Campanha de vacinação contra a gripe começa amanhã

Crianças de até cinco anos e gestantes estão no grupo de risco de complicações da doença e serão priorizadas na primeira fase da campanha. Entenda!

A campanha de vacinação contra a gripe do Ministério da Saúde começa nesta quarta-feira, 10, em todo o Brasil. Crianças entre seis meses e seis anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias) e grávidas fazem parte do público alvo, além de idosos e indivíduos portadores de doenças crônicas ou com a imunidade comprometida. A vacina protege contra três tipos de vírus da gripe e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). 

Como o vírus sofre mutações constantes, a composição do imunizante é atualizada anualmente com os subtipos com maior probabilidade de circular no período de alta de incidência da doença, entre o outono e inverno. Por isso, mesmo quem já se vacinou deve comparecer ao posto de saúde para reforçar a proteção.

A imunização é feita com apenas uma dose — bebês que vacinam pela primeira vez devem tomar duas, com intervalo de 30 dias — e não há riscos de efeitos colaterais ou de contrair a gripe por causa dela. O vírus utilizado é inativo, ou seja, não é capaz de provocar doenças no organismo.

Por que crianças e gestantes?

Na primeira fase da campanha, que vai até 22 de abril, serão priorizadas as crianças, gestantes e puérperas, que pariram em um período de até 45 dias. Esse grupo está mais sujeito a complicações da gripe, doença que é autolimitada na maioria das vezes mas que, em alguns casos, pode evoluir para sintomas mais graves, como falta de ar e outros problemas que trazem até risco de vida.

Estudos já demonstraram que a vacina reduz em 65% a possibilidade de óbitos por conta da doença nas crianças e diminui também o risco de morte fetal. Mulheres que amamentam também podem e devem se vacinar, pois os anticorpos desenvolvidos pelo sistema imune da mãe a partir da vacina são transmitidos para o feto e também pelo leite materno.

As vacinas disponíveis para 2019

Este ano, a vacina trivalente, disponível no SUS, protege contra os vírus influenza tipo H1N1, H3N2 e o B tipo Victoria.  Na rede particular, é possível encontrar a tetravalente, que inclui também o influenza B tipo Yamagata. Os preços variam de acordo com a região, mas costumam flutuar entre R$100 e R$200.

A injeção é a melhor maneira de prevenir a gripe, mas de qualquer maneira vale tomar outras medidas preventivas, especialmente no período de aumento da doença. São as mesmas das outras doenças virais: lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel com frequência, manter os ambientes ventilados, comer bem e fazer exercícios.  

A campanha vai até 31 de maio e no dia 4 de maio, um sábado, ocorre o dia D, quando há uma mobilização nacional e há opções de locais para tomar a vacina além dos postos de saúde.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s