Saia de licença-maternidade sem estresse

Um passo a passo do que você deve fazer na empresa antes do recesso.

Por Vanessa Bueno (colaboradora) Atualizado em 24 jan 2017, 17h42 - Publicado em 17 jun 2015, 20h18

Para curtir a licença-maternidade tranquila ao lado do bebê, a mulher que trabalha precisa preparar sua saída com bastante antecedência. Deve deixar o mapa de resolução de situações que podem vir à tona durante sua ausência, delegar responsabilidades (quando em uma posição de gestão) e compartilhar com colegas os projetos em andamento (caminhos a serem seguidos, contatos das pessoas envolvidas e por aí vai).

“Todos os níveis da organização pares, chefias e subordinados devem ser avisados da saída da gestante com prazo suficiente para que possam se programar caso seja preciso”, lembra Simone Kramer Silva, consultora organizacional e diretora da filial gaúcha da RH Brasil, empresa de recrutamento e seleção.

Com o avanço da medicina, as gestações podem ser bem previsíveis, mas a natureza pode surpreender. “É fundamental considerar que os hormônios e a maternidade como um todo mobilizam emoções que, em outros momentos, não estariam tão em evidência”, esclarece a especialista.

O bom senso, nesses casos, é fundamental. Tanto por parte da grávida, para evitar faltas por motivos pouco relevantes, como por parte do empregador, para entender os possíveis afastamentos. “A mulher deve ter em mente a máxima de que a gravidez não é uma doença”, lembra Simone.

Os valores e os princípios da gestante também devem estar em sintonia com os da empresa. Dessa maneira, os contratempos que eventualmente possam surgir durante a gravidez serão driblados com mais facilidade, já que a funcionária tem importância para a organização e vice-versa. Assim, a gesta��ão tende a ser tranquila e sem maiores danos aos processos de trabalho, conclui a consultora organizacional.

Continua após a publicidade

Publicidade