Dicas para estreitar o vínculo entre pais e filhos

Como o pai pode se aproximar do pequeno, desde o momento em que o bebê está na barriga e depois do nascimento.

Por Luísa Massa Atualizado em 4 nov 2016, 17h54 - Publicado em 25 mar 2015, 21h22

Muito se fala sobre o vínculo mãe e filho, um elo forte que começa já na gravidez. Afinal, a mulher sente, dentro dela, o desenvolver de uma vida. E quando o bebê nasce, é a mãe que amamenta e passa a maior parte do tempo com o pequeno nos braços. Mas, a participação do pai nestes dois momentos é fundamental para que a criança se sinta amada e protegida. E você, papai dedicado, pode e deve dividir e compartilhar com a parceira algumas funções.

Diferente da mulher, o pai não sente as mudanças físicas da gestação. “O ser pai é uma realidade que, muitas vezes, só acontece quando a criança nasce, pois ele se torna um espectador do processo”, explica Ricardo Monezi, psicobiólogo e pesquisador do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo.

Após o nascimento do bebê, os homens costumam ter maneiras diferentes de reagir. “Mas, no geral, pode parecer difícil participar dos cuidados do filho, já que a ideia comum é de que é a mulher quem deve assumir essa função”, ressalta o Ricardo Castro, psicólogo com mestrado em saúde coletiva e coordenador geral do Instituto Papai.

E como o pai pode criar laços desde o momento em que o bebê está na barriga? Com a chegada do pequeno, por que é importante participar do dia a dia do filho? Para responder essas perguntas, conversamos com especialistas para ajudar o papai a ser ainda mais presente.

Continua após a publicidade
Publicidade