Receba newsletters grátis!

Faça o cadastro e receba por e-mail informações sobre sua gravidez e filhos

  • Gravidez
  • 1º ano
  • 2º ano
  • 3º ano
  • 4º ano
  • 5º ano
  • 6º ano

Navegue pela linha do tempo do seu filho

Saúde

Você sabe quando está ovulando?

Suzana Dias Atualizado em 26.04.2012
mulher com ampulheta - ovulação

Getty Images

Durante o período fértil, o corpo dá sinais específicos de que a mulher está pronta para engravidar. Aprenda a identificá-los

Da primeira menstruação à chegada da menopausa, o organismo feminino passa centenas de vezes por uma repetição mensal chamada de ciclo menstrual. Durante cada um desses períodos de 28 ou 30 dias, apenas por cerca de 36 horas (ou menos!) existe a chance de conceber um filho. Portanto, para quem deseja engravidar, saber precisamente o dia da ovulação pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso.

 

Mesmo que a mulher não esteja planejando uma gravidez, é interessantíssimo identificar os dias em que se encontra fértil. Sim, porque é nesse estágio do ciclo menstrual que ela atinge o ápice da feminilidade e seus atributos de sedução ficam em maior evidência. Quem não gostaria de tirar proveito desse momento de glória pessoal? “É quando a mulher fica mais atraente, sua pele se torna mais úmida e ela ganha um brilho diferente no olhar”, diz o ginecologista e obstetra José Bento de Souza, de São Paulo.

 

Com um pouco de auto-observação ou com a ajuda de exames específicos, é possível identificar os sinais que o corpo dá no período em que você está fértil. Antes de descobrir quais são os indícios da ovulação, porém, é importante entender o que acontece durante o ciclo menstrual.

 

Um mês, várias fases

O primeiro dia do ciclo é aquele em que a menstruação vem. Toda mulher deve ficar atenta e anotar essa data, pois é a partir dela que se calcula não apenas a chegada da próxima menstruação como também os dias de maior chance de engravidar. “No início do ciclo, a glândula hipófise, localizada no cérebro, secreta o FSH, um hormônio que age no ovário, fazendo com que ele produza outro hormônio, o estrogênio, que estimula a maturação do óvulo”, explica João Leandro Costa de Matos, coordenador de ginecologia e obstetrícia do Hospital Balbino, no Rio de Janeiro.

 

O estrogênio começa a preparar a vagina e o útero para receber os espermatozoides, que poderão fecundar o óvulo. Com o fim do período menstrual, a secreção vaginal fica cada dia mais hospitaleira, enquanto a mulher se torna mais comunicativa, bem-humorada e sedutora. Por volta da metade do ciclo – geralmente, entre o 12º e o 16º dia depois da data em que a menstruação desceu –, a hipófise libera uma dose maior de LH, um hormônio que está sempre circulando na corrente sanguínea, mas que tem seu ápice nesse momento. Sua função é provocar a liberação do óvulo maduro, que é lançado para a trompa. Essa é a fase chamada de ovulação.

 

Durante um período de 12 a 36 horas, no máximo, o óvulo sobrevive, esperando ser fecundado. Se isso não acontecer, ele morre, e o corpo da mulher passa a ser comandado pelo hormônio progesterona, que reduz a libido e torna o ambiente vaginal e uterino inóspito aos espermatozoides. Então, na segunda metade do ciclo menstrual, a mulher fica mais introspectiva e, muitas vezes, surge a famosa TPM, até que a próxima menstruação chegue e tudo recomece.

 

Sinais da ovulação

Saiba como reconhecer quando você entra no período fértil:

 

- Dor pélvica

Não é todo mundo que sente, mas há mulheres que notam algumas pontadas na região pélvica, quando estão ovulando. Esse desconforto ocorre porque, para ser liberado do ovário, o óvulo precisa romper uma estrutura que o envolve, chamada de folículo, o que pode ser um pouco dolorido. Embora esse sintoma nem sempre seja perceptível, vale a pena prestar atenção, caso você sinta um incômodo no baixo ventre, na metade do ciclo. Pode ser, sim, a tão esperada ovulação!

 

- Temperatura em alta

“Quando ocorre o pico de LH, o hormônio que estimula a ovulação, a temperatura basal da mulher sobe um pouco, cerca de meio grau”, esclarece José Bento de Souza. Para acompanhar essa oscilação, é necessário ter um termômetro à cabeceira da cama desde o primeiro dia do ciclo menstrual. Todas as manhãs, antes de se levantar, meça sua temperatura, posicionando o termômetro sob a língua. “Medir na axila é desaconselhável porque há variações, especialmente se a pessoa dormiu muito agasalhada.

 

Também é fundamental fazer o procedimento antes de escovar os dentes ou comer, o que também altera a temperatura da boca”, completa Souza. Anote em um papel o resultado, dia a dia. Quando o termômetro marcar um valor um pouco mais alto, possivelmente você estará no período fértil e será a hora de tentar encomendar um herdeiro. Lembre-se de que não se trata de um método totalmente confiável, já que outros fatores, como uma virose e alterações emocionais, também podem fazer sua temperatura subir.

 

- Secreção diferenciada

Quando não se está menstruada, é comum perceber um muco que sai da vagina. Essa secreção é normal e sofre algumas modificações ao longo do ciclo menstrual. A chegada do período fértil pode ser observada pela mulher que fica atenta a essas mudanças. “A ovulação aumenta a quantidade desse muco e o torna mais elástico, semelhante à clara de ovo”, compara o João Leandro Costa de Matos. Tudo isso tem um propósito: facilitar a chegada dos espermatozoides ao óvulo. Assim que passa o período fértil, o muco diminui e se torna mais espesso. Esse é um sinal de que a oportunidade de engravidar, provavelmente, já passou. Pelo menos dessa vez...

 

- Muito mais desejo

Durante a ovulação, todo o corpo feminino está voltado para conseguir êxito na reprodução. Isso, lógico, faz com que a mulher sinta mais vontade de transar. “O aumento do desejo vem acompanhado de uma produção de feromônios”, diz Matos. Feromônios são substâncias secretadas pelo corpo que têm a capacidade de excitar sexualmente os homens por meio do olfato. Se os odores corporais da mulher se acentuam na época fértil para atrair parceiros, a sua percepção de cheiros também fica aguçada. Por isso, se além de a libido estar tinindo, seu nariz parecer mais sensível em determinado dia, há chances de ser um sinal de máxima fertilidade!

 

- Teste em casa

Digamos que você observe todos os sinais que listamos, mas ainda assim pretenda saber, com mais precisão, se está realmente ovulando. Para esse caso, existe um teste comprado em farmácia, que custa aproximadamente 40 reais e é tão fácil de usar quanto o outro utilizado para saber se está ou não grávida. O teste de fertilidade também é feito com uma amostra de urina. A diferença é que ele deve ser repetido por cinco dias, todas as manhãs.

 

Há várias marcas disponíveis no mercado, mas o princípio é o mesmo. Mergulha-se uma das cinco fitas do kit na urina. Aí, basta aguardar alguns minutos. Se surgir uma linha de cor tão ou mais intensa do que a linha de controle já presente na tira, significa que o nível do hormônio LH aumentou no organismo. Bingo! É sinal de que a ovulação está prestes a acontecer e você tem até 36 horas para tentar engravidar.

 

- Teste no consultório

Existe um recurso ainda mais preciso do que o teste de farmácia para acompanhar a ovulação. Ele é, geralmente, indicado para mulheres que estão tentando engravidar há, pelo menos, um ano e meio sem sucesso. “Trata-se de um controle ultrassonográfico, realizado a cada dois dias, a partir do nono dia do ciclo menstrual. Assim, o médico vai medindo o tamanho do folículo e consegue saber quando o óvulo será liberado”, afirma Souza. Ficou interessada? Então, converse com o seu ginecologista sobre essa alternativa e boa sorte!


Recomendamos Para Você