6 dúvidas sobre as cólicas do bebê solucionadas

Qual é a melhor maneira de tratá-las? A alimentação da mãe influencia? Reunimos informações e dicas de especialistas para ajudar os pais!

Elas normalmente aparecem após a segunda semana de vida do bebê, causam desconforto e dores na região abdominal e podem durar até o terceiro mês. Sim, estamos falando das temidas cólicas! Apesar de ainda não existir um motivo exato para o surgimento do problema, sabe-se que ele está relacionado com a imaturidade do sistema digestivo dos pequenos. Diante de tanto choro, os pais costumam ficar aflitos e buscam diversas maneiras para amenizar os incômodos dos filhos – algumas até que não são mais recomendadas pelos pediatras. Para ajudar , conversamos com especialistas, que esclarecem as perguntas mais frequentes sobre o assunto. Confira!

1. Quais sinais indicam que o bebê está com cólicas?

Os pais de primeira viagem sempre se questionam como saber se a queixa do filhote realmente tem a ver com incômodos abdominais. “Choro intenso, encolhimento das perninhas e eliminação de gases durante o choro são os sinais mais comuns de cólica”, revela Talita Magalhães, enfermeira supervisora da UTI Neonatal do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, de São Paulo. A pediatra e homeopata da Clínica de Especialidades Integrada, Silvana Matoso, chama a atenção dos pais para outros fatores: “Geralmente, as cólicas se iniciam após quinze dias de vida e acontecem pelo menos uma vez ao dia, quase sempre no mesmo horário. Entretanto, o final da tarde e à noite são os períodos mais críticos”, explica.

2. Qualquer bebê pode ter o problema?

Segundo a enfermeira Talita Magalhães, ainda não se sabe ao certo por quais motivos alguns pequenos são mais suscetíveis a sentir tais desconfortos, que acometem tanto crianças que foram amamentadas no peito quanto as que tomaram mamadeira. “As fórmulas lácteas são feitas a partir da proteína do leite de vaca e, apesar de elas serem modificadas para parecer com o leite materno, serão digeridas com mais dificuldade – o que pode levar ao surgimento das cólicas”, esclarece a pediatra Silvana Matoso.

3. Os hábitos da mulher durante a gestação podem influenciar posteriormente nas cólicas do filho?

Essa é uma questão controversa, que divide opiniões dos especialistas. No entanto, para a enfermeira Talita Magalhães, essa relação existe, sim. “O consumo de alguns alimentos durante a gravidez – geralmente os que provocam gases como leite, chocolate, brócolis, couve-flor, cebola, feijão, entre outros – podem predispor o bebê a ter cólicas”, afirma.

4. A alimentação da lactante também está relacionada com o surgimento das cólicas?

Muito se fala sobre a influência que existe entre os alimentos que a mãe consome com os desconfortos que os bebês sentem nos primeiros meses de vida. “Não há nada comprovado cientificamente, mas acredito que é prudente evitar café, chocolate, pimenta e alho em excesso quando a mulher estiver amamentando. Isso porque esses alimentos contêm substâncias estimulantes, que podem passar para o leite e deixar a criança irritada”, explica Susana Matoso, pediatra de São Paulo. Para que o aleitamento materno seja bem sucedido, é importante que a mãe beba muito líquido, esteja calma e tenha uma alimentação saudável. A médica também sugere que as lactantes fujam das comidas industrializadas, que possuem corantes e conservantes.

5. Como aliviar as dores do bebê?

Aquecer a barriga do pequeno com compressas, oferecer colo, deixar a pele da criança em contato com a da mãe e fazer massagens com óleos indicados para o público infantil são algumas maneiras naturais de amenizar as cólicas. “Deite o bebê de barriga para cima e massageie suavemente a região abdominal com movimentos circulares em sentido horário”, orienta a enfermeira Talita. A amamentação também costuma melhorar o incômodo, assim como o banho quente. A médica Silvana Matoso sugere que os pais coloquem o bebê deitado de bruços em seus braços para ajudá-lo a eliminar gases e a evacuar. Em alguns casos, o uso de medicamentos é necessário, mas eles devem ser prescritos pelo pediatra que acompanha a criança.

6. O bebê pode tomar chá para ajudar a amenizar as cólicas?

Essa medida já foi muito comum e, apesar de algumas pessoas ainda sugerirem os chás como uma alternativa eficaz, eles são contraindicados pelos especialistas. “Não se deve dar chá para recém-nascidos, especialmente para aqueles que são amamentados exclusivamente. O leite materno é o alimento adequado, pois tem a quantidade necessária de água, nutrientes e outras substâncias capazes de acalmar a criança”, aponta a pediatra Susana Matoso. A enfermeira obstetra Cinthia Calsinki também fala sobre os outros malefícios dessa atitude: “Os chás interferem no ganho de peso, podem causar falsa saciedade e até mesmo problemas mais graves como diarreias e vômitos”, explica.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s