Continua após publicidade

Bebê quase morre após parente dar um beijo na boca dela, conta mãe

A menina, na época com 1 ano, precisou ficar internada depois que seu corpo foi tomado por erupções. Entenda o que aconteceu

Por Da Redação
15 set 2023, 12h30

Beijar a criança na boca é uma prática não recomendada pelos especialistas, por mais que se trate de uma demonstração de afeto. E uma família da Inglaterra sentiu de perto como isso pode ser arriscado: a filha do casal Brogan Thomas e Connor Merritt, Kaylah, quase morreu depois que um parente deu um beijo em sua boca. O caso aconteceu há alguns anos, mas voltou à tona após nova publicação no Mirror – e vale sempre como um alerta!

Publicidade

Em entrevista ao veículo, a mãe contou que o sufoco teve início quando a menina, na época com 1 ano, começou a chorar muito. “Eu sabia que só poderia significar que ela estava com dor”, comentou. Ao colocar a bebê no banho, a mulher, então, notou bolinhas na perna da filha. “Foi um pesadelo terrível, havia erupções roxas por toda parte“, recordou.

Publicidade
print da página de um site com a imagem de uma bebê com a boca e os ombros cheios de bolinhas
Imagem da criança, divulgada pelo Mirror (Mirror/Reprodução)

A princípio, os pais imaginaram que poderia se tratar de algo relacionado a meningite, já que Kaylah teve a doença antes. No hospital, porém, veio a surpresa. Os médicos disseram que alguém com herpes labial devia ter beijado a boca da pequena. Como o sistema imunológico dos bebês não é forte o suficiente, ela desenvolveu a irritação na pele. “Quando soube como aquilo era perigoso, chorei muito pensando que poderia ter perdido minha filha por causa de um beijo ‘bobo'”, contou Brogan lembrando que, de acordo com os especialistas, a garotinha corria o risco de morrer, caso não fosse levada a tempo para o atendimento de emergência.

Continua após a publicidade

O diagnóstico

No hospital, Kaylah foi diagnosticada com eczema herpético, infecção causada pelo vírus do herpes simples (crianças com dermatite atópica, vale destacar, têm uma pré-disposição para desenvolver a doença). A menina passou quatro dias internada, sendo tratada com antibióticos e outros medicamentos.

Ao Mirror, Brogan afirmou que o desejo dela e do companheiro era alertar outros pais sobre os riscos de beijar crianças na boca. “Você não precisa estar fisicamente doente para machucar um bebê. Você pode apenas ser portador de um vírus e afetá-lo”, completou.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade
Publicidade