Presença paterna é tema do livro “Sopa de Pai”, de Marcelo Bueno

O educador e apresentador do programa “Vigiando a Vovó”, do GNT, conversou com o Bebê.com.br sobre a obra e os desafios que surgem com a chegada de um filho

Quando surgem aqueles dois risquinhos no teste de farmácia e a gravidez é confirmada, falamos muito sobre o turbilhão de sentimentos e dúvidas que tomam conta da mãe. Afinal, um filho muda tudo! Mas e o que acontece com os pais? Foi tentando responder a essa pergunta e para mostrar os anseios e inseguranças de um pai de primeira viagem que o pedagogo Marcelo Cunha Bueno criou o blog Sopa de Pai, em 2010, quando ele e a mulher, Gabriele, souberam que um bebê estava a caminho.

Seis anos depois dessa incrível descoberta, o diário que ele escreveu do início até o último dia da gestação saiu do mundo virtual e virou livro, com o mesmo título – o lançamento ocorreu na última terça-feira, 6. O convite para levar os textos publicados online para o papel veio da Editora Passarinho. “A ideia é justamente mostrar que existem milhares de formas de pais e que há o pai ativo, que vive aquele momento junto com a sua companheira”, explicou Marcelo.

marcelo-cunha-bueno-017

(Divulgação/Assessoria de Imprensa)

E foi sobre essa paternidade ativa que o educador falou em entrevista exclusiva para o Bebê.com.br. Na verdade, ele se refere a um “afeto ativo”, pois não acredita numa composição familiar formada apenas por pai e mãe. “Eu acho que o pai ou qualquer pessoa que cuida da criança tem que se entregar por inteiro. É o amor de quem está por perto que faz a diferença”, declarou.

No livro ilustrado por Nara Isoda, Marcelo traz questões que, em pleno século 21, nem sempre recebem a atenção necessária dos pais e, para ele, isso é fruto de um problema cultural. “Acho que a gente vive em uma sociedade machista, racional, com dificuldade de se conectar com a intuição e o coração. A gestação de uma vida é uma experiência incrível, afetiva, vagarosa, que também causa angústia e precisa de uma outra entrega. Os homens foram educados para corresponder diante do resultado e, como esse tempo da gravidez é demorado, eles acabam não se envolvendo, mas é algo para ser mudado”, opinou.

O autor explicou que, muitas vezes, os pais sentem dificuldade de criar um laço com o filho que ainda está na barriga porque querem reproduzir a mesma relação que a criança tem com a mãe: “Eles passam a se sentir diminuídos porque acham que o vínculo é melhor com a mãe pela potência da gestação da mulher”. Para Marcelo, a “gestação do pai” é completamente diferente e a mãe sente uma emoção que o pai não vai sentir – mas isso não significa que não poderá ser criada uma forte ligação entre pai e filho, repleta de carinho, afeto e amor.

E é exatamente isso que ele demonstra em Sopa de Pai, ao relatar seus mais profundos sentimentos enquanto se preparava para receber o filho. Por sinal, Marcelo disse que encontrou na escrita uma maneira de organizar sua imagem como pai e as expectativas que surgiram com a chegada do pequeno Enrique, hoje com 5 anos.

Os pais devem canalizar, entender, escutar para saber que fazem o que podem. É mais uma reflexão e cada um tem a sua

Dono da escola Estilo de Aprender, em São Paulo, o pedagogo também falou como a experiência com a paternidade o auxiliou no trabalho de educador. “De fato, eu me coloco de corpo e alma nas angústias, inseguranças do pai e da mãe que estão do outro lado. Isso ajuda a gente a entender melhor essa triangulação: criança, família e escola”, revelou. Mas ao ser questionado se a vivência no ambiente escolar teve impacto na hora de se tornar pai e contribuiu de alguma maneira a encarar essa difícil missão, ele rapidamente brincou: “Casa de ferreiro, espeto de pau”.

Novos projetos

Além de pedagogo, Marcelo estreou em 2016 a primeira temporada do programa Vigiando a Vovó, exibido pelo canal pago GNT, e contou que já está trabalhando em uma nova obra. E o que podemos aguardar dessa novidade? “Podem esperar um diálogo muito maior com a vida que estava em gestação no primeiro Sopa de Pai. Esse segundo livro vai ser atemporal. Não um diário, mas uma narrativa de acontecimentos que fala sobre a experiência de me tornar pai a cada dia”, finalizou.

Capa do livro Sopa de Pai

(Divulgação)

Livro: Sopa de Pai
Autor: Marcelo Cunha Bueno
Ilustradora: Nara Isoda
Editora: Passarinho
Preço: R$ 54
Número de páginas: 304

Editado por Nathália Florencio

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s