Estressado com os filhos na quarentena? Veja dicas para lidar com a tensão

Material da Associação Americana de Pediatria ensina estratégias para amenizar o cansaço e preservar a saúde mental dos pais na pandemia de coronavírus.

Se por um lado é bom passar mais tempo com os filhos, por outro, os pais em isolamento social por conta da pandemia de Covid-19 (doença provocada pelo novo coronavírus) podem acabar estressados com as demandas simultâneas de cuidado das crianças, tarefas domésticas e trabalho.

Não só os adultos estão mais tensos como as crianças podem mostrar sinais de estresse e alterações de comportamento, que levam a mais sentimentos de culpa e frustração para a família. Nesse cenário, o cansaço bate e há mais risco de “estourar” com os filhos e exagerar na hora de discipliná-los, como alerta a Associação Americana de Pediatria (AAP)

Usando as evidências científicas mais atualizadas sobre disciplina positiva e saúde mental familiar, a entidade norte-americana criou recomendações para lidar com situações tensas durante a quarentena. 

Se você é uma das pessoas que está em casa com a prole, vem ler! 

Dicas para pais de bebês 

É normal que pais de recém-nascidos busquem ajuda externa, dos avós, amigos e profissionais de saúde. Mas o que fazer quando isso não é possível? Veja sugestões da AAP: 

  • Tente todas as técnicas possíveis para acalmá-lo

Bebês que choram querem ser confortados. Tente segurar, alimentar, enrolá-lo em um paninho, embalar suavemente ou cantar para ele. Pode ser necessário repetir essas estratégias várias vezes. Se nada disso funcionar e as necessidades fisiológicas do bebê estiverem atendidas, coloque-o de volta no berço e tire uma pequena pausa. Deixar ou não o bebê chorando no berço é um tópico polêmico, mas, segundo a entidade, a maioria deles volta a dormir sozinho depois de um tempo de choro, sem danos psicológicos. Não estamos falando de deixar o pequeno por horas se esgoelando, mas dê uns minutinhos para ele e para você antes de recomeçar as tentativas. 

  • Preste atenção às suas necessidades 

Cuidar de um bebê não é nada fácil. Descanse o máximo que puder, tentando dormir quando o novo membro da família dormir. Encontre tempo para você e, se tiver um parceiro ou parceira, divida os cuidados. Nesses momentos, coloque música ou assista algo com fones de ouvido, tome um chá ou simplesmente relaxe. 

  • Conectada sim! 

A quarentena pode trazer uma sensação de isolamento. As vídeo chamadas e redes sociais ajudam a manter o contato. Se você é amigo de alguém que está com um bebê em casa, escute bastante antes de dar conselhos. Imagine que você é um ombro amigo remoto. Fóruns e grupos online de pais ajudam a trocar dicas e desabafar quando necessário.

  • Procure ajuda

Se a depressão pós-parto já pode dar as caras normalmente, em uma situação excepcional como essa o risco aumenta. O puerpério é mais desafiador durante uma pandemia, como relatam as mães. Fique atento aos sinais e sintomas e procure ajuda, mesmo que remota, para intervenções precoces que ajudem no tratamento. Muitos psiquiatras e psicólogos estão atendendo à distância. 

Dicas para quem tem crianças pequenas 

Conforme vão ganhando independência, as crianças podem ter também atitudes desafiadoras, birras e outros comportamentos que testam a paciência dos pais. A AAP preparou um manual para prevenir e remediar essas situações: 

  • Previna o tédio 

Crianças entediadas ou frustradas por não poder fazer uma série de coisas estão mais sujeitas a birras ou outros problemas de comportamento. Tente mantê-las ocupadas com uma rotina em casa que envolva diversão individual, uso equilibrado das mídias e atividades em família. 

  • Use a “técnica do intervalo”

Não é exatamente como o castigo de antigamente, mas deixar a criança por um período curto de tempo (poucos minutos mesmo) sem poder brincar, pensando no que fez, pode ajudar. Relembre o que ela errou em poucas palavras e sem alterar o tom de voz. 

  • Saiba quando não responder

Desde que o pequeno não esteja fazendo algo perigoso e ganhe atenção quando se comportar da maneira esperada, ignorar atitudes ruins pode ser um jeito efetivo de corrigi-las. Também é um jeito de ensinar sobre consequências. Por exemplo, se ela derruba comida de propósito, não vai sobrar nada para comer. 

  • Elogie atitudes positivas 

Crianças precisam saber quando estão agindo corretamente. Destaque o comportamento, elogie e reconheça as tentativas dela para chegar até ali. Isso é ainda mais importante durante a quarentena, quando a criança está afastada de sua rotina. 

  • Tempo para dar atenção 

A ferramenta mais poderosa da criação é atenção, traduzida em reforçar comportamentos positivos e desencorajar os negativos. Com todo mundo em casa, pode ser difícil fazer isso. Ajuste as expectativas e se comunique claramente com a criança.

  • Respire 

Diante de um pico de estresse por um problema, tire alguns segundos para refletir sobre três pontos: O problema representa perigo imediato? Como eu vou me sentir sobre isso amanhã? Essa situação é permanente? 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s