Dicas valiosas para limpar o quarto da criança

Alguns cuidados devem ser levados em conta para evitar a proliferação do vírus. Saiba que produtos usar, como higienizar brinquedos e outras recomendações.

Em tempos de coronavírus, os cuidados com higiene devem ser redobrados. Lavar as mãos cautelosamente, evitar o contato próximo com as pessoas e cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar são algumas das medidas que já sabemos que ajudam a prevenir o contágio. Porém, mesmo prestando atenção em tudo isso, não podemos esquecer da limpeza do ambiente em que passamos mais tempo: nossa casa.

Pois é, limpar os cômodos deixou de ser apenas uma preocupação com a arrumação em si para virar uma questão de saúde, já que um lugar bem higienizado evita a proliferação de vírus e bactérias. E que tal começarmos pelo cantinho do pequeno? Separamos dicas de limpeza para cada parte do quarto da criança. Desde a superfície, até os armários, brinquedos e itens mais delicados. Covid-19? Aqui não!

Mantenha o ambiente arejado

O primeiro lembrete é: locais fechados e úmidos são propícios para os agentes que causam doenças. Portanto, nada melhor que investir em um ambiente arejado, que garanta uma boa circulação do ar. Assim, quando for começar a limpar o quarto, o ideal é abrir as janelas, cortinas e retirar qualquer mobília que impeça a ventilação.

 

 

O que ter em mãos?

Chega a hora de separar os utensílios que serão utilizados. “Sempre recomendo o uso do aspirador de pó, porque é mais prático e eficiente. Você pode aspirar dentro das gavetas e prateleiras, o que ajuda na eficácia da limpeza e no aproveitamento de tempo”, sugere Rafaela Oliveira, personal organizer e dona do canal “Organize Sem Frescuras”. Outra vantagem do equipamento é que ele não levanta poeira no ambiente, ao contrário do espanador, por exemplo.

Ter em mãos um álcool 70% também é essencial, principalmente neste momento de pandemia. O item pode ser usado tanto para começar a higienizar as superfícies quanto para finalizar a limpeza, borrifando-o nos armários, piso e objetos. Para complementar, vale apostar em produtos neutros e hipoalergênicos, que garantam a segurança das crianças.

Já para tirar o pó das superfícies em geral – ou dos lugares que o aspirador não alcança – nada melhor que o bom e velho pano umedecido. E nada de reutilizá-lo na casa toda, viu? “Outra medida simples é separar os itens para a higienização de cada cômodo. O mesmo pano de chão para limpar o banheiro e o escritório faz parecer que os locais estão aparentemente limpos, quando, na verdade, só se transferiu as bactérias de um lugar para outro”, afirma Renato Ticoulat, presidente da Limpeza com Zelo, rede de franquia focada em limpeza residencial. Sendo assim, a dica do profissional é diferenciar os panos com cores para cada cômodo.

Além do básico, alguns materiais específicos podem ajudar na tarefa, como o pano de microfibra. “Vale a pena tê-lo em casa. Diferente do pano de algodão, ele faz com que as partículas de sujeira entrem nas cavidades e permaneçam lá, além de absorverem até oito vezes seu peso em líquido. Por possuir, também carga positiva, cria uma enorme capacidade de reter a sujeira, que possui carga negativa”, explica Renato.

Como limpar os brinquedos?

As crianças passam muito tempo com os brinquedos nas mãos, por isso a limpeza deles é imprescindível – principalmente se seu filho está na fase oral, período em que o pequeno tende a colocar tudo na boca. Antes de tudo, vale ressaltar que cada material exige cuidados específicos para que não estrague e fique o mais higienizado possível. Parecem muitos detalhes, mas garantimos que fazendo o processo uma vez você nunca mais vai esquecer!

  • Brinquedos de borracha ou plástico: São os mais fáceis de higienizar. De acordo com Sharon Czitrom, diretora de marketing da Sunny Brinquedos, basta fazer a limpeza com água e sabão e finalizar com um pano com álcool para secar. “Para os que são utilizados na hora do banho, procure retirar toda a água do interior do brinquedo para evitar mofo e bactérias”, acrescenta ela.
  • Brinquedos de metal: Para os carrinhos, por exemplo, o melhor é utilizar um pano umedecido com álcool 70%. Se o brinquedo não for de ferro, uma alternativa é usar uma esponja não abrasiva com um pouco de detergente ou apenas sabão neutro e água.
  • Brinquedos de tecido ou pelúcia: Estes podem ser lavados na máquina, mas com alguns cuidados. “Gosto de colocá-los dentro de capas de tecido – aquelas especiais para este fim – ou dentro de uma fronha. Depois, insiro na máquina no ciclo delicado com sabão específico para roupas delicadas”, diz a personal organizer. Ah, e não se esqueça de verificar se os brinquedos estão totalmente secos antes de guardá-los no armário, viu?
  • Brinquedos de madeira: O material é um pouco mais delicado, então não é interessante emergi-lo inteiro na água. “Por absorver água com muita facilidade, podendo ocasionar em manchas futuras, o recomendado é que sejam limpos com espanador, pano seco ou levemente umedecido”, aconselha Sharon.

Com que frequência trocar toalhas e lençóis?

Outra dúvida que pode surgir é de quanto em quanto tempo devemos trocar toalhas e lençóis, por exemplo. A resposta, segundo Rafaela, é semanalmente. Porém, com o cenário de pandemia, esta frequência pode – e deve – ser intensificada. “A toalha é melhor trocar pelo menos duas vezes por semana, e o lençol, no mínimo, uma vez na semana”, diz ela.

Mais um cuidado a ser levado em conta é o de individualizar os objetos de uso pessoal, como toalhas, copos e outros itens que antes podiam ser compartilhados entre os membros da família.

Dicas de ouro!

De acordo com João Prats, infectologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, “o vírus não dura muito tempo no ambiente, especialmente nos tecidos e materiais porosos. Depois de 24 horas, a quantidade é mínima e pode nem mesmo contagiar”. Portanto, o maior cuidado mesmo é o de não trazer o agente infeccioso para dentro de casa – e, mais especificamente, para o quarto da criança. “Quando chegar da rua, tire as roupas, deixando em um cesto separado, e, se possível, tome um banho antes de entrar em contato com o filho”, acrescenta ele.

Em termos de logística, sabemos que limpar o cômodo inteiro pode ser bastante cansativo. Por isso, o conselho da personal organizer é realizar a tarefa por etapas. “Agora que muitas pessoas estão fazendo home office e ainda aliando os cuidados com uma criança pequena, a minha dica é sempre montar um cronograma da limpeza e da organização. Pegar uma grande tarefa – como o armário de roupas – e separar em pequenas partes: primeiro a gaveta, depois as prateleiras… Assim você não perde tempo e o processo não fica exaustivo”, sugere.

Outra dica valiosa de Rafaela é contar com a ajuda de produtos organizadores, como cestas de plástico laváveis, para que seja mais fácil higienizar o recipiente como um todo – e não cada pequeno objeto por vez.  “Também prefira manter os brinquedos em lugares fechados com tampa, porque isso evita o acúmulo de pó e ajuda na limpeza”, completa ela.

Por fim, a especialista fala em sempre envolver a família na limpeza. “Marido, esposa e até a criança se já for maiorzinha pode ajudar”, diz ela. Com várias mãos, o processo fica mais rápido – e, até mais divertido, né?

 (Juliana Pereira/Bebê.com.br)

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.