Violência obstétrica é tema do filme “O Renascimento do Parto 2”

As primeiras imagens do documentário que será lançado em maio de 2016 já foram divulgadas. Assista!

Uma em cada quatro brasileiras diz ter sofrido algum tipo de abuso durante o parto, segundo a pesquisa Nascer no Brasil, coordenada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e publicada em maio de 2014. Recente levantamento feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) também identificou os principais tipos de violência obstétrica sofridos por mulheres do mundo todo – por aqui, a restrição de ter um acompanhante durante o nascimento do bebê, a agressão física e verbal, a relação ruim entre o profissional e a parturiente e a não obtenção de consentimento para determinados procedimentos, como a episiotomia, estão entre os maiores problemas que as mães enfrentam. Este triste cenário é abordado pelo filme O Renascimento do Parto 2, que teve seu primeiro trecho divulgado nesta terça-feira, 20.

Do mesmo diretor do documentário lançado em 2013, Eduardo Chauvet, a nova obra vai destacar as intervenções traumáticas e desnecessárias pelas quais muitas mulheres são submetidas e apresentar, ainda, modelos de partos humanizados e boas iniciativas que vêm sendo adotadas no Brasil e em outros países. Com isso, pretende-se dar subsídios para que a decisão da gestante sobre como seu filho deve nascer seja tomada de maneira consciente, com informações sobre os riscos e benefícios que envolvem cada escolha – tanto para a saúde da mãe quanto do bebê.

“A autonomia [da mulher] está intimamente ligada com o conhecimento”, afirma Leila Katz, obstetra do Instituto Materno Infantil Professor Fernando Figueira (Imip), de Pernambuco, no vídeo promocional divulgado. E é exatamente este o objetivo do filme: promover o empoderamento materno e chamar a atenção da sociedade civil, do poder público, da classe médica e do poder judiciário sobre a forma como as crianças têm chegado ao mundo em hospitais e maternidades de norte a sul do país, seja por meio de partos normais, seja por meio de cesáreas eletivas.

Vale lembrar que o tema da primeira edição foi o excesso de partos cirúrgicos realizados no Brasil, que representam mais de 80% dos nascimentos da rede privada – número muito distante dos 15% recomendados pela OMS. Além disso, O Renascimento do Parto – O Filme teve grande repercussão nacional e internacional, chegando a ser exibido no no Fórum Mundial de Direitos Humanos e no Fórum Social Mundial. Nos cimenas brasileiros, foi o documentário com a segunda maior bilheteria, com mais de 30 mil espectadores.

Outro dado importante é que a obra foi produzida de forma independente, a exemplo do segundo filme (com estreia prevista para o dia 5 de maio de 2016), que não conta com recursos públicos ou privados e recebeu apoio financeiro por meio de uma campanha de crowdfunding – até agora, o valor arrecadado corresponde a 20% do orçamento total necessário. 

Assista às primeiras imagens, gravadas em junho de 2015 na capital paulista durante o Simpósio Internacional de Assistência ao Parto (SIAPARTO):

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s