8 falas para construir e fortalecer a autoestima do seu filho

Acreditar em si mesmo e valorizar a própria identidade são habilidades importantes desde a infância até a vida adulta. Saiba como incentivar as crianças!

Por Da Redação 26 Maio 2022, 10h51

Confiança. Está aí uma palavrinha que pode edificar ou destruir relações humanas, em vários sentidos. Quando você sente que pode acreditar em alguém, está criada a base sólida para a construção de um vínculo. Já quando, por algum motivo, a confiança é quebrada, nem sempre é possível voltar atrás e consertar a ligação, mesmo com todo o esforço do mundo. E antes de confiar em alguém, nada mais importante do que acreditar em você mesmo, não é? Ter uma boa autoestima é uma das habilidades mais importantes para criar laços com outras pessoas, realizar sonhos, buscar algo que você queira, resolver problemas, passar por situações difíceis e crises… E a sementinha disso tudo pode (e deve!) ser plantada na infância, que é o terreno mais fértil para ela.

É nos primeiros anos de vida que seu filho vai conseguindo, aos poucos, compreender quem ele é, suas características, seus pontos fortes e fracos. O reforço dos pais é um ingrediente de peso na receita, porque é a partir daí que os pequenos começam a se ver e a entender o próprio papel no mundo. “Para que a criança tenha um desenvolvimento saudável, é importante fortalecer a autoestima dela. Além de viabilizar um conhecimento pessoal e valor individual, a autoestima também contribui para que os pequenos aprendam sobre respeito ao próximo, bem-estar e jogo de cintura para lidar com relacionamentos pessoais e interpessoais ao longo da vida”, explica a psicóloga Luana Neves, especializada em atendimento infantil, da Lumos Cultural (SP). 

Ao contrário do que muita gente pensa, fortalecer a autoestima dos filhos não é repetir vários elogios, mil vezes por dia. Nem focar em características físicas ou intelectuais. É claro que você acha seu bebê o mais lindo de todo o mundo e adora elogiar a inteligência dele, diante de qualquer feito, como o encaixe de um bloco de brinquedo ou quando ele aprende as primeiras palavras.

“É importante que os pais, familiares, educadores, possam dizer frases para as crianças que não sejam focadas apenas nas competências físicas, como bonito ou forte, nem intelectuais, como esperto. Também é essencial lembrar que isso não deve ser feito somente nos momentos de comemorar os sucessos”, pontua a psicóloga e psicanalista Fernanda Lopes, especialista em parentalidade, pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Poder celebrar o esforço, o empenho, a dedicação, mesmo quando as coisas não deram tão certo quanto todos gostariam, é importante para lembrar seu filho que ele não é valorizado só pelo bom resultado e sim pelo processo”, completa.

E isso também vale para quando a criança consegue um feito incrível, como ir bem em uma apresentação de teatro ou fazer um gol no futebol. Em vez de celebrar só o resultado final, reforce que viu como ela treinou ou se esforçou para chegar lá. “É muito provável que a criança passe a se dedicar mais e melhor à realização de tarefas e atividades, porque, dessa forma, vai aprender que vale a pena, já que o mérito está atrelado a esse fator e não a algo inato”, detalha a psicóloga Luana. 

Meninas brincando de blocos
FatCamera/Getty Images
Continua após a publicidade

Frases para incluir mais no dia a dia

Todo mundo sabe que a vida é corrida e que, muitas vezes, agimos e falamos de maneira automática, mesmo quando essas ações e esses discursos são direcionados para quem mais nos importa: nossos filhos. No entanto, o resumo da conversa é que vale parar para refletir e tentar estar presente, tendo consciência de como você reage, mesmo diante dos momentos mais triviais, independentemente do sucesso ou da falha da criança. 

Para ajudar, selecionamos oito exemplos de frases que você pode tentar incluir mais nas conversas com o seu filho, com o intuito de construir e reforçar a autoestima dele. Olha só: 

  1. Que bacana que você tentou! Todo mundo erra e está tudo bem! Se você quiser, podemos tentar de novo juntos. O que você acha?
  2. Vai lá! Você tem condições de fazer isso. E, se precisar de ajuda, estarei aqui.
  3. Achei muito interessante isso que você fez! Me explica como chegou nesse resultado?
  4. Uau! Fico muito contente em saber que pensa assim!
  5. Fiquei feliz porque você conseguiu! Vi que se esforçou muito para isso.
  6. Estou vendo que você não está legal hoje. Como posso ajudar para que se sinta melhor?
  7. Entendi que você está me chamando. Eu adoro saber das suas brincadeiras. Assim que terminar o que estou fazendo, vou até aí.
  8. Para conseguir fazer o que você quer, podemos testar algumas possibilidades. Vamos pensar juntos?

Pai-e-filho-conversando

Não são só palavras

É importante lembrar que, além de aprimorar seu discurso, considerando o esforço e todas as tentativas que seu filho faz, existe algo fundamental para o aprendizado e para a construção da personalidade dele: o seu exemplo. As crianças se espelham nos adultos ao redor delas para entender como devem agir diante de várias situações. Por isso, é importante prestar atenção em como você trata a si mesmo, sobretudo diante das falhas. 

“Conte sobre coisas que deram errado, sobre o que você faz quando algo dá errado – desde tentar novamente até desistir…  Isso é algo que humaniza as relações”, aponta a psicóloga Fernanda. Dessa forma, segundo ela, os pequenos crescem sabendo que todo mundo erra, todo mundo tenta de novo e que, às vezes, a gente desiste mesmo e que nada disso diz algo sobre o valor das pessoas ou determina se elas são boas ou más. “Isso as ajuda a perceber que um ato não é definidor do valor delas no mundo. Desta forma, plantamos uma semente para que essas crianças possam ser mais gentis com elas mesmas ao longo da vida – algo que muita gente grande sofre bastante para conseguir”, finaliza. 

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade