Curta da Pixar surpreende ao ter personagem dublado por menina autista

"Loop" mostra de forma delicada o universo de quem vive dentro do espectro. A produção estará disponível no serviço de streaming Disney +.

O Disney +, nova plataforma de streaming da Disney, não para de surpreender com seus curtas autorais. Depois de “Float”, uma história emocionante baseada na relação do diretor com seu filho autista, outra produção que segue a mesma temática e também promete arrancar suspiros é “Loop”.

A trama delicada acompanha dois personagens: Rene, uma menina de 13 anos dentro do espectro autista e que não se comunica oralmente, e Marcus, um jovem que nunca entrou em contato com esse universo não-verbal. Apesar de tão diferentes, o dois têm em comum a paixão pela canoagem – e é justamente na canoa que a narrativa se desenrola.

“Eu pensei que a situação de estar em uma canoa tentando chegar em algum lugar, tentando compartilhar algo que você ama, mas não conseguindo se comunicar, seria uma história curta muito divertida a se contar”, disse a escritora e diretora Erica Milsom.

Grupo de consultores da rede em defesa do autismo assistiram ao filme e deram feedbacks sobre o que fazia sentido e o que deveria ser alterado ao longo da história. Eles também trouxeram percepções sobre o que a protagonista poderia estar sentindo e pensando em cada momento.

A partir do contato com o autismo, os produtores puderam tornar a trama mais fidedigna. Um exemplo é o enquadramento da câmera, que ao refletir o ponto de vista de Rene, várias vezes não fazia contato visual com Marcus, por não ser algo confortável para ela.

Outra (e talvez a mais) interessante iniciativa da produção foi dar voz – literalmente – para a personagem. Rene foi dublada por Madison, uma menina diagnosticada dentro do espectro autista e que quase não fala. Para tornar o ambiente mais confortável para ela, os responsáveis pelo filme decidiram gravá-la em sua própria casa, onde não teria tantos incômodos e distrações.

“Eu acho que quando você está falando de algo como pessoas que têm grandes diferenças ou pessoas que têm deficiências que podem ser vistas como desconfortáveis ou ‘esquisitas’, o formato de animação possui um grande poder de desconstruir essa visão do espectador”, explicou Erica.

O trailer oficial não foi lançado, mas o canal de Youtube da Pixar divulgou os bastidores da produção do curta. Mesmo ainda sem a versão dublada, podemos acompanhar algumas cenas e conhecer a menina que dá voz (e representatividade) para a trama. ❤️ Confere só:

Assim como “Float”, “Loop” também faz parte do Sparkshorts, um projeto experimental dos estúdios Pixar para dar liberdade aos artistas da empresa para que contem suas histórias pessoais. A chegada do Disney+ ao Brasil ainda não tem data definida, mas de acordo com o site Omelete, pode ser que o lançamento do serviço no país seja adiantado para agosto de 2020. Não vemos a hora! 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s