Anvisa afirma que só Pfizer pediu para incluir crianças em bula da vacina

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária explicou também que, por enquanto, não houve nenhum pedido de liberação da CoronaVac para o público infantil.

Por Alice Arnoldi 14 jul 2021, 12h50

Recentemente, pais de crianças pequenas foram surpreendidos com a notícia positiva de que a CoronaVac seria segura para crianças a partir de três anos, conforme mostrou levantamento chinês publicado no The Lancet – Infectious Diseases. Entretanto, em nota divulgada no dia 12 de julho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que somente a Pfizer/BioNTech pediu a alteração de sua bula para que crianças a partir de 12 anos possam receber o imunizante.

“Esse pedido já foi autorizado pela Agência e a indicação para esta faixa etária foi incluída na bula da vacina Comirnaty. Não há solicitação do Instituto Butantan para alteração da bula da CoronaVac e a inclusão de crianças e adolescentes. Portanto, não há pedido dependendo de análise da Anvisa”, reitera o documento.

A nota ainda esclarece que a alteração da bula dos imunizantes, para que novos públicos sejam inseridos no cronograma de vacinação contra covid-19, depende da apresentação de estudos clínicos que comprovem tanto a segurança quanto a eficácia da vacina no grupo apresentado. Foi assim que a Pfizer conseguiu a liberação para ser aplicada em crianças a partir dos 12 anos tanto no Brasil quanto em outros países, como os Estados Unidos.

“Desde o início do ano passado, a Anvisa tem realizado uma troca de informações frequentes com os laboratórios envolvidos no desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19, assim como tem acompanhado todas as publicações científicas sobre o tema. No entanto, não há pedido de aprovação da CoronaVac para essa faixa etária”, reforça o comunicado. 

  • Os primeiros passos da vacinação infantil 

    Com a liberação do imunizante produzido pela BioNTech para crianças a partir dos 12 anos, o estado de São Paulo já estabeleceu um novo calendário em que o público infantil e adolescente está incluído. De acordo com o governador João Dória, esta faixa etária começa a ser vacinada a partir do dia 23 de agosto.

    A primeira etapa da campanha se estenderá até o dia 5 de setembro, em que o público-alvo é adolescentes de 12 a 17 anos com deficiência, comorbidades ou que sejam gestantes. Do dia 06 a 19 de setembro, jovens de 15 a 17 sem comorbidades serão imunizados. E, por fim, de 20 a 30 de setembro, a vacinação será destinada às crianças de 12 a 14 anos, também sem nenhuma doença pré-existente.

    Continua após a publicidade
    Publicidade