Facebook e Instagram deixam de censurar fotos e vídeos de parto vaginal

"Não há razão para não podermos publicar fotos de um nascimento fisiológico. É uma censura direta", defendeu a idealizadora da petição.

Por Luísa Massa Atualizado em 17 Maio 2018, 19h30 - Publicado em 17 Maio 2018, 19h07

Katie Vigos é uma doula que vive nos Estados Unidos e administra desde 2014 o perfil Empowered Birth Project no Instagram, que conta com mais de 300 mil seguidores. Na rede social, ela costuma compartilhar textos com o intuito de empoderar as mulheres e também fotos que mostram o momento do nascimento. O problema é que boa parte das imagens de parto normal são censuradas, mas essa realidade está mudando aos poucos.

Para chamar atenção para a questão, a doula criou uma petição online pedindo que o Instagram e o Facebook deixassem de excluir tais fotos. O documento recebeu mais de 23 mil assinaturas e chegou até a administração das empresas. E, embora o regulamento do Instagram especifique que não é permitido compartilhar cliques e vídeos que mostrem nudez ou genitais, a organização acatou a reivindicação.

  • Em março, Katie deu uma entrevista para o jornal britânico The Guardian e falou sobre o apelo que idealizou. Ela disse que o processo de dar à luz envolve sangue, pelos pubianos, nádegas e, obviamente, um bebê saindo da vagina de uma mulher – o que incomoda algumas pessoas, fazendo com que elas denunciem essas publicações. “Não há razão para não podermos publicar fotos de um nascimento fisiológico. É uma censura direta”, defendeu.

    Ela disse, ainda, que a política da rede social reforça que o tabu que existe em volta do do parto, enviando para as mulheres a mensagem de que isso é algo obsceno, que deve ser escondido. O objetivo da iniciativa é justamente esse: empoderar as mulheres sobre o seu próprio corpo e de todo o processo que dar à luz envolve.

    Na última sexta-feira, 11, Katie usou as suas redes sociais para contar que as fotos de parto vaginal não serão mais censuradas. Ela afirmou que recebeu uma ligação de um representante de políticas públicas no Facebook informando que as alterações serão feitas. “Devido ao extenso processo necessário para implementar essa mudança, ainda pode haver algumas falhas (ou seja, censura aleatória, acidental) à medida em que eles treinam sua equipe global de funcionários e modificam o software para reconhecer todas as mídias relacionadas ao nascimento como conteúdo aceitável”, comunicou.

  • A doula também disse que demorou um pouco para anunciar a boa nova aos fãs porque tanto o Facebook como o Instagram estão trabalhando duro para atualizar a sua tecnologia. Nos comentários, os seguidores comemoraram o fato e elogiaram a atitude de Katie. “Parabéns! Você arrasa e o seu trabalho é um exemplo a ser seguido”, disse uma pessoa. “Sim! Isso é muito emocionante! Obrigada”, escreveu outra internauta.

    Confira algumas postagens compartilhadas na página Empowered Birth Project:

    View this post on Instagram

    Continua após a publicidade

    Please sign my petition to @instagram to allow uncensored birth images! 💓 __ This beautiful photo series above is now the most liked and engaged media EVER on the history of this page @empoweredbirthproject. It is clear there is a huge audience that appreciates this content. However, @instagram censorship policies have thus far inhibited our work in sharing uncensored, educational images of physiological birth. __ I believe we can change this and find a more productive solution than censorship. I’ve written a petition to @nickyjcolaco, Instagram’s Director of Public Policy (and someone i have met personally and worked with over the last 2 years to restore birth accounts that have been taken down). Nicky has been a huge advocate for the birth community and i believe she can assist us to further our cause. This is what I propose: __ 1. Recategorize all birth related content as educational material, in its own unique category if necessary __ 2. Allow our community to post graphic images of physiological birth with the images blurred or greyed out, so users can tap to see the images and choose whether to view them. This gives the birth community the freedom to share more meaningful content, and the users of Instagram control over what they see. __ 3. Continue to provide additional layers of protection to birth related accounts and work with influencers and users to restore content and accounts as needed __ The only way we can begin to change the way society views and appreciates birth, is to stop categorizing it as offensive material and start allowing our community the freedom to share uncensored images and information. Birth does not belong in the same category as pornography, graphic violence, profanity, etc. __ Click link in bio to join this cause! Share this post and the petition all over the Internet! Let’s do this! __ Love, @katievigos __ #IGallowuncensoredbirth #empoweredbirthproject

    A post shared by Empowered Birth Project (@empoweredbirthproject) on

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade