aqueles que aparecem acoplados a um vibrador, em que a mulher ou o parceiro conseguem introduzi-lo ao canal vaginal ao mesmo tempo em que o sugador o estimula por fora.

    Aquecimento de sucção com vibração, Zatla, R$179,90

    Massageador de clitóris com sucção Octopi, Lovetoys, R$239

    Vibrador com Sucção e língua estimuladora, Lust of Love, R$499,90

    4. Capa para dedo

    Já para as que estão acostumadas a alcançarem o prazer com as mãos, os sex toys não as deixaram de fora. Para brincar com sensações diferentes, existem capas de dedo usadas para massagear o clitóris até alcançar o orgasmo.

    Elas costumam ser baratas e trazem a ideia de conseguir incrementar o sexo com diferentes texturas na hora de se tocar ou do parceiro masturbá-la. O mesmo produto pode ser encontrado para língua no sexo oral.

    Vale ter em mente que, se você estiver sentindo dor com penetração, não introduza o dedo no canal vaginal quando estiver usando a capa. O item cria uma camada a mais no dedo, pedindo por mais lubrificação para conseguir proporcionar prazer ao ser introduzido.

    Capa de dedo com saliências aneladas, GTOYS, R$24,72

    Capa de língua estimuladora com Textura, Kimport, R$15,90

    Vibrador dedeira reutilizável, KToy, R$19,90

    5. Lubrificantes

    Por fim, mas não menos importante, os lubrificantes entram como grandes aliados para a secura vaginal – comum neste período por conta dos hormônios que diminuem a lubrificação vaginal – ajudando os brinquedos sexuais a deslizarem melhor e, quem sabe, a penetração acontecer sem dor caso vocês queiram tentar.

    Os mais aconselhados pelos especialistas são os a base d’água. Eles tendem a causar menos alergia nos usuários e, quando usados com sex toys, não estragam o material do brinquedo e, consequentemente, duram por mais tempo.

    Neste processo de redescoberta, mais do que deixar tudo deslizando mais fácil, uma boa pedida é tentar os lubrificantes que trazem sensações diferentes, como de esquentar ou esfriar e outros que parecem vibrar quando entram em contato com a pele. Se for a sua primeira vez, lembre-se sempre de aplicar pouca quantidade para perceber como o seu corpo reage à substância.

    Gel lubrificante íntimo, K-Y, R$28,90

    Gel Hot lubrificante íntimo, K-MED, R$19,99

    Lubrificante corporal Ice, K-Intt, R$14,90

    Continua após a publicidade
    Publicidade