Covid-19: estudo mostra que CoronaVac é segura para crianças pequenas

Levantamento chinês conclui que mais de 96% de crianças e adolescentes que receberam duas doses da vacina produziram anticorpos contra o coronavírus.

Por Alice Arnoldi 29 jun 2021, 16h36

Assim como aconteceu na China, o Brasil caminha para poder vacinar crianças contra a covid-19 a partir dos três anos, com o uso da CoronaVac, como informou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. Diante disso, tanto os pais quanto a comunidade médica vinha se questionando sobre a segurança do imunizante no público infantil e a resposta começa a ser dada com um dos primeiros estudos voltados ao assunto.

A pesquisa elaborada por integrantes da Sinovac Life Sciences e Sinovac Biotech foi publicada no período científico The Lancet – Infectious Diseases, no dia 28 de junho, e analisou as fases 1 e 2 da aplicação da CoronaVac em pacientes de três a 17 anos. O objetivo era descobrir se o imunizante era seguro, tolerável e capaz de ativar o sistema imunológico infantil e resposta mostrou-se positiva em todas as categorias.

Na primeira etapa, os estudiosos recrutaram 72 participantes e 480 na segunda, tendo um total de 552 pessoas envolvidas na análise. O estudo clínico ocorreu de maneira randomizada, ou seja, a escolha de quem iria receber a vacina e o placebo aconteceu de modo aleatório. Além disso, duas doses foram aplicadas nos pacientes: alguns receberam 1,5µg e outros tomaram 3µg. 

  • Resultados importantes à vacinação infantil 

    O levantamento concluiu que mais de 96% de crianças e adolescentes que receberam as duas doses da vacina produziram anticorpos contra covid-19, mostrando a eficácia do imunizante em ativar o sistema imunológico. Além disso, a CoronaVac também foi apontada como segura nas duas dosagens utilizadas, já que as reações adversas de ambas foram semelhantes e tidas como leves – sendo a dor no local da aplicação a mais comum, principalmente na faixa etária de 12 a 17 anos.

    Entretanto, ainda que as duas quantidades sejam possíveis, os pesquisadores explicam que as respostas imunológicas foram mais intensas quando usaram a dosagem maior, portanto, a recomendação é que crianças e adolescentes sejam imunizadas com duas doses da CoronaVac de 3µg. 

    E assim como é visto em outras vacinas como a da Influenza e Hepatite B, a resposta imunológica da CoronaVac é inversamente proporcional a idade dos pacientes, isto é, quanto mais nova a pessoa for a pessoa que recebeu o imunizante, mais anticorpos ela tende a produzir.

    Como é apontado em outros estudos produzidos sobre as vacinas contra covid-19, esta pesquisa possui suas limitações, como a quantidade de pessoas analisadas e o acompanhamento a longo prazo das consequências do imunizante. Entretanto, é um início positivo para estratégias futuras da imunização infantil para controle da pandemia.

    Continua após a publicidade
    Publicidade