Outubro Rosa: mãe escreve livro infantil para falar sobre câncer

A história é narrada por Clara, uma garotinha de 5 anos que descobre que a mãe está doente.

Por Luísa Massa 4 out 2017, 19h39

Anna Maria Mello recebeu em 2015 o diagnóstico de câncer de mama. Na época, as filhas da paulistana tinham 15 e 19 anos, mas foi o questionamento de uma afilhada, de 5 anos, que a fez refletir sobre a maneira como as crianças encaram a enfermidade. Para falar sobre a questão, ela escreveu o livro “Cabelos Vão, Cabelos Vêm. O Que é Que a Mamãe Tem?“, lançado neste mês pela Editora Chiado.

A história é narrada por Clara, uma garotinha de 5 anos que descobre que a mãe está doente, e conta com ilustrações de aquarela feitas por Angelo Bonito. Para ajudar instituições que lutam pela causa, a escritora decidiu doar 200 exemplares para os Doutores da Alegria e a UNACCAM (União e Apoio no Combate ao Câncer de Mama). Além disso, ela criou uma linha de bonecas que está à venda em seu site. Conversamos com Anna Maria sobre os projetos e, abaixo, você confere a entrevista:

Como surgiu a ideia de escrever um livro para falar sobre câncer com crianças?

Anna Maria Mello (A.M.):  Tudo começou porque, quando eu estava em tratamento, a minha afilhada foi me visitar e ninguém tinha contado para ela que eu tinha ficado careca. Então ela ficou em choque, surpresa, e começou a chorar. E eu pensei: ‘meu Deus, e agora? O que vou fazer?’. Então expliquei tudo o que tinha acontecido e disse que o meu cabelo voltaria a crescer. Foi aí que surgiu a ideia de escrever um livro para ajudar as crianças a entenderem esse tipo de situação.

E o que você sentiu quando os seus cabelos começaram a cair?

(A.M.): Foi um grande choque para a família porque acho que a ficha caiu quando eu fiquei careca. E também foi muito forte para mim. Quando perdi as mamas também fiquei assustada porque essa é uma parte do corpo muito significativa para mim.

A obra é indicada para qual faixa etária?

(A.M.): Para crianças de 7 a 10 anos, até mesmo porque as letras são grandes, em caixa alta, para que elas possam ler. Mas ela também é recomendada para os menores, pois pode ser lida em voz alta pelos pais.

Continua após a publicidade

E qual é o objetivo do livro?

(A.M.): É apoiar, para que as crianças realmente entendam o que está se passando e se identifiquem com a história. Eu estou doando vários livros para pacientes que precisam contar para os filhos que estão doentes. É uma obra para toda a família porque ela também adoece.

Como você acha que os pais – e a sociedade como um todo – podem naturalizar o câncer para os pequenos?

(A.M.): Hoje as crianças são muito espertas. É preciso contar de uma maneira limitada o que vai acontecer. O livro apresenta temas reais, delicados, mas em os tons pastel, com ilustrações que fazem com que o leitor se sinta acolhido naquele momento. É até um bom jeito dos pais contarem a notícia.

E a iniciativa de criar a linha de bonecas? Como surgiu?

(A.M.): Quando eu estava conversando com uma psicóloga sobre brincadeiras lúdicas e como elas apoiam as crianças nesse momento. As bonecas feitas à mão são carecas, têm perucas, turbantes, lenços que podem ser colocados e retirados e outras que têm cabelos, que podem ser cortados. Elas são uma continuação do livro e até usam as roupinhas que estão nele. Dessa forma, é possível concretizar a doença da mãe ou também das próprias crianças que estão passando pela quimioterapia. Também tem os bonecos que vêm para apoiá-las porque as pessoas que enfrentam o câncer precisam se reinventar – eu mesma, que trabalhava com eventos, passei a não poder mais carregar peso e fui parar na área literária.

Ana (boneca de pano, com rosto pintado à mão, careca, que vem com um turbante e roupas) – R$ 85,00 e a filha Clara (boneca de pano, com rosto pintado à mão, com cabelos de lã e roupas) – R$ 65,00 Anna Maria Mello/Divulgação

Livro: Cabelos Vão, Cabelos Vêm. O Que é Que a Mamãe Tem?
Autora: Anna Maria Mello
Ilustrador: Angelo Bonito
Editora: Chiado
Preço: R$ 34 / Ebook: R$ 9
Número de páginas: 88

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade