Esta série tem episódios escritos e dublados por jovens autistas

"Pablo", da Nat Geo Kids, conta a história de um garotinho de cinco anos que está dentro do Transtorno do Espectro Autista.

Quando falamos de produções para crianças, um dos cuidados tem sido para que, cada vez mais, elas sejam fontes para o contato com a diversidade. Este é o caso da série “Pablo”, da Nat Geo Kids, um dos canais do grupo Disney, que já está com a sua segunda temporada no ar.

Em uma mistura de live-action e animações, a história foca no personagem Pablo, de cinco anos, que está dentro do Transtorno do Espectro Autista. A ideia central da narrativa é mostrar situações que podem ser vistas como rotineiras para muitas pessoas, mas são delicadas para crianças autistas – como ouvir barulhos altos, ir ao supermercado com os pais ou até mesmo cortar o cabelo.

Nestes momentos, a parte lúdica é o que traz ajuda para Pablo. Toda vez que ele está passando por uma dessas circunstâncias complexas, os seus desenhos ganham vida para guiá-lo a passar por cada uma delas com segurança e respeitando os seus limites.

Para que esse diálogo entre a série e a realidade não ficasse distante, a escolha da Nat Geo Kids foi chamar jovens autistas para escreverem as histórias de cada episódio, inspiradas em experiências pessoais. Além de também serem os responsáveis pela dublagem dos personagens.

“‘Pablo’ procura despertar a empatia dos espectadores, ao mesmo tempo em que tenta visibilizar e compreender as diferenças a partir do olhar de um menino com TEA. Os meninos e meninas dentro do espectro encontram no personagem e na história do Pablo um universo com o qual podem se conectar e identificar“, explica Belén Urbaneja, diretora de Diversidade & Inclusão da Disney. 

Já para o público infantil que não está dentro do espectro, mas acompanha a série, a ideia é que ela possa apresentar para essas crianças que existem realidades diferentes das que elas vivem e criar um cenário em que há o respeito com a pluralidade.

“Acreditamos que é importante criar personagens com que todas as crianças possam se sentir identificadas. Procuramos conhecer, valorizar e representar a diversidade das nossas audiências em nossas produções, histórias e personagens, com aquelas diferenças visíveis e as nem tão visíveis, que fazem parte da identidade de todos nós”, enfatiza Belén.

Com essa preocupação com o que está nítido ou não, os jovens chamados para escreverem os episódios e dublarem fazem parte tanto de grupos com graus mais avançados do autismo quanto com os mais leves, abrindo uma possibilidade maior de identificação com as histórias.

Ficou curioso para dar uma espiada no conteúdo? Um episódio completo da segunda temporada da história está disponível no YouTube – e, para quem quiser acompanhar na TV, ‘Pablo’ é transmitido de segunda a sexta-feira, às 09h30 da manhã.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s