Receba newsletters grátis!

Faça o cadastro e receba por e-mail informações sobre sua gravidez e filhos

  • Gravidez
  • 1º ano
  • 2º ano
  • 3º ano
  • 4º ano
  • 5º ano
  • 6º ano

Navegue pela linha do tempo do seu filho

Alimentação

Alimentos camuflados

Mônica Brandão Atualizado em 02.12.2011
033-alimentos-escondidinhos

Getty Images

Esconder ingredientes nutritivos em receitas que seu filho adora não pode virar hábito, mas é a solução quando ele se recusa a comer

Quem nunca pensou em esconder o espinafre no bolinho de carne, depois da décima recusa do filho, levante a mão! Ninguém, né? Afinal, esse pensamento é quase natural quando o assunto é a ânsia de fazer uma criança comer. No entanto, será que o esconde-esconde alimentar é saudável? Para saber mais sobre o assunto, conversamos com os especialistas e descobrimos o que fazer para isso não virar um hábito, as melhores maneiras de camuflar os alimentos e três deliciosas receitas para você copiar e se inspirar.

 

Esconder ou não esconder

O assunto é bastante polêmico entre os pediatras, nutrólogos e nutricionistas. Por um lado, eles são unânimes em dizer que, quanto mais alimentos o bebê conhecer em seus primeiros anos de vida, mais variada e saudável será sua alimentação no futuro. "Os hábitos alimentares se iniciam na infância e, se a criança não conhece e aprende a apreciar certos alimentos, a aversão pode se prolongar vida afora. Quem não conhece aquele amigo ou familiar chato que não suporta um fiapo de verdura na comida?", diz o pediatra Rubens Feferbaum, especialista em nutrologia e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

 

Segundo os especialistas, o ideal é que os alimentos sejam oferecidos combinados com temperos simples, como cebola e alho, sem muitos condimentos que possam mascarar o sabor original da preparação. Doces devem ser feitos sem excesso de açúcar - no caso de frutas, sem açúcar algum. Vale o investimento, afinal, ensinar o seu filho a comer direito faz parte da educação que você deve dar.

 

A realidade é que existem aqueles momentos em que, depois de muitas tentativas frustradas, lágrimas e até gritos, nada de a criança comer determinada comida. Por isso, alguns médicos da área são mais flexíveis. Acreditam que, em situações específicas, como em recusas persistentes, doenças, deficiência de vitaminas e minerais, o truque do esconde-esconde pode ser válido. "Mesmo camuflados, os alimentos não perdem suas propriedades e seus nutrientes são absorvidos", diz a nutricionista Daniela Cyrulin, consultora de nutrição da Focca Nutrição e Sabor. Você não estará mentindo para o seu filho - o que não é bacana. Mas apenas omitindo informações, já que dificilmente ele perguntará como aquele prato foi feito.

 

Só não abuse da brincadeira e, um dia, explique tudo. Pois, como lembra o pediatra Feferbaum, essa história tem perna curta. Na escola ou na casa do amiguinho, seu filho vai descobrir que o arroz não é laranja - aspecto que ele adquire por causa da cenoura, por exemplo - ou que a omelete não precisa ter pintinhas verdes...

 

Dez dicas para camuflar os alimentos

1. O ideal é que o ingrediente recusado seja usado em uma quantidade que não comprometa o sabor e a textura originais da preparação;

2. Atenção também à cor final do prato. Crianças são superligadas e, sem uma boa história, vão estranhar se o bolinho de arroz, que sempre foi cor de creme, ficar verde (espinafre). Já a panqueca cor-de-rosa (beterraba), pode fazer sucesso entre as meninas;

3. Arroz, feijão, omeletes, bolinhos, tortas estão entre os mais fáceis de camuflar outros alimentos;

4. Quando cozinhar legumes, prefira cortá-los em pedaços grandes, para diminuir sua superfície de contato com a água. "Assim, você preserva alguns nutrientes, que podem ser perdidos durante o cozimento, e melhora a qualidade final. Depois, ele pode ser cortado ou processado da forma que for necessário à preparação", ensina a nutricionista Ilana Elman, especializada em nutrição em saúde pública;

5. Os alimentos podem ser escondidos crus: cenoura ralada no arroz ou na massa da panqueca, por exemplo;

6. Uma das maneiras mais fáceis de camuflagem é criar purês. "O de abobrinha e cenoura pode fazer parte da massa do hambúrguer. O de couve pode acompanhar o feijão", diz a nutricionista Daniela;

7. A cebola pode ser escondida simplesmente ralando um pouco no ralo fino antes de misturá-las aos outros ingredientes;

8. Se a criança não gosta de leite, você pode adicionar queijo parmesão ou leite em pó em algumas preparações;

9. As frutas podem ser misturadas aos bolos, picadas ou em forma de purês;

10. Sucos mistos também são uma ótima ideia. A criança pode gostar de morango se você misturar com laranja, por exemplo.

 

Como mudar o hábito de uma criança que só come camuflados?

Você já sabe que não dá para brincar de esconde-esconde em toda refeição. O que fazer se esse hábito já se instalou no dia a dia da sua casa? Primeiro, é bom lembrar que não podemos desistir depois de uma recusa inicial. É necessário oferecer o alimento pelo menos, umas dez vezes, principalmente para os bebês, antes de catalogá-lo como rejeitado. Então, volte a colocar o alimento no prato. Quem sabe seu filho não muda de ideia?

 

O segundo passo é mudar o seu modo de preparo. "Vários alimentos podem ser consumidos crus, cozidos, assados ou refogados. Até o tipo de corte pode interferir na aceitação da criança. Uma cenoura em rodela pode fazer mais sucesso do que em palitos", diz a nutricionista Ilana. "É importante variar a forma como os alimentos são preparados. Não gosta de espinafre? Mas bolinho de espinafre pode ser delicioso. Não come fruta? Que tal uma salada de frutas com iogurte de sobremesa? Não se trata de esconder os alimentos e sim prepará-los de maneira saudável e apetitosa", reforça o pediatra Feferbaum.

 

Por último, você pode contar seu truque. Mostrar para a criança que ela sempre gostou de feijão e que - surpresa! - a senhora beterraba sempre esteve junto a ele. Que tal experimentá-la sozinha agora?

 

Três receitas para você fazer e se inspirar

Receitas elaboradas pela nutricionista Daniela Cyrulin, consultora de nutrição da Focca Nutrição e Sabor

 

Hambúrguer feito em casa com a adição de vegetais

Ingredientes

- 500 g de carne moída

- 2 fatias de pão integral

- 1/2 abobrinha cozida

- 1/2 cenoura cozida

- 1 colher de sopa cebola ralada

- 1 colher de molho inglês

- Água filtrada

- Azeite

 

Modo de preparo

Amasse a abobrinha e a cenoura misturadas até virar um purê. Reserve. Refogue a cebola ralada no azeite e reserve também. Molhe o pão integral com água filtrada e esprema bem. Misture-o com o purê, a cebola, a carne moída e o molho inglês. Em seguida, faça os hambúrgueres usando uma forma específica para isso ou algo em forma circular que ajude na modelagem. Leve os hambúrgueres para gelar. Depois que eles ficarem com a forma desejada, grelhe com pouco azeite. Ou pincele uma assadeira com azeite, coloque os hambúrgueres e leve para assar. Não se esqueça de virá-los de vez em quando para dourar os dois lados.

 

Panqueca de carne com adição de vegetais

Ingredientes

- 1 copo de farinha de trigo

- 1 copo de água

- 1 colher de chá de óleo de canola

- Sal

- 1 ovo

- 1/2 beterraba em pedaços pequenos

- 500g de carne moída refogada com alho amassado e cebola ralada no ralo fino

- Molho de tomate caseiro a gosto (cozinhe 1 cenoura junto com os tomates e temperos, bata no liquidificador e coe)

 

Modo de preparo

Bata no liquidificador a farinha, o leite, o óleo, o sal, a beterraba e o ovo. Unte uma frigideira ou panquequeira antiaderente com um pouco de óleo e frite conchas de massa no formato de panquecas. Depois recheie com a carne moída refogada e enrole-as. Coloque-as num pirex de vidro e cubra com molho de tomate. Esquente no forno e sirva.

 

Milkshake legal com a adição de aveia

Ingredientes

- 250 ml de leite

- 1 colher de sopa de chocolate em pó

- 1 colher de sopa de aveia

- 1 bola pequena de sorvete de chocolate

 

Modo de preparo

Bata no liquidificador o leite, o chocolate em pó e a aveia. Misture a bola de sorvete sem bater e sirva.

 

Fontes

Daniela Cyrulin, consultora de nutrição da Focca Nutrição e Sabor;

Nutricionista Ilana Elman, doutora em ciências (área de concentração: nutrição em saúde pública) pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo;

Pediatra Rubens Feferbaum, especialista em nutrologia e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.


Recomendamos Para Você