Sesc apresenta oficina de ‘desprincesamento’ para meninas

No próximo sábado, dia 17, acontece a atividade que pretende desconstruir estereótipos e apresentar às crianças heroínas reais.

Em tempos de questionamentos cada vez maiores em relação aos padrões de beleza e de comportamento no universo feminino, é cada vez mais importante conversar com nossas crianças sobre as infinitas possibilidades que a vida apresenta – e, claro, sobre o papel da mulher na sociedade atual. É essa a proposta da Oficina de Desprincesamento que vai acontecer no próximo sábado, dia 17, no Sesc Ipiranga, em São Paulo.

A atividade é oferecida pela filósofa, pedagoga e mestra em filosofia da educação, Larissa Gandolfo em parceria com a jornalista e mãe de duas crianças, Mariana Desimone. “A oficina surgiu como resposta à Escola de Princesas, que chegou em São Paulo no segundo semestre de 2016. Nós ficamos um pouco preocupadas com a ideia de que, em pleno século XXI, nós ainda estamos passando para as meninas a noção de que o fundamental na vida delas é ser bonita, estar bem vestida e saber se comportar à mesa”, explica Mariana, destacando ainda a importância de tocar nesses assuntos num país onde os índices de violência contra mulher e contra a criança são alarmantes. “Nós achamos que poderíamos ensinar outras coisas às meninas”, destaca.

A oficina completa dura três dias e, nela, são oferecidas diversas atividades, sobretudo com conversas sobre o que é ser menina. “A gente constrói, a partir do ponto de vista delas, a noção do que é ser princesa e se é isso que elas querem. É uma construção coletiva entre as meninas e a gente está ali só para ajudar a organizar as ideias”, conta Mariana. No Sesc, a oficina será reduzida, mas não menos interessante. Durante duas horas, vai acontecer uma roda de conversa em que o assunto será voltado para a desconstrução das heroínas do imaginário e a reflexão sobre as heroínas reais.

De acordo com a jornalista, o modelo dessa oficina veio do Chile. Foi oferecida uma capacitação para algumas mulheres latinas – entre elas, Mariana e Larissa – e, a partir dessa capacitação, surgiram alguns grupos além da Oficina de Desprincesamento, como o Curso para Meninas Livres, em Florianópolis. “A proposta é evitar que as meninas fiquem presas a estereótipos que a gente acredita que não são positivos para a formação delas”, conclui.

A oficina é oferecida para crianças de 9 a 15 anos, mas na atividade que acontece no Sesc Ipiranga, das 14h30 às 16h30, a participação é livre e não requer inscrição prévia. Também é possível acompanhar o trabalho de Larissa e Mariana na página do Facebook, Desprincesamento.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s