Intoxicação alimentar é problema relatado por 1 em cada 10 pais

Pais citam restaurantes como maior fonte de comida contaminada, mas só um quarto deles checa as instalações do local antes de escolher onde vai jantar.

O dado do título parece até modesto se compararmos com a frequência em que ouvimos falar sobre intoxicação alimentar, especialmente em crianças. Mas o interessante é que essa pesquisa, realizada com dois mil pais pelo C.S. Mott Children’s Hospital, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, mostra o quanto sabemos sobre esse tema.

Por exemplo, entre os 11% dos pais que relataram episódios de doença provocada por comida contaminada ou estragada, 68% deles creem que ela foi provocada por uma refeição feita em restaurantes. Outras causas apontadas foram a própria casa, para 31% dos casos; a escola, com 21%; a casa dos amigos, com 14%; e, por último, as refeições onde cada convidado leva um prato.

O curioso é que, mesmo sabendo que o restaurante poderia ser uma fonte de intoxicação, só 25% dos pais afirmaram checar a reputação do estabelecimento antes de fazer o pedido. Nos Estados Unidos, há uma classificação de segurança, feita com inspeções regulares que avaliam a temperatura de armazenamento da comida, bem como a limpeza das áreas onde ela é preparada.

Veja também

Como se proteger

Embora a maioria das intoxicações alimentares seja passageira e não provoque grandes estragos, em alguns casos elas podem oferecer riscos sérios aos pequenos e até exigir internação. Por isso, vale seguir algumas regrinhas na hora de comer. Veja as dicas elaboradas pelos pesquisadores norte-americanos:

Em casa 

  • Lave frutas e vegetais antes de cozinhá-los ou servi-los. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), recomenda ainda que essa higienização seja feita com uma mistura feita com uma colher de sopa de água sanitária para um litro de água. Deixe de molho lá por 15 minutos e depois enxague.
  • Carnes podem ser contaminadas durante o processo de produção e transporte. Por isso é importante cozinhá-las bem e não manipular outros ingredientes com facas e utensílios utilizados no preparo da carne crua.

No restaurante

  •  O armazenamento de alimentos em temperaturas erradas favorece o crescimento de bactérias nocivas para a saúde. Às vezes, o refrigerador não está congelando o suficiente, enquanto ovos e laticínios não devem ficar muito tempo em temperatura ambiente. Já nos buffets, o problema é a comida pronta não ser mantida em temperatura quente o suficiente.
  • Tábuas e utensílios devem ser lavados logo depois do uso. Resíduos de comida podem facilitar a contaminação cruzada entre duas comidas.
  • Certifique-se de que os funcionários lavem as mãos constantemente.
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s