10 frases que não devem ser ditas a quem sofreu aborto espontâneo

"Ainda bem que você estava no começo da gravidez" e "logo você vai ter outro filho" são alguns dos palpites que, infelizmente, as mulheres acabam ouvindo.

Você descobre que está grávida e logo começa a pensar em várias coisas: como comunicar a boa nova para as pessoas próximas, qual será o sexo do bebê e com quem ele irá se parecer, quais são os preparativos necessários para recebê-lo ao mundo, como será a decoração do quartinho… Só que, sem motivo aparente, uma notícia vira o seu mundo de cabeça para baixo e, de uma hora para a outra, você precisa lidar com a frustração de ver os seus planos não se concretizando porque sofreu um aborto espontâneo.

A partir desse momento, a tristeza e o sofrimento dão as caras, assim como o luto – que deve, sim, ser encarado. E no meio desse caos e de tentar digerir o que aconteceu, muitas vezes surgem comentários equivocados que, embora pareçam oferecer consolo, podem acabar magoando ainda mais quem está tentando reunir forças para se recuperar. Nas redes sociais, perguntamos às nossas leitoras que passaram por essa situação quais são as frases que devem ficar de fora das conversas. Atente-se à lista abaixo:

1. “Não fique triste. Não era para ser”

Esse é um dos comentários que as mulheres que passaram por abortos espontâneos mais ouvem. No Instagram, Pri Aitelli comentou que chegaram a dizer para ela que tinha sido melhor assim. Já a mãe Iziz Angélica falou sobre outra coisa que ela escuta com frequência: “Esse de ‘Deus sabe o que faz’ é o cúmulo da ignorância. Essa frase não se diz pra nada no mundo”.

2. “Com o tempo você vai arrumar outro filho”

Não se sensibilizar com a dor que a pessoa está sentindo no momento e dizer que logo era terá uma nova criança não é a melhor maneira de consolá-la. Muito pelo contrário: pode soar como algo grosseiro. “O que ouvi muito foi ‘você pode ter outro bebê’. Como se fosse assim: um filho substituísse o outro. Cada filho é um. Jamais esquecerei que o meu bebê foi para o céu”, afirmou Sophia Esteves.

3. “Você é fraca, não conseguiu segurar o bebê”

Ficou abismada? Sim, infelizmente existem pessoas que verbalizam esse absurdo para quem está tentando superar o trauma de um aborto espontâneo. “A pior frase é: ‘ela não segurou’. Como se a gente tivesse culpa… Aliás, a gente já se sente tão culpada. Acho horrível”, disse Daniela Mendes.

4. “O que aconteceu dessa vez?”

Mulheres que sofreram mais de um abortamento costumam ouvir essa pergunta com frequência, apesar de ser uma péssima maneira de questionar o problema. Brunella Sobral passou por uma experiência parecida, que contou ainda com uma dose de machismo: “No hospital em que fiz a curetagem, me colocaram na fila de exames com várias grávidas, algumas já em trabalho de parto e no quarto tinha um berço para recém-nascido. Além disso, encerrada a licença, quando fui examinada pelo médico do trabalho, tive que ouvir dele: ‘e o que você fez para perder esse bebê? Porque a culpa sempre é da mulher’”.

5. “Você tem certeza de que quer mesmo ter outro bebê?”

As famílias que passam por um choque como esse precisam de tempo para se reestabelecerem e colocarem as ideias no lugar. Por isso, comentários desse tipo devem ficar de fora dos diálogos. “Ouvi tantas coisas que não caberiam aqui e fora o ‘você não acha que já era para ter esquecido tudo isso?’. Creio que as pessoas não façam de forma intencional, mas não deixa de ser cruel para quem vive o luto dessa perda tão incompreendida”, opinou Daniele Faria Alves. A mamãe Clarice Marques também teve que lidar com esse questionamento: “Vocês têm certeza de que querem outro bebê? Na sua idade (eu ia fazer 35 anos) e com o seu problema de saúde (tenho epilepsia) ter outro filho, uma gravidez sofrida?’. Detalhe: o meu ‘sofrimento’ está aqui, lindo, e com 3 meses”.

6. “Ainda bem que você estava no começo da gravidez”

Algumas mulheres relataram que ouvir isso fez com que elas ficassem ainda mais chateadas, como a mãe Renata Pessoa: “Passei por isso duas vezes e nos dois casos perdi com 9 semanas e já amava aquelas vidas mais do que tudo. Sofri muito e ouvi comentários desnecessários como ‘não fica assim não. Nem era um neném ainda. Era só sangue’, entre outros do tipo. A dor é a mesma – independente de ser no início, meio ou fim da gestação. Eram meus filhos”.

7. “Não fique mal. A criança poderia ter nascido com algum problema de saúde”

Ao enfrentar o sofrimento da perda, algumas mães ainda são surpreendidas com comentários desse tipo, que em nada ajudam a minimizar o sentimento de tristeza. Esse foi o caso de Fabiana Maria Roberto, que ouviu: “Deus sabe o que faz. Ja já você engravida. Foi melhor assim, pois poderia ter vindo com problemas”.

8. “O que você fez para isso acontecer?”

Além de lidar com a frustração, algumas vezes as mulheres acabam se sentindo culpadas por conta dos palpites que recebem. Mami Igor contou que disseram para ela que da próxima vez daria tudo certo. “Como assim? O que eu poderia fazer melhor do que já fiz? Tomei mil remédios, fiquei deitada 24 horas de domingo a domingo. Ouvi muito mais do que isso durante 8 anos. Mas na minha cabeça eu só tinha um pensamento: vou conseguir”, retrucou a mãe.

9. “Você abortou por causa da sua idade”

Mesmo sem saber a causa do problema, ainda há quem julgue e critique, sem a menor empatia pelo sofrimento alheio. A mamãe Alê Alves enfrentou isso: “Passei quatro anos tentando engravidar e finalmente quando consegui tive um aborto espontâneo. As pessoas adoram jogar na sua cara a questão da idade. Na verdade, eu só queria silêncio e o colo da minha mãe. Mas graças a Deus hoje eu tenho minha princesa linda”, comentou.

10. “Talvez a maternidade não seja para você”

É incrível imaginar que alguém diria algo que pode machucar tanto as mulheres que sonham em aumentar a família. “Ouvi da minha própria mãe (não por maldade, mas porque não aguentava me ver sofrer) que talvez a maternidade não fosse pra mim. Foi duro demais escutar aquilo, mas jamais me permiti desistir. Hoje tenho duas filhas lindas, fruto de duas gestações bem sucedidas e saudáveis”, contou uma mãe no Instagram. Realmente, a melhor coisa a fazer é seguir em frente, ignorar os palpites e continuar lutando.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s