Pfizer afirma que vacina é segura e eficaz para crianças de 5 a 11 anos

O próximo passo da farmacêutica Pfizer/BioNTech é pedir o uso emergencial do imunizante para a FDA para que ele seja aplicado antes do início do ano letivo.

Por Alice Arnoldi 20 set 2021, 12h57

Na busca pela imunização infantil contra covid-19, é hora de celebrarmos mais um passo dado em direção aos pequenos. Em um comunicado oficial à imprensa, publicado no dia 20 de setembro, a Pfizer/BioNTech divulgou os primeiros dados relacionados ao uso da vacina em crianças de cinco a 11 anos e o resultado é positivo.

De acordo com a farmacêutica, o ensaio de fases 2/3 contou com 2.268 participantes dentro da faixa etária analisada, que receberam duas doses de 10 microgramas (µg) da vacina, em um intervalo de 21 dias. “Isso mostrou um perfil de segurança favorável e respostas robustas de anticorpos neutralizante”, informou o comunicado.

A dose do imunizante para a faixa etária é menor do que a está sendo administrada no público de 12 anos para cima, que é de 30 microgramas. Só que, ainda assim, os resultados observados mostraram que a resposta imunológica do público infantil assemelha-se ao perfil de jovens de 16 a 25 anos.

“A dose de 10 µg foi cuidadosamente selecionada como a dose preferida para segurança, tolerabilidade e imunogenicidade em crianças de cinco a 11 anos de idade. Estes são os primeiros resultados de um ensaio fundamental de uma vacina COVID-19 nessa faixa etária”, destacou o comunicado.

  • E agora, quais são os próximos passos?

    Até o momento, os resultados dos ensaios não foram publicados oficialmente em nenhum periódico científico ou analisado por pares. Entretanto, ainda de acordo com o comunicado da Pfizer, o objetivo é divulgá-los e apresentá-los para as agências reguladoras de saúde pública norte-americana, como é o caso da Food And Drog Administraion (FDA).

    “Desde julho, os casos pediátricos de covid-19 aumentaram cerca de 240% nos EUA – enfatizando que a saúde pública precisa de vacina. Os resultados desses testes fornecem uma base sólida para obtermos a autorização do nosso imunizante para crianças de cinco a 11 anos de idade, e planejamos submetê-los ao FDA e outros reguladores com urgência”, destacou Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer, no comunicado. Estima-se que, desta forma, a vacina seja liberada antes do ano letivo no inverno do país.

    Recentemente, Scott Gottlieb, médico e ex-comissário da Food and Drug Administration (FDA), já havia trazido o assunto à tona, afirmando que há uma previsão de que o imunizante da BioNTech seja liberado para crianças a partir de cinco anos até o final de outubro. As conclusões apresentadas apontam para que isso se concretize!

    Continua após a publicidade
    Publicidade