Criança também pode ter enxaqueca e pedra no rim

Graças ao enorme número de pequenos obesos, sedentários ou atarefados demais, males típicos de adultos andam cada vez mais comuns entre eles.

Se a cabeça dói pode ser enxaqueca. Um trabalho realizado no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, no interior paulista, mostra que a predisposição genética, a dieta, as alterações hormonais e a privação do sono estão por trás do tormento.
 
E, entre as crianças com a agenda lotada, as crises são muito mais frequentes.“Constatamos que o excesso de atividades extracurriculares piora a intensidade delas”, conta o pediatra e neurologista Marco A. Arruda, líder do estudo.
 
Quando a dor de cabeça é duradoura, leva à interrupção do sono no meio da noite e prejudica o desempenho escolar, é preciso buscar ajuda médica urgente para avaliar as causas e encontrar o melhor tratamento.
 
Remédio além da conta
“O uso abusivo de analgésicos, ou seja, algo em torno de duas ou mais doses por semana, pode provocar a dependência física”, alerta Marco A. Arruda. “E aí, ao menor sinal de dor, o cérebro passa a exigir mais e mais medicamentos.” A tendência é que os pais cedam às queixas do filho e dêem remédios por conta própria. Assim o consumo infantil de analgésicos vai aumentando. Como uma bola-de-neve.
 
As doloridas pedras
Os cálculos renais andam cada vez mais corriqueiros entre a criançada. E os gordinhos são as principais vítimas, segundo estudiosos do Children’s Hospital Boston, da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.
 
Eles ainda não sabem explicar direito o porquê dessa relação, mas há suspeitas. “A alta ingestão de alimentos carregados de sódio e o desequilíbrio hormonal são capazes de modificar a composição da urina”, acredita o urologista Caleb Nelson, autor do trabalho americano.
 
Para que seu filho fique longe das temidas pedras, ajude-o a prevenir a obesidade. Quanto mais cedo, melhor. Alguns sinais denunciam a presença de cálculos nos rins. “Dores na região do abdômen e sangue na urina precisam ser analisados”, conta o urologista. Os pais devem ficar atentos e buscar o quanto antes o auxílio de um especialista.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s