7 coisas que mudam no casamento após a chegada dos filhos

O tempo corrido, o sexo, as responsabilidades, a união da família... Confira a lista completa!

O nascimento de um filho é um momento muito especial na vida do casal, que passa ter a oportunidade de acompanhar de perto as descobertas do pequeno e a conhecer a dimensão daquele amor incondicional que as pessoas tanto dizem. Apesar de todas as alegrias, a chegada de uma criança na família muda algumas coisas no casamento. Afinal, o tempo fica mais escasso, a rotina gira em torno do filhote, as responsabilidades aumentam e é necessário passar por um período de adaptação para que tudo se ajeite. Perguntamos às nossas leitoras do Facebook quais foram as principais mudanças que aconteceram em seus relacionamentos amorosos depois dos filhos. Veja o que elas disseram!

1. O tempo para se dedicar ao outro

Monkeybusinessimages/Thinkstock/Getty Images

Monkeybusinessimages/Thinkstock/Getty Images

Depois que as crianças chegam, os pais passam a ocupar os seus dias (e noites!) com os filhos. Com isso, acabam sendo escassos aqueles momentos para conversar e curtir o companheiro. A leitora Flávia Rafaela passou por isso: “Ficamos mais preocupados, dormimos pouco e quase nunca temos tempo um para o outro. Agora o tempo é para o nosso filho”. Juliana de Martino Ferreira também afirma que sente saudade de ter momentos a sós com o parceiro: “Não conseguimos dormir juntos. A cama acaba sendo só minha e da pequena Alice, que só tem um mês. Eu sinto falta de dormir com o meu marido, de conversar antes de dormir, mas penso que é só uma fase – logo tudo entra nos eixos. O legal é que ele entende e sabe que tudo é uma adaptação da gente com o bebê e do bebê com a casa e o mundo aqui fora”.

2. O sexo

KatarzynaBialasiewicz/Thinkstock/Getty Images

KatarzynaBialasiewicz/Thinkstock/Getty Images

Os pais são unânimes na hora de dizer que ele muda – e muito – depois que os filhos nascem. “Sexo não é uma missão impossível, mas exige um pouco mais de planejamento como o horário e local, já que não dá mais para transar em qualquer hora e cômodo. Precisa ser quando o bebê está dormindo e, principalmente, quando o cansaço já não tomou conta, pois a rotina com um filho é dinâmica, intensa e cheia de surpresas”, revelou Dayane Auricchio. Apesar disso, alguns pais também usam essa oportunidade para relembrar a época de namoro. “Voltamos a ser adolescentes e fazer sexo escondido, mas o carinho que tínhamos um pelo outro aumentou mais de 100%”, comentou Cássia Cristina. O jeito é encarar a mudança com bom humor: “Sexo, o que é isso mesmo? Vivemos entre a famosa ‘rapidinha’ e o ‘Eba! A criançada resolveu dormir um pouco mais!’”, brincou a mamãe Danielle de Morais.

3. A rotina

Boggy22/Thinkstock/Getty Images

Boggy22/Thinkstock/Getty Images

Sempre vai ser necessária uma adaptação. Afinal, se antes vocês estavam acostumados a assistir filmes juntos e a curtir jantares românticos, agora a prioridade passa a ser cuidar do bebê na maior parte do tempo. A leitora Karina de Oliveira fala sobre essa mudança: “Não somos mais um casal que sai com os amigos sem hora para voltar. Hoje somos um casal com filho – temos uma menina linda que nos completa. O que mais me impressiona é a ausência de amigos. A nossa casa era sempre cheia, mas hoje descobri que não tínhamos amigos”. Realmente, administrar a vida social com a chegada de um filho não é fácil, mas aos poucos as coisas vão entrando nos eixos. A mamãe Ariane Jardim também falou sobre a sua experiência: “O dia passa mais rápido, todas as decisões a serem tomadas giram em torno da pequena, mas continuamos saindo com os amigos, recebendo-os em casa como sempre gostamos e planejando viagens”.

4. As responsabilidades

Ridofranz/Thinkstock/Getty Images

Ridofranz/Thinkstock/Getty Images

Obviamente, elas aumentam, já que agora vocês têm que cuidar e manter uma criança. “O que mudou aqui é que a rotina diária passou a ter mais um integrante. Somos pessoas mais responsáveis, estamos organizando melhor as finanças, porém, estamos ainda mais unidos do que antes”, ressaltou Tay Buchala Pellegrini. “Também reparei que concordamos mais nas coisas, que nos ajudamos mais em tarefas, porque nós percebemos que isso não e uma obrigação e sim um prazer”, contou a mamãe Kedma Pereira.

Mas nem sempre é assim! “Mudou tudo, pareço uma mãe solteira, porém casada. O pai não quer saber de ajudar em nada, só gosta de falar que é pai. Quando [o bebê] nasceu nunca sequer levantou a noite para trocar ou até mesmo para colocar para arrotar. Fiquei exausta! Ele acha que tudo é minha obrigação”, desabafou Daiane Lima. O mesmo aconteceu com a mãe Ana Medeiros. “Parece que a filha é só minha! Sou eu para dar banho, por na cama, tirar da cama, alimentar, brincar, pagar escola, saúde, vestuário, lazer…”.

Para não sobrecarregar ninguém, converse com o pai do seu filho para que vocês vejam como vão dividir os cuidados com o pequeno. Assim, sobrará mais tempo disponível para curtir a família!

5. As conversas e conquistas

Ingram Publishing/Thinkstock/Getty Images

Ingram Publishing/Thinkstock/Getty Images

Não tem jeito: com o nascimento do filhote, o assunto principal dos pais se torna o filhote. “As conversas são 95% sobre o bebê (fralda, leite, novidades, rotina, vacinas, papinhas e etc), 2% sobre a vida dos papais, 2% sobre sexo e 1% de assuntos diversos”, comentou Dayane Auricchio. Já Alessandra Barbosa destacou que sente falta dos momentos com o marido, “das conversas antes se dormir, de assistir a um filme juntos, do sexo, de dormir abraçados, mas escolhemos assim. Estamos nos adaptando ainda, mas é bem difícil”, afirmou. Entretanto, ao ver o mundo pelos olhos do pequeno, os pais também começam a comemorar outros tipos de conquistas – a primeira vez que o filho falou “mamãe” e “papai”, os primeiros passinhos, a fase da introdução alimentar, entre outras etapas do desenvolvimento infantil. E tem coisa mais gostosa do que curtir com o parceiro as vitórias do bebê?

6. A união da família

Liudmila_Fadzeyeva/Thinkstock/Getty Images

Liudmila_Fadzeyeva/Thinkstock/Getty Images

Em muitos casos, o nascimento de um filho reforça o companheirismo e aproxima o casal, que precisa agir junto para garantir o bem-estar do pequeno. “As coisas por aqui mudaram radicalmente quando o meu enteado veio morar com a gente. Então, quando a nossa bebê nasceu, o ritmo já era outro. Mas a chegada dela aproximou toda a família: meu marido e meu enteado assumiram as atividades domésticas e me deixaram praticamente com a tarefa exclusiva de cuidar do bebê e arrumar a casa. Acho que as crianças nos tornaram mais unidos e felizes”, confessou a mamãe Juliana de Menezes Lopes. “A relação passa da fase do namoro e da pegação para a fase do companheirismo. Menos toques e beijos e mais cooperação e interação. Você cria um vínculo novo e mais forte com o marido”, escreveu Marianna Ramos.

No entanto, isso não é uma unanimidade. Se o casal não tiver estrutura e consciência para entender que surge uma nova configuração familiar, uma nova relação – não melhor ou pior que antes, mas diferente -, pode acabar em separação. A mamãe Dayane Auricchio alerta: “Ainda no começo, se não houver companheirismo e muito respeito, o casamento pode sofrer uma crise, já que temos que lidar com um ser novo”. Isso sem falar na atenção tanto do pai quanto da mãe, que muitas vezes se volta apenas para o pequeno e o parceiro acaba ficando de lado. Por isso é importante enxergar o lado bom dessa transformação e, acima de tudo, ter muita calma!

7. O equilíbrio dos papéis

Monkeybusinessimages/Thinkstock/Getty Images

Monkeybusinessimages/Thinkstock/Getty Images

É necessário ter paciência nessa fase do casamento após a chegada dos filhos, pois a mulher está se adaptando à função de mãe e o homem está adquirindo mais conhecimento sobre o que é ser pai. “Depois que o filho nasce, você pula de esposa para mãe e isso nunca mais vai mudar. A gente procura se adaptar à nova vida e nós somos as primeiras a mudar desde que descobrimos a gravidez. Isso faz parte da vida, de todo o processo”, mencionou Juh Alves. Não é fácil administrar a carreira, o lazer e o relacionamento amoroso com os cuidados que um bebê exige, mas com o tempo vocês vão aprender qual é a melhor forma de equilibrar os papéis que desempenham. 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s