Continua após publicidade

Desfralde: como se preparar para esse grande passo?

Período exige paciência e observação dos sinais do bebê; saiba como criar uma rotina consistente e adaptar o ambiente para facilitar a transição

Por Yasmmin Ferreira
5 jul 2024, 07h00

Uma das etapas mais temidas por pais de primeira viagem, o desfralde é um momento importante – e necessário – para o desenvolvimento dos filhos. Nessa hora, podem surgir diversas dúvidas: e se a adaptação demorar? Ou se for muito complicado? Ou se fizer muita bagunça? Aqui, traremos algumas dessas respostas.

A dica principal é ir com calma para não apressar demais o processo. Afinal, o desfralde deve ser comemorado como um marco da independência de seu bebê para aliviar (e muito) a rotina e o bolso da família.

Qual o momento ideal?

O momento perfeito nunca é o mesmo para todos, mas geralmente varia entre os 2 e 3 anos de idade. Para identificá-lo, observe os sinais da criança: se ela mantiver a fralda seca por mais tempo, demonstrar interesse no uso do vaso sanitário, avisar quando a fralda está suja, subir e descer as vestes sozinho(a) e seguir instruções simples, pode ser que a hora tenha chegado.

Para dar início ao desfralde, evite períodos de grandes alterações na vida da criança, como mudança de casa, chegada de um irmãozinho ou início em uma nova escola. Também prepare o ambiente adquirindo um penico ou um assento redutor para o vaso sanitário e ofereça roupas fáceis de tirar, como calças com elástico.

Primeiros passos

Apresente o penico (ou o vaso com adaptador) à criança e explique como funciona. Deixe-o acessível e incentive a criança a sentar nele, mesmo que esteja vestida, para que se familiarize;

Continua após a publicidade

Crie uma rotina levando a criança ao banheiro em horários específicos, como ao acordar, antes e depois das refeições e antes de dormir;

Observe os sinais de quando a criança precisa usar o banheiro e leve-a imediatamente.

Rotina é essencial

Por ser um momento novo para os pequenos, é essencial manter uma rotina regradinha. Embora a introdução seja gradual, aos pouquinhos, não deve haver um espaçamento muito grande entre as tentativas.

Leve sempre a criança ao banheiro em horários regulares. Consistência e paciência são fundamentais para ajudá-la a se acostumar com a nova prática e, assim, reduzir o uso das caríssimas fraldas.

Continua após a publicidade

Quando parar completamente com o uso das fraldas?

A interrupção definitiva do uso de fraldas deve ser feita quando a criança alcançar o controle total da bexiga. Isso ocorre quando ela já é capaz de entender os sinais do próprio corpo para se dirigir ao banheiro tanto de dia quando de noite, segurando a urina até chegar ao banheiro. Se seu filho acorda com a fralda seca todos os dias, é um bom sinal de que está preparado para esse novo passo.

A independência no uso do banheiro também é um indicador importante. A criança deve conseguir usar o penico ou o vaso sanitário de forma autônoma, incluindo a parte de tirar a roupa e fazer a própria higiene com ajuda mínima.

Desfralde diurno ou noturno?

O desfralde diurno refere-se ao processo de retirar as fraldas durante o dia. Envolve criar uma rotina, oferecer incentivos positivos e estar atento aos sinais corporais da criança.

Já o desfralde noturno é um processo adicional que envolve retirar as fraldas durante a noite. Ele é geralmente mais demorado, pois requer que a criança desenvolva a capacidade de controlar a bexiga (e reconhecer quando precisa ir ao banheiro) durante o sono.

Continua após a publicidade

Tropeços no caminho

No processo de desfralde, alguns erros comuns podem surgir e impactar negativamente o progresso da criança.

Um dos principais é a pressão excessiva para iniciar o desfralde antes que a criança esteja pronta, o que pode gerar problemas no aprendizado. Ainda, inconsistências na abordagem, como mudanças frequentes na rotina ou expectativas irrealistas, podem confundir os pimpolhos e prolongar o processo.

Outro erro comum é a reação negativa aos acidentes (xixi na cama, por exemplo), como criticar ou punir a criança. Isso pode causar ansiedade e insegurança, retardando o progresso.

Não permitir que a criança participe ativamente do processo, como escolher seu penico ou informar quando precisa ir ao banheiro, também pode diminuir a motivação e prolongar o tempo necessário para o desfralde.

Continua após a publicidade

Além disso, é importante lembrar que o processo de parar completamente com as fraldas pode variar de criança para criança. Algumas podem estar prontas logo no início, enquanto outras podem precisar de mais tempo.

É fundamental seguir o ritmo de cada indivíduo e estar preparado para lidar com eventuais contratempos.

Pediatras

O auxílio de pediatras é fundamental durante toda a infância, e não seria diferente durante o desfralde.

Os pediatras podem ajudar a determinar se a criança está fisicamente pronta para começar o processo, avaliando seu desenvolvimento físico e controle da bexiga.

Continua após a publicidade

Além disso, o acompanhamento médico pode ajudar a identificar eventuais problemas de saúde subjacentes que afetam o desfralde, como constipação ou infecções urinárias.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade